Iníco / Dízimos e Ofertas / O DIZÍMO NA TUA IGREJA É BÍBLICO? V

O DIZÍMO NA TUA IGREJA É BÍBLICO? V

DESTINO ANTI BÍBLICO AO DÍZIMO

Se for verdade que não podemos usar o dízimo conforme a orientação dada por Deus em Sua Palavra, porque o dízimo é usado pela igreja para fins que não tem nenhuma relação para o ministério da palavra como ordenado pela grande deusa dos Amalequitas Senhora White?

Tenho em mãos um folheto oficial e original que mostra o destino dado aos dízimos, portanto, vamos à relação, o nome do folheto é: PLANO 10. Vou relatar apenas o que não está correto:

  1. 9% para o IAJA (jubilação de obreiros) – estes não estão na ativa, ou seja, não poderiam ser sustentados com os dízimos, e sim, apenas pelo INSS, já que a igreja paga esta contribuição.
  2. 6% Ensino Religioso 1º Grau (ESCOLA ADVENTISTA) – na verdade não é bem assim, o ensino religioso não é pregação do evangelho, é apenas uma escola particular e com objetivos de lucros.
  3. 4% Ensino Religioso 2º Grau (ESCOLA ADVENTISTA) – na verdade não é bem assim, o ensino religioso não é pregação do evangelho, é apenas uma escola particular e com objetivos de lucros.
  4. 3% Ensino Religioso 3º Grau (ESCOLA ADVENTISTA) – há crescimento da igreja com o trabalho das escolas supostamente religiosas? Mas a verdade é que o ensinou religioso (teologia) é particular e com objetivos de lucros.
  5. Um raciocina que o dízimo pode ser aplicado para fins escolares. CSM 102 – A igreja usa para fins escolares sem escrúpulos.

O interessante é que temos duas lições que podem ser extraídas:

  1. As escolas Adventistas poderá alegar que estão reservando um percentual para atender a demanda de baixa renda, mas não é verdade, elas foram obrigadas por um decreto federal que devem ter este percentual, é tão verdade que antes não havia esta abertura gratuita.
  2. a)            – As escolas são particulares e as mensalidade muito caras e mesmo sendo dizimista se você não tiver condições de pagar as mensalidades, é impossível você colocar o filho para estudar nelas. Este percentual que vai para as escolas, se fosse usado como ordenado por Deus para a assistência na igreja local e não por meio da ADRA que beneficia pessoas supostamente em lugares distantes o que não estaria errado caso o fosse, mas, a Palavra de Deus ensina que primeiro são os de casa, ou seja, da igreja local e se sobrar é que será destinado a outros lugares, não teríamos muitos irmãos passando fome em nosso meio o que é vergonhoso.
  3. Vou relatar um episódio que aconteceu na última que campanha que presenciei em nossa cidade, conheço uma irmã e uma família da igreja Adventista, eles não são pobres, vivem em extrema miséria, e uma líder teve a coragem de entregar ao chefe desta família duas sacolas da ADRA e ainda disse a ele que teria que levar a igreja as duas sacolas cheias, e ele disse que talvez ele levasse uma pela metade e a tal líder disse: Você tem que trazer às duas cheias que são ordens lá de cima (ordens dos pastores). A campanha que esta igreja realizou foi um ato de amor? Ou foi um simples ato para se auto promoverem perante a missão?
  4. b)      Já que os fariseus (pastores) ainda persistem em cobrar o dízimo, embora eles mesmos não pagam, estão esquecendo e desprezando a justiça e o amor de Deus. “Ai de vocês, fariseus, porque dão a Deus o dízimo da hortelã, da arruda e de toda a sorte de hortaliças, mas desprezam a justiça e o amor de Deus! Vocês deviam praticar estas coisas, sem deixar de fazer aquelas”. 11: 42. – A conta que os escribas (escolas e universidades Adventistas, Católicas e Evangélicas) e fariseus (líderes espirituais) vão pagar é muito pesada, eles não pagam, mas obrigam seus liderados a pagarem o dízimo até mesmo de quem vende hortaliças para ter alguma coisa a dá para suas famílias comerem, e o pior de tudo é que morrerão como vendedor de hortaliças e em seus casebres, eles não prosperam como iludem seus pastores enquanto isso seus pastores vão prosperando. Estes líderes e pastores esquecem o mais importante que está escrito na lei: A JUSTIÇA, A MISERICÓRDIA E A FÉ que uma vez foi entregue aos santos. A verdade é esta: Se a pessoa está na maior pindaíba, passando grandes necessidades ou mesmo fome com sua família e a única alternativa que a pessoa tem é um trabalho que surgiu sem a dispensa do sábado, se a pessoa for trabalhar é expulsa da igreja pelo disfarce da exclusão, porque está em grande pecado, só que, os mesmos que dão a sentença não movem um dedo para solucionar o problema da pessoa, porém, se a pessoa mesmo estando condenada ao inferno por eles, e esta pessoa condenada levar o dízimo e oferta a igreja recebe, mas o amor que os teria dado dignidade espiritual e material é impraticável por tais líderes, porque teria que desobedecer a deusa Senhora White para obedecer ao Deus verdadeiro.
  5. c)                 Estes pastores e os líderes espirituais das igrejas são hipócritas, farisaicos e versados na mentira e engano. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. 23: 23. – E como desculpas por as mesmas não prosperarem é dito a elas supostamente perdida: É que você não tem fé, ou, você está praticando algo errado por isso você não é abençoado. Você leitor já viu uma pessoa encher a barriga e pagar o aluguel somente com a fé? Os recursos materiais são os dízimos como já vimos anteriormente. Observem bem a Palavra de Deus: Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade. I Jo. 3: 17,18.

