Iníco / Ecumenismo / Papa Francisco recebe Leonardo DiCaprio: Laudato si (Louvado seja Satanás) em pauta

Papa Francisco recebe Leonardo DiCaprio: Laudato si (Louvado seja Satanás) em pauta

Leonardo DiCaprio e papa Francisco se reúnem para conversar sobre o meio ambiente.

Papa recebe Leonardo DiCaprio - AP

Papa recebe Leonardo DiCaprio – AP

Cidade do Vaticano (RV) – O ator e ambientalista estadunidense Leonardo DiCaprio e o papa Francisco se encontraram para conversar sobre o meio ambiente.

DiCaprio, que concorrerá novamente ao Oscar de melhor ator por sua atuação em The Revenant, também é reconhecido por suas ações em defesa do meio ambiente.

Foi propriamente o reconhecido engajamento no campo da proteção ambiental que o levou a querer encontrar o Papa Francisco, no qual ele reconhece uma autoridade em matéria, em particular com a publicação da Carta encíclica Laudato si sobre o cuidado da casa comum.

No final do ano passado, o ator discursou na Assembleia da ONU sobre as mudanças climáticas, em Paris. Recentemente, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, anunciou que, por meio de sua fundação, doou 15 milhões de dólares para projetos ambientais e petições junto à lideranças econômicas para que combatam o aquecimento global.

DiCaprio também fez uma doação para as obras de caridade do Pontífice.

“Sua Santidade, obrigado por me conceder este encontro com você”, disse o ator, em italiano. Em seguida, ele beijou o anel do Pontífice.

Poucos se sabe a respeito do diálogo, exceto o fato de que, segundo o Vaticano, DiCaprio falou com o líder da Igreja Católica sobre seu compromisso com a preservação da natureza.

O Insider conseguiu registrar em um vídeo o ator, emocionado, dando ao Papa um presente pessoal: um livro de pinturas do holandês Hieronymus Bosch (1450-1516), importante nome do Renascimento.

“[Este quadro] Estava pendurado acima de meu berço, meu pai o colocou lá quando eu era criança”, disse, já em inglês.

“Eu não entendia bem o que isso significava. Através de meus olhos de criança, representava nosso planeta, a utopia que nos foi dada, a superpopulação, o excesso.”

 “[Isso] Representa para mim a promessa do futuro e da iluminação. É uma representação da sua visão também”, disse ao Papa. “Quero te dar este livro como um presente.”

O Papa presenteou DiCaprio com uma cópia da Encíclica Laudato Si e da Exortação Evangelii Gaudium.

FONTE: (RB)

 

Comentário: Após ter feito explodir sucessivamente tudo o que era cristão, primeiro a Igreja no século XVI, depois as monarquias católicas a partir de 1789, depois os impérios cristãos em 1918 e por fim as sociedades cristãs. a Revolução universal prepara-se para reunificar o mundo em torno de um novo paganismo que, como os paganismos antigos, constituirá uma camuflagem da religião do demônio. Os povos se rejubilarão de ter atingido a idade de ouro da humanidade enfim unificada, ao passo que terão de fato caído sob o poder daquele que é “mentiroso e homicida desde o princípio”.

Esse totalitarismo planetário está programado para se estabelecer em nome do bem-estar da humanidade, sem provocar reação séria, pois quem desejaria lutar contra o bem? Ouçamos Gorbachov: “É minha convicção que a raça humana entrou num estágio em que todos somos dependentes uns dos outros. Nenhum país, nenhuma nação deveria ser considerada isoladamente das outras, ainda menos oposta às outras. Eis o que o nosso vocabulário comunista denomina internacionalismo, e isto significa nosso voto de promover os valores humanos universais”. Ora, como observa mui justamente Bernardin, “o interesse da humanidade substitui a ditadura do proletariado, mas o indivíduo continua sempre esmagado ou negado”
______
Em toda reunião mundial referente ao Ambientalismo (na COP 21 em Paris, França 2015 não será diferente) a Encíclica do papa Francisco ‘Laudato Si’ (Louvado sejas Satanás) é o carro-chefe do Ambientalismo Global e nela está contida que o ser humano precisa de um “dia da família”, um dia de descanso oficial global, ou seja, o domingo. (o domingo como proposta para amenizar o aquecimento global).

Francisco tem pressa…
Dias antes de sua ida aos Estados Unidos em Setembro de 2015, o papa Francisco havia dito que “a mudança climática é real e perigosa. É necessário um novo sistema de governo global para lidar com essa ameaça sem precedentes. Essa nova autoridade política seria responsável pela redução da poluição e o desenvolvimento dos países e regiões pobres”.

Antes da fala do papa, o presidente Barack Obama chegou a compará-lo a Jesus Cristo: “Creio que a emoção que sua visita gera é não apenas por seu papel como papa, mas por suas qualidades únicas como pessoa. Em sua humildade, sua aceitação da humildade, na amabilidade de suas palavras e na generosidade de seu espírito vemos um exemplo vivo dos ensinamentos de Jesus, um líder cuja autoridade moral não apenas chega por meio de suas palavras, mas também por meio de seus atos.”

