Iníco / Sistema Religioso e Apostasia / Sem vergonha: Adventistas unitarianos flagram novas mentiras do “pastor” Hugo Gambetta

Sem vergonha: Adventistas unitarianos flagram novas mentiras do “pastor” Hugo Gambetta

Assista o vídeo e veja como o tal “pastor” independente mente descaradamente ao defender a doutrina da Trindade, acrescentando palavras inexistentes em citações dúbias de Ellen White e mencionando até textos acrescentados à própria Bíblia.

Hugo Gambetta, recentemente, teve de se retratar por mentir, dizendo ter informações privilegiadas sobre um suposto irmão adventista do papa Francisco.

Reveja o fiasco!

Entenda o que a adoção da doutrina da Trindade representou para a Igreja Adventista do Sétimo Dia:

Documentário produzido por adventistas históricos, unitarianos, com legendas em português. Para maiores informações, acesse www.arquivoxiasd.com

Ennis Meier, nosso irmão e amigo, acrescentou-nos as seguintes informações:

Hugo Gambetta defende a Trindade com documento falso, também publicado no livro Evangelismo! Pois o “Manuscrito 66″ um atentado à inteligência e a boa fé dos 17 milhões de adventistas!

avondale3

Esse documento faz parte de um grupo de documentos falsos, que são a base do livro EVANGELISMO. — Livro editado e publicado em 1946, mais de 30 anos depois que Ellen White morreu.

Mr. Tim Poirier (vice-diretor do White Estate) me enrolou 2 dias e estabeleceu condições para me dar uma cópia desse fantástico documento, base do livro Evangelismo. (queria uma resposta dos brasileiros que duvidavam)

Mr. Tim Poirier perguntou para Ennis Meier:
– Se eu lhe mostrar escrito com a própria letra de Ellen White, você acreditaria? — Disse que só me daria uma cópia se os brasileiros que duvidavam respondessem essa sua pergunta.

O “original” mostrado a Ennis Meier e copiado por Mr. Tim Poirier é uma cópia carbono datilografada, porém a parte manuscrita é original feita por caneta tinteiro.

Veja também: http://www.arquivoxiasd.com/evang.htm (confira no arquivoxiasd.com)

A primeira pergunta que fazemos é: Por que ao usarem este “Manuscrito 66” como fonte, não incluíram a complementação feita posteriormente de forma manuscrita? (especialmente se consideram que foram feitas do próprio punho de Ellen White).

Pare para pensar um pouco: Estão querendo nos dizer que Ellen White escreveu coisas sensíveis como esta! Mas perceba que este texto não faz parte de um original enviado para publicação, mas de um rascunho de uma palestra que ela havia feito na igreja de Avondale – Austrália (está escrito logo no início da página: “Extrato do discurso feito [passado] por Ellen G. White na igreja de Avondale”). E agora, apresentam estes escritos como revelações de suma importância que mudaram a corrente doutrinária da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Existem questões em torno deste “Manuscrito 66” que carecem de respostas:

Se ele é o esboço de uma palestra que Ellen White fez em Avondale, será que ela mesma transcreveu sua palestra logo após te-la proferido?

Não seria mais normal Ellen White apenas ler um discurso “previamente” escrito?

Não seria mais razoável Ellen White fazer um esboço do que deveria falar?

Não parece estranho alguém transcrever uma palestra que acabou de fazer, datilografar isto, e depois fazer anotações a mão ou riscar frases inteiras corrigindo com caneta?

Não seria mais compreensível uma outra pessoa ter anotado e escrito o discurso por ela proferido?

Não é estranho o texto começar com aspas, sendo que ela não tinha o costume de colocar aspas em seus escritos?

Não parece ilógico Ellen White procurar lembrar do que falou, depois modificar o que lembrou, e ainda colocar entre aspas as suas próprias palavras?

Como apoiar uma mudança doutrinária tão significativa com base em textos tão questionáveis como este?

Se Ellen White escreveu dúzias de livros, por que usam como base para a mudança para a crença na trindade escritos questináveis apresentados em papel rascunho?

Quando um rascunho causa tanto impacto na doutrina de uma igreja, isto pode significar que seus líderes devem estar tão desejosos de fazer valer seu ponto de vista doutrinário, que usam qualquer coisa em detrimento da Bíblia.

O Sr. Tim Poirier, vice diretor do White Estate, depois de alguma protelação entregou o original desse documento para Ennis Meier examinar, e a pedido fez uma cópia Xerox. Tratava-se de uma cópia carbono com o original do manuscrito de Ellen White, que não aparece no livro EVANGELISMO.

Veja em cima, à direita “Ms66″:

O famoso “Manuscrito 66″ é tudo isso aí! (apenas identificado na parte superior à direita com um M66. O vice-diretor do White Estate, Tim Poirier pessoalmente entregou essa cópia ao Ennis Meier na sede da Conferência geral em Silver Spring.

A única parte manuscrita, (logo depois do meio) que se alega ser do punho de Ellen White, não se encontra transcrita no livro Evangelismo! (Se você conseguir explicar, o Ennis Meier agradece)

A hipótese mais provável do livro Evangelismo não trazer o manuscrito “Non seen by human eyes” é a seguinte:

O autor da falsificação do discurso de Ellen White no Colégio de Avondale na Austrália, já tinha divulgado o seu “achado” antes de fazer o “aperfeiçoamento”. Quem transcreveu a “sensacional descoberta” para o livro Evangelismo, simplesmente usou uma primeira versão do “achado”.

Esse documento é importante, porque é a base de um livro falso de Ellen White, só publicado em 1946, conhecido como “Evangelismo”.

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Jesuíta infiltrado? Dr Rodrigo Silva diz que a IASD é tão de Deus quanto as outras igrejas

O tempo em que nossos pastores podiam identificar a Igreja Adventista do Sétimo Dia como …

Igreja Adventista e o Dogma Católico dos Jesuítas.

Relacionado

Deixe uma resposta