Qual a vantagem em a pessoa afirma que tem fé se não tem obras a serem vistas? O que mais vemos nos meios evangélicos são pessoas passando fome, necessidades e com carência de roupas, enquanto isso poucos ficam ostentando roupas caríssimas, transporte movidos a combustível e ao verem seu irmão em situação degradante ainda têm a audácia de dizerem: Feliz sábado irmão, ou, paz do Senhor irmão. Tudo isto é hipocrisia e satanismo. De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo?  Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: “Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se”, sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Tg. 2: 14 – 16.

Para os que condenam a pessoa porque a única alternativa que tem para sustentar sua família é um emprego que não há dispensa do sábado, seria muito bom que eles lessem os seguintes textos: Observe a formiga, preguiçoso (o impressionante é que o adventista guarda o sábado e o domingo ao mesmo tempo e feriados santos), reflita nos caminhos dela e seja sábio!  Ela não tem nem chefe (pastor, organização religiosa), nem supervisor (Ellen White ou teólogos), nem governante (anciãos de igreja), e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento (ou seja, a necessidade não marca dia ou hora e tem mais, isto nos deixa a lição que estas lideranças espirituais mais atrapalham que ajudam). Até quando você vai ficar deitado (se banqueteando com o dízimo senhores pastores sem trabalhar?), preguiçoso (todos os templos são construídos e mantidos com o esforço dos irmãos e jamais de pastores)? Quando se levantará de seu sono (posição intocável pastoral)? Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar (descansar no sábado, no domingo e segunda feira é prioridade, você sabia que os pastores adventistas guardam é a segunda feira?, a família fica em segundo plano, pois o sábado e o dízimo é que agrada a Deus e a família passar fome é sacrifício a Deus), a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante (não estão preparados para encontrarem O grande juiz), e a sua necessidade lhe sobrevirá (por isso que as igrejas são frias, sem amor, pobres espiritualmente e sem misericórdia) como um homem armado. Desta forma a obra e o amor de Deus têm sido escandalizados por atitude radical dos pastores por terem suas mesas fartas com a gordura e carne das ovelhas, e quando as mesmas não produzem para suas mesas os chamam de ladrões e ainda os condenam ao fogo do inferno, e as que produzem mantimentos para seus luxos são exploradas de forma irresponsável alegando se derem mais além da décima parte estarão agradando a Deus e juntando tesouro no céu, e sobe a orientação de Ellen White ensinam que não devem angariar bens em beneficio próprio porque é contrária a vontade do Eterno, desta forma milhões estão preocupados em dá dinheiro e prédios para as igrejas pensando que estão aplicando na obra de Deus, quando em verdade estão apenas sustentando o luxo e o egoísmo de poucos homens em detrimento da orientação dada por Deus em Sua Palavra. Pr. 6: 6 – 11.

As pessoas pensam que fazer a obra de Deus é pregar as doutrinas da igreja e construir templos, fazer tudo que a instituição religiosa ordena crer e aceitar as doutrinas impostas pela igreja. Pobres coitados agem desta forma porque não conhecem a Deus e muito menos o Seu Poder.

As pessoas fazem tudo errado para Deus porque não O conhecem, lêem Sua Palavra mas não entendem a essência da mesma, jamais creram no Messias, tem depositado a fé em seus pastores e no falso cristo, este é o grande motivo que os tem levados a não fazerem a verdadeira obra de Deus. A verdadeira obra do Eterno Deus é esta: A obra de Deus é esta: Crer naquele que Ele enviou.  Jo. 6: 29.

Estes crentes e seus líderes preferem crer na doutrina da instituição, na instituição,  no slogan da igreja, em seus ritos, em seus líderes,  em seus profetadas, em seus livros denominacional, e ainda tem a petulância em afirmar que ao levar estes conhecimentos estão fazendo a obra de Deus.

Queira você ou não, aceite ou não, creia você ou não, determine você ou não…

A verdadeira obra de Deus é esta: CRER NO ETERNO SENHOR JESUS CRISTO E NO ETERNO QUE O ENVIOU.

Se você aceitar e crer desta forma estará afirmando que Deus e Sua Palavra são verdadeiros, caso não creia nesta verdade você estará declarando que Deus e Sua Palavra são mentirosos.

