Iníco / Nova Ordem Mundial, Tempo do fim / As “Estratégias” dos Senhores do Mundo, Varios Pontos dos ”Protocolos dos Sábios de Sião”

As “Estratégias” dos Senhores do Mundo, Varios Pontos dos ”Protocolos dos Sábios de Sião”

"Foto:

Corromper a mocidade pelo ensino subversivo.
Destruir a vida de família.
Dominar as pessoas pelos seus vícios.
Propagar o luxo desenfreado, as modas fantásticas, eliminando a faculdade de gozar de coisas simples e sãs.
Distrair a atenção das massas pelas diversões populares, divertir o povo para impedi-lo de pensar.
Envenenar o espírito com teorias nefastas e enfraquecer os corpos pela inoculação do vírus de várias enfermidades.
Criar o descontentamento universal e provocar ódio e desconfiança entre as classes sociais.
Despojar a aristocracia das velhas tradições e de suas terras, gravando-as com impostos formidáveis de modo a forçá-la a contrair dívidas, substituir as pessoas de sangue nobre pelos homens de negócios e estabelecer por toda parte o culto do Bezerro de Ouro.
Empeçonhar as relações entre patrões e operários.
Desmoralizar as classes superiores por todos os meios e provocar o furor nas massas pela visão das torpezas estupidamente cometidas pelos ricos.

Permitir à indústria que esgote a agricultura, transformando-a em especulação.
Bater palmas a todas as utopias de maneira a meter o povo num labirinto de idéias impraticáveis.
Aumentar os salários sem vantagem para o operário, pois o preço da vida será majorado.
Fazer surgirem incidentes que provoquem suspeitas internacionais, envenenar os antagonismos entre os povos, despertar ódios e multiplicar os armamentos ruinosos….
Conceder o sufrágio universal, a fim de que os destinos das nações sejam confiados à gente sem educação.
Derrubar as monarquias e estabelecer repúblicas, intrigar para que os cargos mais importantes sejam confiados a pessoas que tenham segredos que não se possam Revelar a fim de poder dominá-las pelo pavor do escândalo marca Panamá ou Baiona.
Abolir gradualmente todas as formas de constituição.
Organizar vastos monopólios, nos quais soçobrem todas as fortunas, quando soar a hora da crise política.
Destruir toda estabilidade financeira, multiplicar as crises econômicas e preparar a bancarrota universal, parar as engrenagens da indústria, faze ir por água abaixo todos os valores, concentrar todo o ouro do mundo em certas mãos, deixar capitais enormes em absoluta estagnação, em um momento dado, suspender todos os créditos e provocar o pânico.
Preparar a agonia dos Estados, esgotar a humanidade pelos sofrimentos, angústias e privações, porque a fome cria escravos.

Prestes a completar 100 anos desde que foi trazido a luz, os Protocolos – que por suas evidencias – vem sendo rigorosamente posto em prática e, longe de se tratar de uma simples profecia ou, o que é mais inverossímil ainda, e um amontoado de disparates redigido por um obscuro agente de policia do tempo do Czar, trata-se ao que tudo indica, de um plano muito mais antigo do que o resumo das atas do Congresso Sionista de 1898.

Publicado pela primeira vez no Brasil em 1936 por iniciativa do Ilustríssimo historiador Gustavo Barroso, Os Protocolos dos Sábios de Sião tornou-se um dos livros mais raros de nossa história. Feito desaparecer, por obra da famosa “mão” mágica, ficou inacessível em nosso país por mais de 50 anos, inclusive retirado criminosamente de praticamente todas as bibliotecas nacionais, sendo finalmente reeditado em 1991 pela Revisão Editora, graças a coragem do editor e historiador Siegfried Ellwanger Castan.