Obviamente que é louvável a iniciativa de um líder religioso como o papa de encabeçar um movimento ecológico com o objetivo de proteger a Terra da degradação que ela vem sofrendo ao longo dos anos. É evidente que os religiosos podem e devem dar sua parcela de contribuição para criar uma mentalidade de cuidado com a criação de Deus. O problema são as motivações, os argumentos, os objetivos e os erros por trás de todo esse discurso ecológico.

Quero me deter num erro típico do romanismo, presente na encíclica Laudato Si: o erro deliberadamente de conduzir o mundo a observar o domingo como o dia da família e descanso bíblico.

No capítulo II, seção 71 (a encíclica está disponível aqui: (http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html), referindo-se à destruição do mundo por um dilúvio no tempo de Noé e sua posterior restauração, Francisco escreveu: “A tradição bíblica estabelece claramente que esta reabilitação implica a redescoberta e o respeito dos ritmos inscritos na natureza pela mão do Criador. Isto está patente, por exemplo, na lei do Shabbath. No sétimo dia, Deus descansou de todas as suas obras. Deus ordenou a Israel que cada sétimo dia devia ser celebrado como um dia de descanso, um Shabbath (cf. Gn 2, 2-3; Ex 16, 23; 20, 10).”

É bom deixar claro logo de início que, ao contrário do que afirma o papa, o sábado não foi dado a Israel apenas. Na verdade, o sábado foi dado à humanidade, no Éden, quando havia apenas um casal sobre a Terra (Gn 2:2, 3), e Jesus confirma isso ao dizer que o “sábado foi feito por causa do homem” (Mc 2:27), não do judeu ou de qualquer outro povo.

Embora cite o mandamento do sábado conforme está na Bíblia, no capítulo VI, seção 237 da encíclica, Francisco se permite reinterpretar o mandamento:

“A participação na Eucaristia é especialmente importante ao domingo. Este dia, à semelhança do sábado judaico, é-nos oferecido como dia de cura das relações do ser humano com Deus, consigo mesmo, com os outros e com o mundo. O domingo é o dia da Ressurreição, o ‘primeiro dia’ da nova criação, que tem as suas primícias na humanidade ressuscitada do Senhor, garantia da transfiguração final de toda a realidade criada. Além disso, este dia anuncia ‘o descanso eterno do homem, em Deus’. Assim, a espiritualidade cristã integra o valor do repouso e da festa. […] A lei do repouso semanal impunha abster-se do trabalho no sétimo dia, ‘para que descansem o teu boi e o teu jumento e tomem fôlego o filho da tua serva e o estrangeiro residente’ (Ex 23, 12). O repouso é uma ampliação do olhar, que permite voltar a reconhecer os direitos dos outros. Assim o dia de descanso, cujo centro é a Eucaristia, difunde a sua luz sobre a semana inteira e encoraja-nos a assumir o cuidado da natureza e dos pobres.”

Curiosa e e contraditoriamente, na secção 68 do capítulo II, Francisco escreve, citando os Salmos:

“‘Ele [ndr: Deus] deu uma ordem e tudo foi criado; Ele fixou tudo pelos séculos sem fim e estabeleceu leis a que não se pode fugir!’ (Sl 148, 5b-6).” O papa está correto aqui. Não podemos fugir das leis de Deus, muito menos alterá-las. O sábado faz parte dessa lei e é tão eterno que continuará sendo observado na Nova Terra (Is 66:23). Daniel 7:25, escrito cerca de 500 anos antes de Cristo, previu que no futuro haveria um poder religioso que se atreveria a mudar os tempos e a lei de Deus. A profecia, pra variar, estava corretíssima…

Estamos vivendo dias solenes. Deus nos ajude a estar firmados na verdade bíblica, cumprindo nosso papel, assim como o papa e outros religiosos e líderes mundiais estão cumprindo o deles.

Por favor, tome algum tempo para assistir aos vídeos contidos na matéria. Creio que lhe será muito esclarecedor e o situará devidamente nessa controvérsia entre o sábado e o domingo, que só tende a aumentar daqui para a frente.

Os Dez Mandamentos = Um retrato de DEUS!

A Origem da Guarda do domingo

RELACIONADOS:

TERRORISMO CLIMÁTICO: CRÍTICA CIENTÍFICA À ENCÍCLICA ‘LAUDATO SI’

Acesse: A Verdade Sobre Setembro de 2015. Países adotam na ONU a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

Acesse: Setembro de 2015 e Agenda ONU 2030 – A Escravidão Global

Acesse: Setembro de 2015 e Agenda ONU 2030 – A Escravidão Global – Parte 2

Acesse: Será que a ONU introduziu a Nova Ordem Mundial com a “Agenda 2030”?

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Vídeo mostra sinagoga de judeus seguidores de Yeshua, o verdadeiro nome de Jesus

Legenda em inglês, infelizmente. Mas o vídeo é uma prova de que havia crentes em …

Abelhas provam que Deus existe … Explica isso Ateus

Relacionado

Deixe uma resposta