A diferença entre as formigas e as igrejas que se autodenominam de cristãs é esta: As formigas não têm líderes, mas nenhuma passa fome; as igrejas têm líderes e tem milhares de irmãos passando fome espiritual e fisiológica. Igrejas arrecadam mais de RS$ 20 bilhões por ano no Brasil – http://abibliafontedeverdade.blogspot.com.br/2013/03/igrejas-arrecadam-mais-de-rs-20-bilhoes.html

Se você está passando por necessidades ou até mesmo fome e a única oportunidade de trabalho que encontraste foi um emprego que tem que trabalhar no sábado, pondera nestas palavras, este é o caso dos pastores, colocam os membros para trabalhar no lugar deles: Quando ainda estávamos com vocês, nós lhes ordenamos isto: Se alguém não quiser trabalhar, também não coma. II Te. 3: 10.

O impressionante é que as pessoas guardam o sábado ou o domingo e feriados, pagam dízimos e não têm descanso algum, vivem sobrecarregados, aflitos e muitos entrando em depressão.

Nem comemos coisa alguma à custa de ninguém. Ao contrário, trabalhamos arduamente e com fadiga, dia e noite, para não sermos pesados a nenhum de vocês. II Te. 3: 8.

Ellen White ensina que para as despesas dos cultos e assistência social era arrecadado um segundo dízimo do lucro, mas não é verdade ela está mentindo, a verdade é que, não existia um segundo dízimo dos lucros, e sim, o dízimo tirado do dízimo que era o segundo dízimo.

Ellen White chama Deus de mentiroso: A fim de promover os cultos, bem como para fazer provisões aos pobres, exigia-se um segundo dízimo de todo o lucro. Com relação ao primeiro dízimo, declarou o Senhor: “Aos filhos de Levi tenho DADO TODOS OS DÍZIMOS em Israel.” Núm. 18:21. Mas em relação ao segundo Ele ordenou: “Perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o Seu nome, COMERÁS OS DÍZIMOS DO TEU GRÃO, do TEU MOSTO, e DO TEU AZEITE, e os PRIMOGÊNITOS DAS TUAS VACAS E DAS TUAS OVELHAS; para que APRENDAS A TEMER AO SENHOR TEU DEUS todos os dias.” Deut. 14: 23. B.S. 273

Em que devo crer e depositar a minha fé? Porque só serei salvo se eu crer nos livros de Ellen White? Seria Jesus incompetente para sozinho me salvar e precisaria de uma co salvadora a semelhança dos romanos? Creio plenamente e sem reserva de domínio que o SENHOR JESUS CRISTO é suficientemente competente para me salvar, e para isto só preciso: “Quem, pois, me confessar diante dos homens, eu também o confessarei diante do meu Pai que está nos céus”. Mt. 10: 32. – Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Rm. 10: 9.

Para ser salvo eu não preciso da deusa dos Amalequitas Ellen White, não preciso de uma instituição religiosa e muito menos destes falsos pastores.

O dízimo não era pago com dinheiro, e sim, com a produção agrícola, e os mesmo devem ser pagos apenas aos sacerdotes e sumo sacerdotes bem como aos levitas, entregar hoje nos templos para uma meia dúzia de pastores se beneficiarem é uma afronta e descrédito a Deus e Sua Palavra. Tomará o dízimo das vossas sementes e das vossas vinhas, para dar aos seus oficiais e aos seus servos. I Sm. 8: 15.

O que acontecia no passado tem acontecido de forma contundente em nossos dias.

Ai de vós, escribas e fariseus (pastores e líderes), hipócritas (sem credibilidade com Deus)! Porque dais (no caso dos pastores IASD eles não dizimam, a missão paga o salário já descontado o dízimo) o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça (ter as pessoas de formas iguais), a misericórdia (saber, conhecer e socorrer as ovelhas) e a fé (esta fé não é no que Ellen White escreveu ou nas doutrinas da igreja, e sim, a fé que uma vez foi entregue aos santos); estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. Os líderes das igrejas sufocam o amor de Deus e ao próximo de forma cruel e ímpia como se o mesmo fosse uma erva daninha que leva a pessoa para o inferno, e logo em seguida andam mentindo afirmando que nos dez mandamentos está a verdadeira expressão do amor, quando em verdade o Espírito Santo afirma que os dez mandamentos expressam: a) Lei (mandamentos) DA MORTE – E, se o MINISTÉRIO DA MORTE, gravado com letras em pedras. II Cor. 3: 7. b) Lei (mandamentos) da CONDENAÇÃO. Porque, se o ministério da CONDENAÇÃO. II Cor. 3: 9. c) Lei (mandamentos) da escravidão. – Do monte Sinai, gerando filhos para a SERVIDÃO. Gl. 4: 21 – 31 – Mt. 23: 23.

Só podem ser aceito dízimos e ofertas do que é ganho com o suor do rosto, da prostituição, de bares ou roubos não podem ser aceito. Um pastor adventista me disse o seguinte: Eu sei que o cara roubou um banco e se trouxer o dízimo eu aceito. Somente tomarás as coisas santas que tiveres, e as tuas ofertas votivas, e irás ao lugar que o Senhor escolher. Dt. 12: 26.

