Iníco / Religiao Pura / Acabando com o engano do uso de “templo”.

Acabando com o engano do uso de “templo”.

Há milhares de idiotizados pelas lideranças eclesiásticas das igrejas instituições que usam versículos isolados insinuando que JESUS teria ido ao templo, que seus discípulos estavam dentro do templo, que os cambistas estavam no templo, que todos deveriam ir ao templo, de Jerusalém.
Patéticos religiosos!
Imbecilizados e analfabetos bíblicos intelectualizados, estudam a Bíblia de cabeça pra baixa, em sofisma, com a intenção de enganar, em fazer prosélitos, são meninos inconstantes levados por toda roda de doutrina, vivem por crendices.

Então, aqui acabamos com esta personificação diabólica que engana as pessoas com a suposta e obrigatória utilidade de um templo para se reunir e chamar de “igreja”, em especial das instituições religiosas, tais como, Universal, Internacional da Graça, Batistas, Assembleianas, Pentecostais, e qualquer outro antro religioso que quer se intitular casa de DEUS, são ladrões e mercenários da fé.
DIVISÕES NO TEMPLO DE JERUSALÉM, destruído no ano 70dC
O poder do templo
Muito mais do que um local de culto, o Templo de Jerusalém era o centro econômico, político e religioso de Israel. Lucrava com a arrecadação de impostos, tendo em seu cadastro cerca de 1 milhão de contribuintes, dentro e fora da Palestina. Além disso auferia somas fabulosas com o sacrifício diário de animais (bois, carneiros e pombos), criados por grandes proprietários de terras ligados às famílias sacerdotais.
Para pagar os animais a serem sacrificados, os fiéis eram obrigados a trocar o dinheiro corrente, altamente inflacionado, pela tetradracma tíria, uma moeda forte, cunhada na Fenícia, que não sofreu nenhuma desvalorização num período de 300 anos. Os cambistas cobravam ágio pela operação e formavam uma máfia poderosa, mancomunada com a elite sacerdotal. Quando expulsou os vendedores de animais e cambistas do templo, JESUS golpeou de frente essa rede econômica.
DIVISÕES DO TEMPLO
Átrio dos gentios
Esta grande superfície plana que rodeava o santuário e seus átrios exteriores era acessível tanto a judeus como a gentios.
O Recinto Sagrado
O Soreg, que era uma parede baixa em volta do templo, formava uma área sagrada que nenhum gentio podia pisar, sob pena de morte. Os degraus das escadas subiam até a plataforma, que por sua vez era uma superfície plana situada na base das paredes.
Átrio das mulheres
Dentro dos quartos que havia entre as paredes, os degraus das escadas subiam até o átrio das mulheres, o qual estava rodeado por um balcão.
Átrio de Israel
Este átrio, que era exclusivamente para acesso de judeus jovens e adultos do sexo masculino, diferia do átrio das mulheres, pois enquanto este era grande e aberto, o das mulheres era estreito, coberto e rodeado de colunas.
Átrio dos sacerdotes
Era situado acima do piso do átrio de Israel, e estava exclusivamente reservado para os sacerdotes.
Santuário
O edifício tinha apenas duas áreas importantes, o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo, os quais estavam separados por duas grossas cortinas pendentes, e que distavam um côvado uma da outra. No Lugar Santo, os sacerdotes realizavam suas atividades regulares. O Lugar Santíssimo era o coração interior do templo, e só o sumo sacerdote podia ali entrar, uma vez por ano, no dia da expiação, quando oferecia um sacrifício pelos pecados do povo.
A exclusão dos gentios do templo propriamente dito revelava que os judeus eram os escolhidos de DEUS, um povo separado.
A gradação dos átrios e seu acesso restrito ressaltavam as separações de grupos dentro do judaísmo.
A inacessibilidade do Lugar Santíssimo para todos, exceto para o sumo sacerdote uma vez por ano, e as numerosas barreiras que impediam o povo comum de aproximar-se do lugar onde supostamente estava a presença divina, era uma lição prática continua da santidade de DEUS e Sua separação dos pecadores.
A vinda de JESUS CRISTO deu início a uma nova era, e profetizou [Lucas 21]:
E, dizendo alguns a respeito do templo, que estava ornado de formosas pedras e dádivas, disse: Quanto a estas coisas que vedes, dias virão em que não se deixará pedra sobre pedra, que não seja derrubada.
ELE derrubou todas as barreiras entre DEUS e os homens arrependidos. Quando JESUS morreu o “véu do templo se rasgou em duas partes de alto a baixo[Mateus 27], mostrando que o caminho estava agora aberto a um acesso imediato a DEUS, e que pessoas é que são a Igreja e não templos.

Em CRISTO todas as distinções de classe desapareceram – as que existiam entre judeus e gentios [Romanos 10], entre homens e mulheres [Gálatas 3] e entre sacerdotes e leigos [Apocalipse 1].

Enfim, é notório que, tanto JESUS como Seus discípulos iam ao templo, e por simples e óbvia razão, CRISTO para anunciar, repreender aos sacerdotes que enganavam ao povo (lembra alguma coisa?? Lideranças eclesiásticas de nosso tempo??), e o mesmo fizeram Seus discípulos, iam anunciar o evangelho que receberam do SENHOR, afinal, o templo de Jerusalém era um local de grande concentração, sem dúvida alguma religiosa (e comercial), porém, distanciavam mais as pessoas de DEUS do que aproximá-las!!

Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.
Fonte: http://jesusmaioramor.blogspot.com.br/2017/11/acabando-com-o-engano-do-uso-de-templo.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+blogspot/agMjL+(Jesus,+o+maior+Amor)
Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Vídeo mostra sinagoga de judeus seguidores de Yeshua, o verdadeiro nome de Jesus

Legenda em inglês, infelizmente. Mas o vídeo é uma prova de que havia crentes em …

Abelhas provam que Deus existe … Explica isso Ateus

Relacionado

Deixe uma resposta