Independente da autenticidade ou não dos chamados Protocolos – a realidade é que o plano vem sistematicamente sendo posto em prática através da TELEVISÃO, CINEMA, JORNAIS, REVISTAS, simpósios, conferências, currículos escolares, seitas diversas, etc..

eia mais aqui: http://zeitgeist-revolution-is-now.blogspot.com.br/2008/07/os-22-pontos-dos-protocolos-dos-sbios.html” width=”243″ height=”338″ />

Corromper a mocidade pelo ensino subversivo.
Destruir a vida de família.
Dominar as pessoas pelos seus vícios.
Propagar o luxo desenfreado, as modas fantásticas, eliminando a faculdade de gozar de coisas simples e sãs.
Distrair a atenção das massas pelas diversões populares, divertir o povo para impedi-lo de pensar.
Envenenar o espírito com teorias nefastas e enfraquecer os corpos pela inoculação do vírus de várias enfermidades.
Criar o descontentamento universal e provocar ódio e desconfiança entre as classes sociais.
Despojar a aristocracia das velhas tradições e de suas terras, gravando-as com impostos formidáveis de modo a forçá-la a contrair dívidas, substituir as pessoas de sangue nobre pelos homens de negócios e estabelecer por toda parte o culto do Bezerro de Ouro.
Empeçonhar as relações entre patrões e operários.
Desmoralizar as classes superiores por todos os meios e provocar o furor nas massas pela visão das torpezas estupidamente cometidas pelos ricos.
Permitir à indústria que esgote a agricultura, transformando-a em especulação.
Bater palmas a todas as utopias de maneira a meter o povo num labirinto de idéias impraticáveis.
Aumentar os salários sem vantagem para o operário, pois o preço da vida será majorado.
Fazer surgirem incidentes que provoquem suspeitas internacionais, envenenar os antagonismos entre os povos, despertar ódios e multiplicar os armamentos ruinosos….
Conceder o sufrágio universal, a fim de que os destinos das nações sejam confiados à gente sem educação.
Derrubar as monarquias e estabelecer repúblicas, intrigar para que os cargos mais importantes sejam confiados a pessoas que tenham segredos que não se possam Revelar a fim de poder dominá-las pelo pavor do escândalo marca Panamá ou Baiona.
Abolir gradualmente todas as formas de constituição.
Organizar vastos monopólios, nos quais soçobrem todas as fortunas, quando soar a hora da crise política.
Destruir toda estabilidade financeira, multiplicar as crises econômicas e preparar a bancarrota universal, parar as engrenagens da indústria, faze ir por água abaixo todos os valores, concentrar todo o ouro do mundo em certas mãos, deixar capitais enormes em absoluta estagnação, em um momento dado, suspender todos os créditos e provocar o pânico.
Preparar a agonia dos Estados, esgotar a humanidade pelos sofrimentos, angústias e privações, porque a fome cria escravos.

Prestes a completar 100 anos desde que foi trazido a luz, os Protocolos – que por suas evidencias – vem sendo rigorosamente posto em prática e, longe de se tratar de uma simples profecia ou, o que é mais inverossímil ainda, e um amontoado de disparates redigido por um obscuro agente de policia do tempo do Czar, trata-se ao que tudo indica, de um plano muito mais antigo do que o resumo das atas do Congresso Sionista de 1898.

Publicado pela primeira vez no Brasil em 1936 por iniciativa do Ilustríssimo historiador Gustavo Barroso, Os Protocolos dos Sábios de Sião tornou-se um dos livros mais raros de nossa história. Feito desaparecer, por obra da famosa “mão” mágica, ficou inacessível em nosso país por mais de 50 anos, inclusive retirado criminosamente de praticamente todas as bibliotecas nacionais, sendo finalmente reeditado em 1991 pela Revisão Editora, graças a coragem do editor e historiador Siegfried Ellwanger Castan.

Independente da autenticidade ou não dos chamados Protocolos – a realidade é que o plano vem sistematicamente sendo posto em prática através da TELEVISÃO, CINEMA, JORNAIS, REVISTAS, simpósios, conferências, currículos escolares, seitas diversas, etc..

Leia mais aqui: http://zeitgeist-revolution-is-now.blogspot.com.br/2008/07/os-22-pontos-dos-protocolos-dos-sbios.html

 

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

O Dia D da Vacinação: Vamos ouvir as crianças!

Relacionado

O Golpe Fatal Contra a Humanidade!

Relacionado

Deixe uma resposta