Uma senhora da Assembleia de Deus comprou uma tele sena do programa Silvio Santos e quando chegou em casa com a novidade, o marido quase a abandona por ela está em grande pecado, quando chegou ao conhecimento do pastor o mesmo a excluiu (expulsou) do rol de membros alegando o que ela havia feito era coisa do Diabo. Ela mesmo triste e decepcionada apenas guardou o bilhete e após um ano ela foi aos correios resgatar a parte que lhe cabia por direito, ao apresentar o bilhete ela teve uma grande surpresa, ela tinha ganho o prêmio máximo. Quando chegou ao ouvido do dito pastor que a irmão estava cheia da grana, imediatamente ele foi visitá-la e disse a ela que o dízimo tinha que  ser pago porque era do Senhor, ela afirmou que ia dizimar, mas em outra igreja porque o dinheiro que ela tinha ganho conforme as palavras e atitude do pastor era do diabo e não poderia dizimar na igreja dele. O impressionante de tudo é que a atitude da irmã só era pecado enquanto ela não tinha ganhado nada, após ser premiada a tele sena deixou de ser coisa do Diabo.

Conheço uma irmã adventista, alguns anos atrás ela estava grávida e o marido desempregado, estava chegando o dia de a criança nascer e não tinham nada para a criança. A sua cunhada a convidou para irem a rua e ela disse que só poderia ir se a mesma pagasse sua passagem de coletivo, e assim combinaram e foram. Ao passarem em frente de uma lotérica esta irmã falou a sua cunhada se tivesse dinheiro ia comprar uma raspadinha e sua cunhada concedeu a grana e ela comprou, ao raspar uma estava premiada com uma grana boa, ela pegou o dinheiro e foi a rua e comprou o enxoval completo, ao retornar ela comprou outras raspadinhas e tinha uma premiada e ela recebeu a grana e fez uma bela feira. Fica um questionamento: Foi Deus ou o Diabo que abriu as portas para ela já que a suposta igreja de Deus jamais a ajudou em alguma coisa?

Os bares são centros de prostituição, pessoalmente conheci um dono de bar que pagava o dízimo e ofertas de seus ganhos na IASD Movimento de Reforma, e a palavra de Deus é bem clara ao ensinar que a pessoa que está em pecado não pode dizimar e não podem receber, mas, como para os pastores e lideranças o que importa são o montante arrecado não há importância em desobedecer a Deus, desde que haja lucro nos cofres da igreja. Não tragam ao santuário do SENHOR, o seu Deus, os ganhos de uma prostituta ou de um prostituto, a fim de pagar algum voto, pois o SENHOR, o seu Deus, por ambos tem repugnância.  Dt. 23: 18.

A profetisa do povo do advento Ellen White escreveu que a permanência da lei do sábado e do dízimo no na nova aliança é uma suposição. O que é suposição não é verdade a ser praticada e obedecida. Sendo assim, os Adventistas e Reformistas não estão vivendo uma verdade segundo a profetisa, ou seja, eles vivem uma utopia religiosa. De igual maneira, o dízimo de nossas rendas “santo é ao Senhor”. O Novo Testamento não dá novamente a lei do dízimo como também não dá a do sábado; pois pressupõe (HIPÓTESE – PRESSUPOSIÇÃO) a validade de ambos, e explica sua profunda importância espiritual. Beneficência Social. 66.-

É ensinado por toda a liderança da igreja e conseqüentemente pelos liderados que Jesus aboliu as leis cerimoniais e que a única (quando se usa o termo “ÚNICO”, é porque não existe outra opção) lei que está em pleno vigor é a lei de Deus que consiste em dez mandamentos, o curioso é que o dízimo faz parte da lei cerimonial e jamais da moral. Lei moral é um título criado para dar ênfase a lei das pedras. Sendo a lei do dízimo cerimonial não tem importância obedecer ao que foi revogado, o importante é dar lucro aos pastores.

Alguém poderá dizer: Não é verdade que o dízimo faz parte da lei cerimônia, pois antes de Moisés já era praticado o dízimo. Se tal raciocínio for verdade, neste caso, o sacrifício de animais também não faz parte da lei cerimonial, pois, o mesmo já era praticado mesmo antes do Dilúvio.

Outra curiosidade é que, o sacerdócio foi mudado e a Palavra de Deus diz que em consequência desta mudança houve mudança da lei do sacerdócio e a do dízimo, ou seja, como podemos viver por conveniência ou lucratividade espiritual? Porque a lei do dízimo não foi repetida na nova aliança? Porque o dízimo tem sido tão importante e a misericórdia, o amor e a fidelidade têm sido ignorados?  Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei, e foi abolida com a mudança do serviço sacerdote da tribo de Levi para a de Judá e conseqüentemente foi cancelada as leis do dízimo e sacerdotal. Pois quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei. He. 7:1 – 12.

Estes líderes alem de explorarem as ovelhas ainda a incentivam a se sacrificarem, se o patrão não vos liberar no sábado perca o emprego para não transgredir o sábado, e quando a pessoa faz conforme sua orientações ao passarem fome ou necessidade estes mesmos pastores não movem um dedo em misericórdia ao miserável. “Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios. Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores”.  Mt. 9: 13.

– Se vocês soubessem o que significam estas palavras: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios, não teriam condenado inocentes. Mt. 12: 7.

