Iníco / Sobrevivencialismo e Auto-Suficiência / O que fazer quando a ameaça tem nome e mora dentro de casa?

O que fazer quando a ameaça tem nome e mora dentro de casa?

É dentro de casa que mora o perigo! Quem tem criança em casa sabe o quanto de energia esses pequenos acumulam e o quão difícil é entretê-los por um longo período de tempo.

Muitas vezes pequenos detalhes se tornam grandes armadilhas diante dessas ferinhas e é inevitável ter atenção redobrada.

Então vale lembrar que:

– Fósforos, isqueiros, remédios, produtos químicos e líquidos inflamáveis devem ficar sempre fora do alcance dos pequenos;

– Embalagens de refrigerante não devem ser reutilizadas para guardar produtos de limpeza;

– Crianças pequenas não devem ficar próximas de pias, piscinas, banheiros e recipientes com água;

– Pequenos objetos (parafusos, pregos, moedas, peças de Lego e outros) podem ser ingeridos (e criança adora colocar qualquer coisa na boca!) e causar asfixia;

– Garfos, facas, tesouras, qualquer tipo de objeto cortante ou de vidro e crianças não combinam;

– Uma simples ponta levantada do tapete ou brinquedos espalhados pelo caminho podem causar quedas;

– As tomadas devem estar sempre protegidas;

– Equipamentos de segurança (capacete, joelheiras e cotoveleiras) são essenciais para andar de bicicleta, skate, patins e patinete.

Mas se você quer tornar o dia-a-dia com os pequenos mais prazeroso que tal começar a ensiná-los o “aprender fazendo”?

Para alguns pais e (muitas!) mães delegar pequenas tarefas é muito difícil. Talvez porque a vida é sempre corrida e não há tempo para ficar repetindo à exaustão, ou porque eles são pequenos demais (o garoto tem 18 anos, mas ainda é um bebê para a mãe), mas a verdade é que desde muito cedo as crianças são capazes de executar determinadas tarefas e tais fatos contribuem para a formação do caráter de cada indivíduo.

Através de pequenas tarefas podemos repassar valores e estimular que os pequenos assumam pequenas responsabilidades, trabalhem em equipe e se comprometam com a sua própria formação.

Para nós, sobrevivencialistas, esses são fatores que promovem a integração da família, o trabalho em equipe e acima de tudo, fortalece a relação e a união familiar e, em casos de colapsos, temos a certeza de que estaremos preparados e mais propensos a sobreviver.

Confira algumas ideias e use o bom senso para delegar tarefas de acordo com a idade do seu filho:

– Incentivar o culto domestico; (Acréscimo nosso!)

– Organização do quarto e da própria mochila;

– Cuidados com a higiene pessoal;

– Amarrar os próprios sapatos;

– Fazer pequenas caminhadas;

– Aprender a nadar, andar de bicicleta;

– Alimentar os animais;

– Cultivar sementes;

– Como identificar uma situação de perigo;

– Como, quando e porque ficar em silêncio ou escondido;

– Como escalar árvores para se proteger;

– Como ler mapas e utilizar bússolas;

– Ensinar a localização de parentes, amigos e telefones de emergência;

– Conceitos sobre purificação de água e fogo;

Indo mais além, existem várias brincadeiras com as quais podemos fazer para que eles aprendam brincando! Use a criatividade, estimule seus filhos e que tal nos contar suas “aventuras” e experiências?

Fonte: http://www.guiadosobrevivente.com.br/gs/2016/02/17/que-fazer-quando-a-ameaca-tem-nome-e-mora-dentro-de-casa/

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Em 60 dias colha alho poró no vaso. com essa técnica!!!

Relacionado

PASTA DE AMENDOIM: receita fácil e nutritiva para o café da manhã e lanches

Relacionado

Deixe uma resposta