Iníco / Religiao Pura / Ao que Devemos ser Leais – Unidade

Ao que Devemos ser Leais – Unidade

1. A UNIDADE DO CORPO

Uma das mais óbvias verdades é a unidade do corpo de Cristo. Há um só corpo, uma igreja, uma assembléia (Ef 4:4).
Porque isso é verdade, todos os crentes são responsáveis por dar testemunho disso. Quando nos reunirmos, deveríamos expressar praticamente isso. Nada do que fazemos ou dizemos poderia nega-la.Muitos crentes vêem muito claramente que seitas e denominações são uma negação da verdade do um só corpo (1Co 1:10-13; 3:3). As seitas criam a impressão de que Cristo está dividido e por isso deixam de representar a verdade da Palavra de Deus. Muitos de nós vemos isso muito claramente e recusamos nomes tais como Batista, Luterana, Metodista ou Episcopal.

Mas nós nem sempre vemos que qualquer destes nomes que nos separam de outros membros do corpo é divisor e não escritural. Mesmo se tomamos um nome bíblico como Irmãos, por exemplo, no minuto em que o qualificamos ou o capitalizamos, transgredimos. É um erro para alguns crentes se identificarem como Irmão de Plymouth, Irmãos Unidos, Irmãos Cristãos, Irmãos Evangélicos, Irmãos Abertos ou Irmãos Exclusivos tanto quanto o é para outros chamarem a si mesmos de Presbiterianos ou Pentecostais.
“Irmão” com um “I” maiúsculo implica que existem alguns crentes que não são irmãos, ou que alguns são irmãos de forma distinta. Ouvimos as pessoas perguntarem: “Ele está entre os Irmãos?” Ou reportarem com tristeza: “Ele deixou os Irmãos”.

A verdade é, naturalmente, que se ele é salvo, ele está entre os irmãos, e não pode deixar os irmãos já que o crente está eternamente seguro. Certamente é correto que devemos nos reunir somente no Nome do Senhor Jesus Cristo, mas no instante em que falamos de nós mesmos como “Cristãos reunidos somente no Nome do Senhor Jesus“, significando que o fazemos e outros não, nos tornamos uma seita. Falar de um grupo particular de cristãos exclusivamente como “o povo do Senhor” mostra uma atitude sectária. Isso nos coloca na mesma classe daqueles que em Coríntios diziam: “Eu sou de Cristo” – significando que eles eram
de Cristo em exclusão a todos os demais (1Co 1:12).

Uma outra forma na qual aparece a inconsistência é o hábito de chamar uma reunião particular de cristãos em uma cidade de “a igreja” naquela cidade. Ou falar de estados ou cidades onde “não existem igrejas”. Realmente esta não é uma linguagem adequada. A igreja em qualquer cidade é constituída por todos os
crentes verdadeiros ali. Dentro daquela cidade pode haver várias reuniões de cristãos. Adicionalmente pode haver alguns crentes verdadeiros que não estão associados com uma comunhão local por uma ou outra razão; eles podem estar debaixo de disciplina, por exemplo. Todos compõem a igreja na cidade, embora
nem todos se reúnam em um só lugar.

Alguém dirá: “Bem, como posso distinguir minha igreja de outras igrejas evangélicas em Curitiba?” A resposta é: “Ao invés de chamá-la ‘igreja’ em Curitiba, refira-se a ela como a igreja que se reúne na Rua Belo Horizonte 372”. Então você não terá negado a unidade do corpo. Não devemos nos esquecer que somos cristãos, crentes, irmãos, discípulos e santos – e assim são todos os que foram redimido pelo sangue precioso de Cristo. Negar isso através de qualquer tipo de sectarismo, denominacionalismo ou exclusivismo é negar a verdade da Bíblia e ser culpado de carnalidade e soberba.

W. Macdonald

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Jesuíta infiltrado? Dr Rodrigo Silva diz que a IASD é tão de Deus quanto as outras igrejas

O tempo em que nossos pastores podiam identificar a Igreja Adventista do Sétimo Dia como …

Igreja Adventista e o Dogma Católico dos Jesuítas.

Relacionado

Deixe uma resposta