As igrejas que evocam a si o título “SOMOS A ÚNICA IGREJA DE DEUS NA TERRA” estão colocando em prática a orientação da deusa do Advento e jamais do Deus de Abraão.

A consagração a Deus de um décimo de toda a renda quer fosse dos pomares quer dos campos, dos rebanhos ou do trabalho mental e manual; a dedicação de um segundo dízimo (este segundo dízimo não é uma contribuição paralela, e sim, o dízimo tirado do próprio dízimo) para o auxílio dos pobres e outros fins de benevolência, tendia a conservar vívida diante do povo a verdade de que Deus é o possuidor de todas as coisas, e a oportunidade deles para serem portadores de Suas bênçãos. B.S. 274. Observaram a que profetisa usou uma verdade para ensinar a mentira? Jo. 8: 44.

O dízimo devia ser consagrado ao Senhor, sendo usado sempre para o sustento do ministério. Homens deviam ser escolhidos para superintender a obra de cuidar dos pobres, zelar pela distribuição correta dos meios em mãos, a fim de que nenhum dentre os crentes sofresse necessidades. IDEM. 275. O dízimo não deveria ser consagrado, já o era desde o inicio.

Estas pessoas na concepção dela já existem que são os diáconos e diaconisas, porém, falta-lhes as condições necessárias que a igreja não as concede, caso contrário o luxo dos pastores teriam que ser bem menos e isto os constrangeriam. As pessoas escolhidas para essa obra precisam ser aprimoradas estudantes da Bíblia; homens que tenham profunda experiência cristã; e seu ordenado deve ser pago do dízimo. IDEM. 431.

Bem na verdade, a igreja criou a tal de ADRA que é uma forma de enganar e apaziguar as consciências por não cumprirem as normas estabelecidas por Deus para a assistência social dos mais necessitados, se você fizer uma pesquisa sobre a ADRA você vai descobrir que ela não é bem o que eles mostram. A ADRA foi criada apenas para ter uma aparência de uma igreja filantrópica o que na prática não é. Homens e mulheres de Deus, pessoas de discernimento e sabedoria, devem ser designados para cuidar dos pobres e necessitados, dando o primeiro lugar aos domésticos da fé. Essas pessoas devem relatar à igreja, e aconselharem-se quanto ao que deve ser feito. B.S. 194.

Porque a citação acima não é prática de vossa igreja?

Os que assumem posição ao lado do Senhor devem ver nos adventistas do sétimo dia um povo cordial, abnegado, altruísta, que alegremente e com prazer ministram a seus irmãos em necessidade. É especialmente desta classe que o Senhor fala quando diz: “E recolhas em casa os pobres desterrados”. Isa. 58:7. Testimonies, vol. 6, pág. 85.

Declarações de Deus: Seria este o jejum que eu escolheria: que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco grosseiro e cinza? Chamarias tu a isso jejum e dia (o dia do jejum foi especialmente escolhido pelas igrejas o sábado como um dia especial e específico para a prática do jejum) aprazível ao Senhor? Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade (não existe algo mais cruel e desumano do que você ver nas igrejas tantas pessoas passando fome e necessidades enquanto a chamada salva são cheias com dízimos e ofertas, isto é impiedade, não era para ter uma pessoa passando fome ou necessidade no meio do povo que se dizem serem de Deus e que amam o próximo, tudo isto acontece porque tais igrejas jamais conheceram ao Deus de amor), que desfaças as ataduras do jugo (As igrejas mantém as pessoas amarradas e escravizadas ameaçando-as se não lhes derem dez por cento de suas rendas elas vão para o inferno, se não obedecerem às doutrinas serão excluídas “expulsas” do rol de membros e conseqüentemente estarão perdidas), e que deixes livres os quebrantados (as igrejas mantém os abatidos e humildes sobre rédeas curtas, lhes impõem normas que nem mesmo a liderança as colocam em prática por serem pesadas), e que despedaces todo o jugo (o julgo que um membro de uma igreja carrega é um absurdo e quando a pessoa resolve não mais se submeter a eles e passam a carregar o julgo de Cristo que é suave e leve, eles expulsam “excluem” a pessoa por ser uma erva “joio” daninha)? Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desterrados (a igreja verdadeira cuida de seus pobres e miseráveis, providencia comida com o dízimo por ser ordenança de Deus, aos que não tem nem onde morar é providenciado um teto mesmo simples e humilde que seja, se você observar com honestidade não é isto o que está acontecendo com os supostos igrejeiros de Deus)? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne (lembro-me que uns anos atrás eu estava em uma situação nada confortável, chequei ao ponto que na sexta-feira minha mãe colocava minha calça jeans no tintou para eu vestir no sábado porque eu só tinha uma calça, certo dia eu vou ao encontro JÁ e o bolso da calça estava rasgada e um dos anciãos muito bem de condições financeiras viu meu estado e disse: Eurias se eu fosse você eu teria vergonha de vir à igreja com uma calça dessas).

