Iníco / Festas Pagãs / São Cosme e Damião: Sacrifício aos demônios!

São Cosme e Damião: Sacrifício aos demônios!

2f6a41d915acad5b11896938b1432432sdfghj

A verdadeira história de São Cosme e São Damião

sao_cosme_e_damiaodfghsaint-cosmas-and-saint-damiandfg

Os gêmeos árabes Cosme e Damião eram filhos de uma nobre família de cristãos. Nasceram por volta do ano 260 d.C. na região da Arábia, e viveram na Ásia Menor. Desde muito jovens, ambos manifestaram um grande talento para a medicina, profissão à qual se dedicaram após estudarem na Síria.
Tornaram-se profissionais competentes e dignos, e foram trabalhar como médicos e missionários na Egéia. Amavam a Cristo com fervor, e decidiram atrair pessoas ao Senhor através dos seus serviços. Por isso, não cobravam pelas consultas e atendimentos que prestavam, e por esse motivo eram chamados de “anárgiros”, que significa algo como “inimigos do dinheiro” ou quem “não pode ser comprado pelo dinheiro”.
A riqueza que almejavam era fazer de sua arte médica também o seu apostolado para a conversão dos povos: uma missão que, a cada dia, cumpriam cada vez melhor. Seus corações ardiam por salvar as almas, e nisto se envolveram através da prática da medicina. Inspirados por Deus, usavam a fé aliada aos conhecimentos científicos, confiando sempre no poder da oração, e assim operaram verdadeiros milagres, Curaram muitos doentes em nome do Cristo Jesus, vários destes já à beira da morte.
Consta, inclusive, que também preocupavam-se em tratar animais, já que “toda a criação aguarda, com ardente expectativa, pela manifestação da Glória de Deus” (Rm 8,18-19).
Manifestaram autoridade do Alto, pregando o Evangelho inclusive com sinais e prodígios. Sua linguagem e sua pregação, conformes às Escrituras, “não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria, mas em demonstração do Espírito de Poder” (ICo 2.4). De tal forma, conseguiram plantar a semente da Salvação em muitos corações, colhendo inúmeras conversões ao Senhor Jesus. Cosme e Damião possuíam uma Revelação clara do chamado que tinham como ministros do Evangelho, chamado que cumpriam no cotidiano de sua rotina profissional, ministrando Cristo através de seu trabalho.
As atividades cristãs dos médicos gêmeos, porém, chamaram a atenção das autoridades locais da época, quando o Imperador romano Diocleciano autorizava a perseguição aos cristãos. Diocleciano odiava os cristãos porque, fiéis a Cristo, não lhe prestavam culto divino, nem adoravam ídolos ou estátuas de deuses pagãos, consideradas sagradas pelo Império Romano.
E assim, por serem cristãos, Cosme e Damião foram presos, levados a tribunal e acusados de se entregarem à prática de feitiçarias e de usar meios diabólicos para disfarçar as curas que realizavam. Ao serem questionados quanto às suas atividades, eles responderam: “Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo, pela força do seu Poder”. Apesar de todas as graves ameaças de terríveis castigos, diante do governador Lísias ousaram declarar que aqueles falsos deuses não tinham poder algum sobre eles, e que só adorariam ao Deus Único, Criador do Céu e da Terra. Mantiveram o testemunho de Cristo, impressionando a todos por seu amor e sua entrega.
Por não renunciarem aos Mandamentos de Deus, sofreram tenebrosas torturas. E mesmo cruelmente maltratados, não se deixaram abalar em sua convicção e jamais negaram a fé. No ano 303, o Imperador decretou que fossem condenados à morte, na Egeia. Os dois irmãos foram postos, então, diante de uma sólida parede, para que quatro soldados os atravessassem com flechas, mas consta que resistiram às flechadas e também pedradas. Os militares foram assim obrigados a recorrer à espada para a decapitação, considerada uma honra reservada somente aos cidadãos romanos. Dessa maneira é que Cosme e Damião foram martirizados.
Entram em ação o Paganismo e o Sincretismo então…
Dois séculos após as suas mortes, por volta do ano 530, o Imperador Justiniano deu ordens para que se construísse, em Constantinopla, uma imponente e bela igreja em culto a Cosme e Damião. A fama dos gêmeos também correu no Ocidente, a partir de Roma, e uma basílica foi dedicada a eles, construída a pedido do papa Félix IV, entre os anos 526 e 530. A solenidade de consagração da Basílica ocorreu num dia 26 de setembro, data em que os “santos” gêmeos são idolatrados pela Igreja Católica. 

Justamente Cosme e Damião, que tanto lutaram contra o sincretismo, contra a idolatria, contra uma fé não Cristocêntrica (Cristo no centro) –, de fato, exatamente por essa razão foram executados –, são hoje verdadeiros símbolos de tais práticas abomináveis ao Eterno Deus!

A corrupção de uma instituição religiosa prostituta como a Igreja Católica Romana e o pecado do homem conseguem distorcer mesmo o testemunho cristão mais belo e edificante; faz com que o engano se propague por gerações, tornando em mal uma bela história dedicada exclusivamente a Cristo, o único Mediador entre Deus e os homens (1 Timóteo 2:5).  Os irmãos Cosme e Damião foram cristãos fiéis até o fim, amaram o Senhor Deus sem medida e sem restrições manifestaram o Senhor Jesus O Cristo em suas vidas. Assim, ganharam inúmeras almas através do amor e da pregação do Evangelho. É neste testemunho que devemos nos inspirar e não idolatrá-los como Roma Papal faz e faz com que a muitos sigam seu abominável e reprovável exemplo.

Fonte: http://www.apocalipsenews.com/brasil/sao-cosme-e-damiao-sacrificio-aos-demonios/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+apocalipsenews%2FzLjp+%28Apocalipse+News%29

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

PASTOR ADVENTISTA FALA SOBRE OBELISCO

Relacionado

Nisto Criamos – A Fé Adventistas antes da Apostasia ômega.

Relacionado

Deixe uma resposta