Iníco / Terra Plana / Terra plana: A herança de Cristo NÃO é um grãozinho de areia perdido no Universo

Terra plana: A herança de Cristo NÃO é um grãozinho de areia perdido no Universo

Como é possível para um cristão bíblico pensar que o reino que Deus criou para o primeiro Adão, o reino que o segundo Adão adquiriu, por meio de seu próprio sangue, deva consistir, em grande parte, de um espaço escuro e vazio? Como eles reconciliam a ênfase recorrente de Deus em Sua Palavra sobre a beleza e esplendor da Criação — o reino que Seu Filho herdará e governará na eternidade — com o abismo de trevas sempre em expansão conhecido como espaço sideral?

O espaço sideral não existe

Uma leitura adequada da Bíblia revelará que o espaço sideral não existe. A Palavra de Deus nos diz de forma bem clara que a Terra não se move, mas que o Sol percorre um circuito. Ela nunca se refere às estrelas como qualquer outra coisa diferente de luzeiros no céu.

A possibilidade que o homem possa algum dia deixar a Terra e viajar para algum outro lugar, em parte alguma é sugerido ou implicado. Na verdade, a Palavra de Deus enfatiza continuamente o contrário, a total futilidade de tudo o que o homem faça por seu próprio poder. Ele é incapaz de salvar a si mesmo. Ele não tem lugar algum para aonde ir, exceto o túmulo.

Na seguinte passagem da Escritura, o profeta Jeremias nega explicitamente que a viagem espacial seja algum dia possível:

“Assim diz o SENHOR, que dá o sol para luz do dia, e as ordenanças da lua e das estrelas para luz da noite, que agita o mar, bramando as suas ondas; o SENHOR dos Exércitos é o seu nome. Se falharem estas ordenanças de diante de mim, diz o SENHOR, deixará também a descendência de Israel de ser uma nação diante de mim para sempre. Assim disse o SENHOR: Se puderem ser medidos os céus lá em cima, e sondados os fundamentos da terra cá em baixo, também eu rejeitarei toda a descendência de Israel, por tudo quanto fizeram, diz o SENHOR.” [Jeremias 31:35-37].

É impossível distorcer ou tentar interpretar esta passagem, fazendo-a significar qualquer outra coisa do que aquilo que diz de forma bem clara. O homem nunca conseguirá medir os céus, nem os fundamentos da Terra. Nunca. E, se este é o caso, então ele não tem um meio de sair da Terra para tentar fazer uma dessas duas medições. A viagem espacial é uma impossibilidade.

Isto significa que aqueles que afirmam que o homem já fez ambas as coisas estão grandemente enganados. A NASA nunca pousou na Lua, em 1969 ou depois disso, mas executou, ao contrário, uma complexa tapeação. As supostas provas de suas aventuras são inconvincentes e risíveis, para dizer o mínimo. Aquilo foi certamente um salto gigantesco para a humanidade, um salto para a fantasia e para a pantomima.

Querem que acreditemos que, em oito dias, três homens viajaram mais de 800.000 km em uma cápsula de alumínio, passando por extremos inconcebíveis de temperatura, vestindo apenas pijamas de material plástico. Além disso, eles fizeram isto quase 50 anos atrás.

Um Ônus Sobre os Pastores Cristãos

Existe um ônus sobre os pastores cristãos de examinar essas afirmações e prová-las rigorosamente em relação à Escritura. Toda vez que alguém afirma a existência do espaço estelar e a possibilidade da viagem espacial, está negando a Palavra de Deus.

Toda vez que alguém descreve a Terra como um “minúsculo grão de areia”, está depreciando a maravilhosa criação de Deus e dando glória, mesmo que de forma não intencional, ao Grande Enganador. Eles estão dizendo, em efeito, que, quando o Pai Celestial criou um reino para Seu Filho reinar na eternidade, esse reino não seria mais significativo do que um grão de poeira em um imenso auditório.

O que isto diz a respeito do amor do Pai por Seu Filho? O que diz sobre o maravilhoso sacrifício que Cristo fez no Calvário, trazendo grande glória ao Pai Celestial? Além disso, o que isto diz sobre os cristãos que colocam mais fé nas afirmações sem comprovação dos homens rebeldes e arrogantes do que na imutável Palavra de Deus?

Pastores, acordem. Separem um tempo para desenredar as mentiras. Desafie aquilo que a ciência diz, especificamente aquilo que o apóstolo Paulo chamou de “oposições da falsamente chamada ciência” (1 Timóteo 6:20).

Deus conhece cada estrela por seu nome

A Palavra de Deus também fala das estrelas como objetos que possuem individualidade — “Conta o número das estrelas, chama-as a todas pelos seus nomes.” [Salmos 147:4]. O Novo Testamento acrescenta peso a esta ideia quando diz que Jesus “chama pelo nome às suas ovelhas” [João 10:3]. As estrelas são tão individuais quanto nós somos. Portantos, elas não podem ser imensas esferas homogêneas de gases como hidrogênio e hélio!

Leia mais uma vez o Salmo 19, especialmente os versos 4-6:

“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, o qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho. A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor.” [Salmos 19:1-6].

A Palavra de Deus diz aqui que o Sol se move, que percorre um circuito no céu. É muito difícil interpretar esta passagem como uma descrição de um corpo celeste estacionário.

Como cristãos, somos orientados a usar nossa mente e sermos sóbrios, a olhar a evidência de um modo racional e comedido. A maioria dos milagres de Cristo foi realizada na arena pública, frequentemente em pessoas cuja deficiência física era notória a todos que viviam na comunidade local. Jesus Cristo pediu que Seus discípulos cressem Nele com base em Sua palavra, ou, então, com base em Suas obras:

“Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras.” [João 14:11].

Não é irracional ter dúvidas, mas é irracional continuar a rejeitar as evidências que não combinam com nossas expectativas.

Conclusão

Os pastores e fiéis cristãos têm diante de si uma dura escolha hoje: acreditar na Palavra de Deus em sua totalidade e verdade, ou se deixar levar cada vez mais para uma formulação mundana da Escritura, que rouba dela todo seu poder. Satanás não precisa se livrar da Bíblia; ele somente precisa torná-la obscura para nossa compreensão.

A ciência, em seu disfarce dúplice, está exercendo um papel importante em promover essa obscuridade. Bilhões de dólares do dinheiro do contribuinte estão sendo usados para financiar um programa complexo para enganar a humanidade, para criar uma falsa Cosmologia que está em conflito com a verdade do Gênesis.

Os filhos da perversidade parecem sentir grande prazer em blasfemar da Palavra de Deus e fazê-la parecer primitiva e “sem base científica”. Os pastores e fiéis cristãos que cegamente aceitam isto — apesar da clara evidência da vigarice que está por trás disso — estão falhando em seu dever de “examinar tudo e reter o bem” (1 Tessalonicenses 5:21).

Resumido de: http://www.zephaniah.eu/index_htm_files/Is the Kingdom of Christ a Tiny Speck.pdf

Tradução completa em: A Espada do Espírito

Fonte: http://www.criacionismo.org/2018/01/21/terra-plana-a-heranca-de-cristo-nao-e-um-graozinho-de-areia-perdido-no-universo/

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Novo vídeo do adventista terraplanista que ainda não foi riscado dos livros da Igreja

Embora Michelson Borges considere a doutrina bíblica da Terra plana como uma heresia e Leandro …

O mundo precisa saber disso !

Relacionado

Deixe uma resposta