E ele ainda é um líder respeitado e considerado um homem de Deus, já pensou se ele não fosse? Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante da tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda (vocês já observaram que eles se unem nas quartas-feiras para orarem e não há respostas? Já observaram que a depressão virou uma praga no meio do povo supostamente seguidores de Deus? Seriam realmente estas igrejas de Deus). Então, clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e Ele dirá: Eis-Me aqui; acontecerá isso se tirares do meio de ti o jugo (exclusão dos necessitados que trabalham no sábado por falta de opção, os famintos, os miseráveis e semi nus, suprindo suas necessidades), o estender do dedo e o falar vaidade (nós somos o povo de Deus exclusivo e as demais igrejas estão erradas, nós somos o povo do amor porque guardamos os dez mandamentos, nós temos uma profetisa, nós guardamos o sábado e vocês o domingo); e, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. “E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos, e fortificará teus ossos; e serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas nunca faltam.” Isa. 58:5-11. Por não obedecerem este conselho do Eterno é que, as igrejas crescem em número e cai na qualidade espiritual tornando morada de demônios e toda sorte de ave imunda.

A religião verdadeira não é a que guardam o sábado, pagam dízimos, fala língua estranha ou seguem a suposta mãe da verdade que é Ellen White ou a suposta mãe de Deus que é Maria.

A religião pura (sem manchas moral ou espiritual, verdadeira e única de Deus) e imaculada (lavada e purificada com o sangue do Cordeiro de Deus e que suas doutrinas são perfeitas) perante o Pai é esta: “Visitar os órfãos (no sentindo de suprir suas necessidades por meio do dízimo) e as viúvas nas suas tribulações (no sentindo de suprir suas necessidades por meio do dízimo) e guardar-se da corrupção (certas doutrinas falsas da teologia) do mundo.” Tg. 1: 27.

Notem cristãos egoístas, toda negligência aos pobres e órfãos necessitados, é negligência a Jesus na pessoa deles. B.S. 40.

Com a suposta determinação de não roubarem a Deus, os pobres não podem comer do dízimo como ordenado por Deus, só os Pastores é que tem esta autorização da profetisa Ellen White e os famintos estão sendo desprezados, menosprezados e ignorados.

Devemos aproximar-nos dos pobres e viciados, os que caíram pela intemperança. BS. 73.

A OBRA QUE CADA IGREJA DEVERIA FAZER – Recolher o necessitado, o oprimido, o aflito, o que sofreu perdas, é justamente a obra que toda igreja que crê na verdade presente devia estar realizando há muito tempo. Cumpre-nos mostrar a terna simpatia do samaritano em suprir as necessidades físicas, alimentar o faminto, trazer para casa os pobres abandonados, buscando de Deus continuamente a graça e a força que nos habilitem a chegar às profundezas da miséria humana, e ajudar aqueles que absolutamente não podem ajudar a si mesmos. Realizando essa obra, temos uma favorável oportunidade de apresentar o Cristo, o Crucificado. S.C. pág. 188.

Em vez de gastarem e investirem nos seus membros e os incentivarem a gastarem milhares de reais em cursos que não levam a nada para capacitarem os membros a serem úteis a sociedade e a própria igreja, eles estão investindo em poço sem fundo com cursos sem utilidades, o que capacita à pessoa na obra de Cristo é o Espírito Santo e jamais estes cursinhos medíocres; a prova é tão verdadeira que apesar de tantos cursos que são feitos e muita vezes sob sacrifício dos participantes é que, a cada dia que passa a vida espiritual da igreja vai minguando e a qualidade espiritual vai se deteriorando tornando a igreja tão corrupta e distante de Deus como qualquer organismo do mundo, então o que fazer de útil para e pelos membros?

Devemos sim nos capacitar para a obra de Cristo estudando Sua Palavra e buscando a unção do Espírito Santo, os cursos que tem sido oferecido têm alcançado apenas o objetivo de promover o ego pessoal dos participantes, instrutores, líderes e não tem trazido nenhum benefício espiritual ou material para a igreja.

Quer algo de útil para a igreja, a sociedade e a Deus? Invistam nos pobres com cursos seculares profissionalizantes para que eles deixem de viverem em estrema pobreza e até mesmo na miséria, é este o verdadeiro jejum que Deus quer da igreja, e jamais estes cursos e jejuns medíocres sem benefício espiritual ou material.

O que a igreja deve fazer para evitar tais problemas? É deixar de ministrar os cursos espirituais supérfluos e medíocres que não tem proveito material e espiritual e criar formas de cursos seculares para colocar no mercado de trabalho os pobres e os desempregados, desta forma terá proveito material e espiritual porque estará de forma prática mostrando o amor ao solucionar o problema do indivíduo e a própria receita dizimal e oferta terá acréscimo, se eles quiserem continuar cobrando embora não tem embasamento nas Sagradas Escrituras, ao menos terão uma bela desculpa que investiram na pessoa até que seria justo desde que os cursos sejam gratuitamente.

Esta é a orientação da escritora Ellen White e profetisa do povo do advento.

Há um vasto campo de trabalho tanto para mulheres como para homens. A cozinheira eficiente, a costureira, a enfermeira – de todos estes é necessário o auxílio. Que os membros de famílias pobres sejam ensinados a cozinhar, a costurar e consertar suas próprias roupas, a tratar dos enfermos e a cuidar devidamente do lar. B.S. 75.

