Iníco / Mensagens Subliminares / Reflexão: Qual é a intenção do Diabo quando participa de programas de tevê?

Reflexão: Qual é a intenção do Diabo quando participa de programas de tevê?

The-Exorcist-Reagan

Você já deve ter visto, mesmo que seja de raspão enquanto muda o canal de tevê, cenas deprimentes e, sem dúvida, impressionantes, de pessoas endemoniadas sendo expostas, entrevistadas, ridicularizadas e, por fim, libertas dos tais demônios por pastores performáticos, especializados em zombarias contra o Capeta. Eles protagonizam esses reality shows espirituais, como se fossem os novos super-heróis de Deus em confronto direto com as forças satânicas, saindo-se mais do que vencedores desses embates.

A vitória contra o Maligno e seus agentes confere a esses pastores imediata admiração, credibilidade, influência e autoridade sobre os frequentadores do culto, além dos telespectadores, o que se traduz em maiores doações e dízimos no gazofilácio. A denominação a qual pertencem também se fortalece como marca e, evidentemente, uma franquia reconhecida e autorizada do Reino dos Céus. Afinal, ali no templo, Cristo é visível e inegavelmente o vencedor do grande conflito com Satanás.

Mas a pergunta que não quer calar é a seguinte: Sabendo dos prováveis desgastes à sua imagem de Príncipe deste mundo, com pretensões de ocupar o lugar de Cristo e de Deus na hierarquia universal, por que razão participam Satanás e seus anjos desses espetáculos bizarros? Qual é o objetivo do Diabo em grunhir, vociferar, espumar a boca, debochar, contorcer-se, agredir e, por fim, submeter-se ao comando de falsos pastores (mercenários) nos shows televisivos de livramento de possessão demoníaca?

Respostas

Supondo que essas manifestações ditas demoníacas sejam autênticas e não apenas simulações teatralizadas, previamente combinadas com os envolvidos, acreditamos que:

1. O Diabo quer dar credibilidade a essas denominações que, de fato, não seguem toda a Bíblia, para desencaminhar da Verdade o maior número possível de seres humanos que se impressionam com esse tipo de apresentação. O raciocínio do frequentador e evidentemente “patrocinador” dessas igrejas é mais ou menos este: “Se o meu pastor enfrenta e derrota o Diabo a todo momento mesmo nos cultos, ele é mais forte e consagrado do que o seu, que não passa por essas situações. Se o Diabo tem tanta raiva dos pastores da minha igreja, é porque ela pertence mesmo a Cristo e, estando nela, serei abençoado e vou direto para o Céu.”

2. O Diabo quer também impedir o interesse pela religião verdadeira naquelas pessoas que se escandalizam com cenas de exorcismo e sentem aversão a esse tipo de culto, onde o próprio Diabo se faz presente e participa da liturgia.

Quando não optam por versões mais calmas, tradicionais, convencionais ou mesmo light, de cristianismo, pessoas de nível intelectual diferenciado ou mesmo nível econômico privilegiado, recusam-se a se misturar com essa gentalha e se fecham para a Verdade por generalizarem a ideia de que a religião cristã seja essa espécie de circo de horrores das classes C e D.

3. O Diabo quer reduzir nosso conceito pessoal da luta contra as forças espirituais da maldade a meros confrontos de vale tudo espiritual, onde os pastores e oficiais da igreja atuam como representantes do Bem e o visitante ou irmão possuído, como vítima impotente do Mal. Contudo, nossa luta é diária, contínua e requer constante conexão com o Céu a fim de que não sejamos derrotados. Sujeitai-vos a Deus (e não aos pastores e líderes da igreja!), resisti ao Diabo e ele fugirá de vós…

4. O Diabo quer estabelecer um único padrão de sua atuação possessiva, como se agisse apenas segundo o modelo de possessão imposto pela mídia pentecostal. Assim, imagina-se como endemoniado ou dominado pelo demônio apenas aqueles que exteriorizam, esse controle satânico de maneira negativa, agressiva e caricatural.

