Iníco / Nova Ordem Mundial, Tempo do fim / Igreja que apoiou Hitler, agora desestimula protesto contra corrupção e roubalheira no Governo Dilma

Igreja que apoiou Hitler, agora desestimula protesto contra corrupção e roubalheira no Governo Dilma

40904-970x600-1

998457_10152125004167995_1934151654_n1

Depois de apoiar como igreja as ações de Hitler contra os judeus na Europa com argumentação fundamentada na Bíblia, décadas depois, direto do setor de mansões de Brasília, onde residem os maiorais da DSA, a liderança adventista do Brasil repete o erro de legitimar a ação de autoridades corruptas brasileiras, usando para isso argumentos também extraídos da Bíblia e de livros atribuídos ao Espírito de Profecia.

Desta vez, o apoio, expresso na forma de desestímulo à participação de adventistas no protesto contra a corrupção e roubalheira durante o governo Dilma, está documentado em recentes publicações denominacionais na internet.

Fotos de Lula e Dilma, como as mostradas acima, frequentemente são publicadas com destaque positivo nos noticiários oficiais da IASD. Mas em relação aos protestos do próximo domingo, primeiro, foram postadas no Twitter mensagens de apoio às “autoridades”, com base em textos bíblicos da carta aos Romanos:

Michelson Borges ‏@criacionismo Mar 11 — Rm 13:11 – Com a volta de Jesus tão próxima (a solução final), não temos mais tempo de ficar lutando em causas políticas.

Lisandro W. Staut ‏@lisandrostaut Mar 11 — “Deem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra” Romanos 13:7

Igreja Adventista ‏@iasd Mar 11 — Respeito às autoridades constituídas sempre desde que não firam as leis de Deus. Romanos 13

Houve também postagem de figura que atribui a Deus a existência de desigualdades sociais:

ricoepobre-asd

Nesta quinta-feira, porém, foram bem mais explícitos e publicaram no site oficial da IASD, textos fundamentados em citações de Ellen G. White, tida como “profetisa” e “mensageira do Senhor”, quando convém à liderança:

Texto-orienta-adventistas-sobre-participacao-em-manifestacoes-politicas2

12 de março de 2015
Texto orienta adventistas sobre participação em manifestações políticas

Brasília, DF… [ASN] Descontentes com o rumo da política nacional, milhares de pessoas já confirmaram sua ida às ruas nos próximos dias 13 e 15 de março para apoiar o governo e protestar contra ele, respectivamente. Diversos brasileiros que vivem em outros países também estão se organizando para que em suas localidades haja protestos. Em relação a isso, qual deve ser a postura do adventista? Ele deve ou não participar deste tipo de ato? Quais são os riscos?

Veja neste artigo as orientações em relação ao assunto e de que forma as ações do cristão devem estar voltadas à proclamação do evangelho.

evangelhos (1024x980)

11 de março de 2015
As Manifestações e o Evangelho

O Brasil vive momentos delicados e complexos com a possibilidade de novas manifestações no País, inclusive de forte conotação política. Há um descontentamento de parte da população por conta do aumento de taxas, preços e custos, além de constante relação do Brasil com a corrupção na administração pública. Já vivemos no passado atos pacíficos e outros violentos entre manifestantes e policiais, resultando no vandalismo em várias cidades.

Diante desse quadro complexo, a pergunta que se ouve nestes últimos dias é: devem os adventistas se envolver nessas manifestações? Devem os pastores adventistas sair às ruas e fazer eco aos protestos?

Vale a pena mencionar uma citação inspirada da escritora Ellen White, que esclarece alguns pontos:

“O governo sob que Jesus viveu era corrupto e opressivo; clamavam de todo lado os abusos — extorsões, intolerância e abusiva crueldade. Não obstante, o Salvador não tentou nenhuma reforma civil. Não atacou nenhum abuso nacional, nem condenou os inimigos da nação. Não interferiu com a autoridade nem com a administração dos que se achavam no poder. Aquele que foi o nosso exemplo, conservou-Se afastado dos governos terrestres. Não porque fosse indiferente às misérias do homem, mas porque o remédio não residia em medidas meramente humanas e externas. Para ser eficiente, a cura deve atingir o próprio homem, individualmente, e regenerar o coração”. (O Desejado de Todas as Nações, 358).

Como Igreja, respeitamos as reivindicações porque nós temos saído às ruas para defender ideias, como o projeto Quebrando o Silêncio , contra o álcool, o fumo e as drogas e em defesa da liberdade religiosa. Saímos com os jovens no projeto Missão Calebe e para doar sangue (www.vidaporvidas.com), chamando a atenção da sociedade para o bem, entre outras iniciativas.
Não é errado defender ideias e ideais, e todos têm o direito de se manifestar livremente, conforme a própria Constituição Brasileira prevê. Como Igreja, contudo, alertamos que nessas manifestações existem pessoas com intenções equivocadas que não combinam com os nossos pensamentos e princípios cristãos. Muito mais do que reivindicar, nossa missão é proclamar. Como cristãos, fomos chamados para influenciar o mundo e devemos continuar fazendo isso através do amor, doando-se e desgastando-se pelo bem da comunidade.

Na continuação, Ellen White diz: “Não pelas decisões dos tribunais e conselhos, nem pelas assembleias legislativas, nem pelo patrocínio dos grandes do mundo, há de estabelecer-se o reino de Cristo, mas pela implantação de Sua natureza na humanidade, mediante o operar do Espírito Santo. “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que creem no Seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade do varão, mas de Deus”. Jo 1:12, 13. Aí está o único poder capaz de erguer a humanidade. E o instrumento humano para a realização dessa obra é o ensino e a observância da Palavra de Deus”. (O Desejado de Todas as Nações, 358)

Estamos, como adventistas, neste mundo com uma mensagem especial que é preparar um povo para o encontro com o Senhor! Cremos que a nossa força não deve estar nas manifestações por justiça, mas em anunciar a volta do Senhor Jesus, a verdadeira causa!

A Bíblia é o nosso guia segura sempre. No livro de Hebreus 11:16 está escrito que: “Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.”

O sonho dos sul-americanos, o sonho dos brasileiros, o sonho dos europeus… Todos querem uma pátria melhor. E ela existe. A cidade de Deus, a pátria celestial. Enquanto não estamos nela, seguindo Romanos 13, dedique tempo para orar pelas autoridades e para que o evangelho continue sendo anunciado com toda a força.

Lembre-se sempre: “Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros”. (2 Crônicas. 20:20).

Fontes:

http://noticias.adventistas.org/pt/noticia/comunicacao/texto-orienta-adventistas-sobre-participacao-em-manifestacoes-politicas

http://www.adventistas.org/pt/comunicacao/2015/03/11/as-manifestacoes-e-o-evangelho/

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Catástrofe Atômica e a loucura do poder! Caio Fábio Caio Fábio

Relacionado

Somos o Templo do Eterno

Parte 2 Relacionado

Deixe uma resposta