Deveis primeiramente satisfazer as carências materiais dos pobres, e aliviar suas necessidades e sofrimentos físicos, e depois encontrareis caminho franco ao seu coração, onde podereis plantar as boas sementes da virtude e da religião. S.C. pág. 132.

Os pobres devem ser socorridos, cuidados os doentes, os aflitos e os que sofreram perdas confortados, instruídos os ignorantes e os inexperientes aconselhados. Cumpre-nos chorar com os que choram, e alegrar-nos com os que se alegram. Aliado ao poder de persuasão, ao poder da oração e ao poder do amor de Deus, esta obra jamais ficará sem frutos. A.B.V. págs. 143 e 144.

Toda igreja deve ser uma escola missionária para obreiros cristãos. Seus membros devem ser instruídos em dar estudos bíblicos, em dirigir e ensinar classes da Escola Sabatina, NA MELHOR MANEIRA DE AUXILIAR OS POBRES E CUIDAR DOS DOENTES (em vez de seguirem o conselho da Palavra de Deus e de vossa profetisa, vocês preferem fazerem campanhas medíocre), de trabalhar pelos não-convertidos. Deve haver cursos de saúde, de arte culinária, e classes em vários ramos de serviço no auxílio cristão. Não somente deve haver ensino, mas trabalho real, sob a direção de instrutores experientes. Que os mestres vão à frente no trabalho entre o povo, e outros, unindo-se a eles, aprenderão em seu exemplo. Um exemplo vale mais que muitos preceitos. A. C.B.V. pág. 149.

Há uma relação entre a religião de Cristo e os pobres. O cristianismo é o consolo dos pobres. Há uma falsa religião perigosa à alma de todos os que a praticam, segundo a qual todo prazer e satisfação egoísta é a suma da felicidade. B.S. 172.

Os pobres entre o povo de Deus não devem ser deixados sem provisão para suas necessidades. Deve ser encontrado algum caminho pelo qual possam obter o seu sustento. Alguns terão de ser ensinados a trabalhar. Outros que trabalham duramente e se esforçam ao extremo para o sustento de suas famílias necessitarão assistência especial. Devemos tomar interesse nesses casos e ajudá-los a conseguir emprego. Deve haver um fundo de auxílio (e este fundo de auxílio Deus disse para tirar do dízimo) para socorrer famílias pobres dignas que amam a Deus e guardam os Seus mandamentos. BS. 179.

É dever de cada igreja fazer arranjos cuidadosos e prudentes para o cuidado dos pobres e enfermos. Carta 169, 1901.

O pastor deve instruir as diferentes famílias e fortalecer a igreja para que cuide de seus próprios enfermos e pobres. B.S. 181.

As igrejas que têm pobres em seu meio não devem negligenciar a sua mordomia, deixando com o hospital a responsabilidade pelos pobres e enfermos. Todos os membros das diferentes igrejas são responsáveis perante Deus por seus pobres. Devem levar sua própria carga. Se tiverem pessoas enfermas em seu meio, a quem desejam ver beneficiadas por tratamento, devem, se possível, enviá-las ao hospital. Assim procedendo não somente estão beneficiando a instituição que Deus estabeleceu, mas ajudam os que necessitam auxílio, cuidando dos pobres como Deus requer que façam. Testimonies, vol. 4, pág. 551.

Quando os pobres do Senhor são negligenciados e esquecidos ou recebidos com indiferença ou com palavras cruéis, deve o culpado ter em mente que está negligenciando a Cristo na pessoa dos Seus santos. Pobreza e miséria nas famílias virão ao nosso conhecimento, e os aflitos e sofredores terão de ser socorridos. … Não espereis que venham a vós. Notai suas roupas pobres e ajudai-os, se necessitam de auxílio. BS. 183.

Em vez de animar os pobres a pensarem que podem receber sua comida e bebida de graça, ou quase de graça, precisamos colocá-los em situação de se ajudarem a si mesmos. Devemos esforçar-nos por prover-lhes trabalho e, se necessário, ensiná-los a trabalhar. Ensinem-se os membros de famílias pobres a cozinhar, a fazer e remendar suas roupas, e cuidar devidamente do lar. Ensine-se aos rapazes e meninas, de maneira cabal, algum ofício ou ocupação útil. Precisamos educar os pobres a dependerem de si mesmos. Isto será real auxílio, pois não somente os faz capazes de se manterem por si, como os habilitará a ajudarem aos outros. T.S. vol. 2, pág. 516.

Dando instruções em atividades práticas, podemos muitas vezes ajudar os pobres da maneira mais eficaz. Em regra, os que não foram exercitados no trabalho não têm hábitos de laboriosidade, perseverança, economia e abnegação. Não sabem se dirigir. Frequentemente, por falta de cuidado e são discernimento, há desperdícios que lhes manteriam a família com decência e conforto, fossem cuidadosa e economicamente empregados. “Abundância de mantimento há na lavoura do pobre, mas alguns há que se consomem por falta de juízo.” Prov. 13: 23.

Tomem os familiares conta de seus próprios parentes pobres, e a igreja cuide de seus próprios membros necessitados. Essa é precisamente a obra que Deus deseja que a igreja faça, e por fazê-la receberá uma bênção. B.S. 238.