Os filmes de terror que a televisão exibe reforçam ainda mais esse quadro terrível, acrescentando no estereótipo da possessão demoníaca levitação, flagelação, olhos reptilianos, etc. Mas a verdade é que, com esse padrão negativo de manifestação satânica, o Diabo pretende que não nos apercebamos quando se manifesta, de maneira aparentemente positiva, nos pastores e líderes.

“Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.” 2 Coríntios 11:13-15.

Quando um pastor bulloniza ou açucara a tríplice mensagem adventista, reduzindo-a a uma pregaçãozinha evangélica no estilo “paz e amor” dos demais protestantes e espíritas, você não percebe a origem satânica dessa mensagem.

Quando um pastor-apresentador está no vídeo da Novo Tempo defendendo doutrinas que a Bíblia não sanciona, como se fossem verdades eternas, sua boca não espuma nem seus olhos se esbugalham e o corpo não se retorce, mas está feito marionete, sob o controle do diabo. A fala pode ser mansa e até acompanhada por louvor que soa angelical, mas não passa de instrumento satânico.

Houve um tempo, até a década de 70 e comecinho dos anos 80, antes da oficialização da crença adventista na trindade, durante semanas de avivamento, estudos do livro Conflito dos Seculos (hoje, O Grande Conflito), semanas de oração e de preparação para a chuva serôdia e a crise final, em que nos surpreendíamos com manifestações de possessão demoníaca durante cultos da Igreja Adventista.

Naquela época, quando isto ocorria, o efeito imediato era o senso da necessidade de maior consagração a Deus, oração mais fervorosa, cânticos de louvor e de vitória. “Grande comandante Cristo nos será”, “Castelo forte é nosso Deus”, “Oh cristãos, avaaante, sem temor marchai”…

Parecia até positivo de certo ponto de vista que o demônio se manifestasse, porque todos se achegavam mais a Deus e, ainda que por temor de serem denunciados pelo Acusador, confessavam suas falhas e decidiam abandonar pecados secretos e acariciados por tanto tempo. Mas o Diabo mudou de tática e assumiu o microfone do louvor e o púlpito da IASD.

Hoje, Deus é que raramente Se manifesta na Igreja Adventista, pela boca de um irmão consciente ou outro dissidente leigo, ou mesmo através de um velho pastor que arrisca o prestígio de uma vida dedicada à Obra, rasgando no púlpito livros de conselhos inspirados que a Igreja já não segue.

Aqueles que a liderança demoniza, são agora os que o Pai utiliza, uma vez que os valores se inverteram. Raríssimos casos de “possessão divina” (consentida!), aos quais a liderança pretende “exorcisar” o mais rapidamente possível!

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?” — Mateus 7:21-22

5. O Diabo também prepara o caminho para o Engano Final da humanidade, ao estabelecer esse padrão midiático de manifestação sobrenatural como modelo único de aparições satânicas. Quando os anjos caídos, travestidos de alienígenas salvadores, saudarem os terráqueos com semblantes gentis e sorridentes, oferecendo cura para todas as mazelas humanas, através de correções do DNA, implantes miraculosos e bugigangas tecnológicas que nos tornarão super-poderosos e imortais, muitos os verão como anjos de luz, porque foram acostumados com o padrão satânico de manifestação, estabelecido através da tevê.

Meus irmãos, não é contra meros ventríluquos espirituais que lutamos. É contra a hoste celeste rebelada, os antigos deuses das civilizações antigas, que fizeram deste mundo sua base para tentar conquistar o Universo. O Diabo ainda não se convenceu da derrota. Ele não desistiu de seu plano original de subir às mais altas estrelas e ali estabelecer seu trono, usando criaturas moldadas à sua diabólica imagem e semelhança como colonizadoras de outros mundos.

Mantenhamo-nos atentos! “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Efésios 6:11-12.

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

IASD brasileira deveria homenagear “apóstatas” e “dissidentes”!

Frederich Dressler, filho de um pastor luterano, na Alemanha, foi expulso de seu país por …

MENTIRAS DO CRISTIANISMO

Relacionado

Deixe uma resposta