Devidamente dirigida, essa obra salvará muitos pobres pecadores negligenciados pelas igrejas. T.S. vol. 2, págs. 517 e 518.

A obra pelos pobres não tem limite. Ela nunca pode ser concluída e precisa ser tratada como parte do grande todo. B.S. 258.

O que está acontecendo que a igreja não pode mais seguir as orientações dada pela Palavra de Deus e as orientações da escritora Ellen White? Teria perdido o sentido de seguirmos as regras divinas e os bons conselhos desta escritora?

Não é pecado a igreja investir na capacitação profissional de seus membros para os colocarem no mercado de trabalho, o problema é que, é mais conveniente investir em cursos de autopromoção que é totalmente inútil para a vida espiritual e material, é o que tenho presenciado no passar dos tempos com o grande aumento da apostasia assolando a igreja, só reafirmando o que anteriormente foi dito: Quem nos capacita para a pregação do Evangelho e nos torna imunes da apostasia é o ESPÍRITO SANTO, o que Ele nos faz lembrar não é a extensão de cursos que são feitos, e sim, o estudo pessoal da PALAVRA DE DEUS. Também não é pecado a igreja usar o dízimo para socorrer os necessitados por ser ordenança do Eterno, e quem ensinar ao contrário disto está mentindo e convertendo pessoas a mentira.

Na verdade não sou contra o fato da pessoa dizimar se elas querem continuar perdendo tempo é problema pessoal dela e também não sou a favor do ato de dizimar das igrejas, sou a favor do dízimo bíblico e contra o sistema das igrejas que é antibílblico, no dízimo bíblico ele foi abolido com a vinda do Messias, o que não posso é ficar calado diante dos atos absurdos que mostra a aplicação de forma errada à luz da Palavra de Deus, não sou como os dissidentes que ficam caluniando os pastores dizendo que os mesmos estão roubando, não é verdade, já que não são colocados em pratica os princípios bíblicos para Deus os pastores e toda a organização estão roubando. Você em particular pode sim, colocá-los em prática, entregando a parte pertencente quem de direito que são os pobres, viúvas e órfãs, você mesmo pode transformá-lo em alimento e entregar pessoalmente e jamais por meio de terceiros, a quem de fato tem necessidade dentre nossos irmãos carentes. Caso você tome esta atitude bíblica os líderes vão insinuar que você está seguindo o erro ao ficar com a Palavra de Deus.

Eu pergunto a você que alega crer na Palavra de Deus: É melhor exercitar a orientação dada por Deus utilizando o dízimo para dá comida a quem tem fome, ou é melhor exercitar a orientação dada por Nossa Senhora White afirmando que é pecado colocar em prática estas orientações dadas por Deus?

Mas Pedro e João responderam: “Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus”. At. 4: 19.

“Pedro e os outros apóstolos responderam:”É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens”! At. 5: 19.

“Mesmo que a minha carta lhes tenha causado tristeza, não me arrependo. É verdade que a princípio me arrependi, pois percebi que a minha carta os entristeceu, ainda que por pouco tempo Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento. Pois vocês se entristeceram como Deus desejava, e de forma alguma foram prejudicados por nossa causa. A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte. Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito”. II Co. 7: 8 – 13.

Algo muito curioso. O pão da preposição era um simbolismo de um Ser Supremo, Eterno, o Cristo; e só quem poderia usá-lo como alimento independente da posição espiritual da pessoa na igreja de Deus era tão somente o sacerdote ou o sumo sacerdote, por os mesmo representarem uma pessoa que um dia nasceria, ou seja, o Senhor Jesus. Mas, Davi, uma pessoa que fugia totalmente os parâmetros físicos para adentrar e participar dos ritos de adoração no santuário por ser ruivo, mesmo assim ele entrou no santuário e comeu do pão da preposição, mas para o sacerdotismo e ao Eterno, Davi não pecou ao fazer duas coisas proibidas por Deus, os sacerdotes não pecaram ao permitir a entrada e ação proibitiva de Deus. Davi se apegou a única solução para o seu problema que era: A FOME. Seria a mesma coisa de uma pessoa está passando fome ou necessidade com sua família fazer uso do dízimo ou trabalhar no sábado para prover sua alimentação, seria a mesma coisa que a liderança tirar do dizimo do caixa da igreja e providenciar alimento para o miserável que passa fome. Se porventura isto acontecer, para a liderança superior da igreja tal líder ou membro irão para o inferno por está supostamente no ponto de vista deles roubando a Deus e praticando algo proibido pela deusa dos Amalequitas Ellen White. O miserável pode ficar com fome, o importante: É manter o luxo dos Pastores e viver uma utopia de uma obediência caducada.

Autor: Eurias R. Carneiro

facebook.com/eurias.rodriguescarneiro 

ccarneiro602@gmail.com

http://abibliafontedeverdade.blogspot.com/

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Excluído da IASD – Testemunho Antonio Jarina Goiânia

Relacionado

PAPA FRANCISCO ATACA A ORAÇÃO DO PAI NOSSO!

Relacionado

Deixe uma resposta