Iníco / Terra Plana / TERRA PLANA: Bibliotecário sem noção escreve mais bobagens antibíblicas no blog do Michelson

TERRA PLANA: Bibliotecário sem noção escreve mais bobagens antibíblicas no blog do Michelson

É com indisfarçável vergonha alheia que lemos no artigo “Detalhe inesperado aparece em foto do eclipse e causa surpresa” publicado no blog criacionista do pastor e jornalista Michelson Borges:

“…Um detalhe bastante inesperado. A Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) cruzou o céu e passou em frente ao Sol bem no momento do eclipse. A foto tirada pelo fotógrafo da NASA Joel Kowsky…”

Quer dizer que a suposta estação espacial ser flagrada em frente ao Sol foi surpresa inesperada [sic] até para o fotógrafo da Nasa! Como assim?

O próprio bibliotecário sem noção que assina os comentários da notícia, publicada no Brasil pela Veja, afirma em seguida que “conversando com um pessoal terraplanista, mostrei alguns aplicativos de identificação de satélites e da própria estação espacial ISS. Inclusive instalei um app que te acorda no momento em que a ISS está visível em sua região e te mostra a direção em que ela vai passar…”

Ora, se é possível para qualquer um saber a posição da tal estação a qualquer momento, o que haveria então de surpreendente no registro da foto? Surpreendente foi o fato de apenas o fotógrafo da Nasa ter supostamente registrado essa imagem da ISS, como mostra o vídeo a seguir:

Mas a ignorância é mesmo atrevida e o bibliotecário sem noção, colocando-se como porta-voz da IASD e com o aval de Michelson Borges, faz outras afirmações absurdas e antibíblicas:

“A Igreja Adventista não acredita na revelação verbal, mas na revelação do pensamento. E isso faz toda a diferença. …Os defensores da revelação verbal [inerrantistas] acreditam que Deus ditou a Bíblia. E se a Bíblia diz que o ‘Sol parou’, é porque parou mesmo. Os defensores da revelação do pensamento entendem que Deus revelou a verdade dentro do conhecimento que os profetas tinham na época. Em outras palavras, a revelação mostrou que o dia ficou maior por um milagre de Deus.”

Revelação plena

Pra começo de conversa, convém notar que o bibliotecário que, talvez, almeje vir a ser redator na Casa Publicadora Brasileira com Micheson Borges, faz confusão entre os conceitos de revelação e inspiração. Nem toda a Escritura foi produzida mediante revelação. Houve também pesquisa e registros históricos, como no caso do Evangelho de Lucas e na produção dolivro dos Atos dos Apóstolos. Mas, “toda a Escritura é divinamente inspirada” (II Timõteo 3:16).

Contudo, grande parte do conteúdo bíblico foi obtido por revelação divina. O relato da Criação, por exemplo, deve ter sido revelado por Deus a Moisés, uma vez que o profeta não estava evidentemente presente por ocasião dos fatos ali descritos.

Supõe-se também que tudo que houve na semana da Criação foi revelado por Deus para Adão, que teria repassado toda a história a seus descendentes, de maneira que o relato poderia ter chegado também a Moisés indiretamente pela tradição oral.

Moisés, porém, desfrutava de extrema proximidade com Deus, que não apenas inspirava pensamentos em sua mente, preservando opiniões equivocadas sobre o formato da Terra.

Deus mesmo disse em relação a Moisés, a quem Michelson e o bibliotecário sem noção acusam de descrever incorretamente a criação da Terra por ignorância: “Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a semelhança do Senhor; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o meu servo, contra Moisés?” “E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o Senhor conhecera face a face.”Deuteronômio 34:10.

A revelação de Gênesis 1 sobre a Terra plana, coberta por um domo (firmamento), onde estão o Sol, a Lua e as estrelas, foi, portanto, revelação mais do que verbal e mental. Foi boca a boca, face a face. “Sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso!” Romanos 3:4.

A revelação é, portanto, um ato de Deus, através do qual o Senhor comunica diretamente a verdade antes desconhecida para a mente humana, verdade que não poderia ser conhecida de qualquer outra maneira e que não contem erros. A inspiração está ligada à recepção e transmissão dessa verdade divina, obtida por revelação, pesquisa ou mero registro, mas sob a supervisão do Espírito de Deus, sem espaço para erros conceituais no texto original.

Palavras inspiradas

O argumento de que Deus inspira os pensamentos e não as palavras de Seus mensageiros é antibíblico, ainda que se origine em uma declaração de Ellen White, tida como profetisa adventista e que, assim, justificou apropriar-se das palavras de terceiros para compor muitos dos livros que lhe renderam sustento e gorda herança para seus filhos e netos.

Quando um profeta afirmava “veio a mim a palavra do Senhor, dizendo…”, estava afirmamdo que aquelas palavras não eram suas, que Deus falara com ele e lhe entregara aquela mensagem exatamente como ele a apresentava. Não era simplesmente: “Veio a mim uma boa idéia do Senhor e eu a adaptei para o meu jeito de ver as coisas e entender o mundo…”

Como afirmou o apóstolo Paulo a Timóteo, a Escritura, isto é, o texto escrito, é inspirada. E vai mais longe, referindo-se não ao texto completo mas literalmente às “sagradas letras” (II Timóteo 3:15). Cristo disse que nenhum jota ou til do Antigo Testamento, poderia ser omitido. (Mateus 5:18). No Apocalipse, exige-se respeito total ao texto: “Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro” (22:18).

Definição de fé

“…Acreditar na Terra plana diante das muitas demonstrações científicas é fideísmo, jamais fé. Fideísmo é a crença no absurdo e no que está provado ser o contrário – tudo em nome da fé. Mas a fé verdadeira deve se apoiar em evidências.”

Ter fé, segundo a Bíblia, é acreditar na Palavra de Deus, ainda que não haja qualquer evidência favorável. Eva, por exemplo, pecou porque não teve fé no que Deus lhes dissera sobre a árvore da Ciência do Bem e do Mal. Acreditou na serpente falante que lhe insinuou que as palavras de Deus poderiam ter outro significado, que não o literal, acerca da morte. Apostou no que lhe dizia a representante da Ciência!

Jesus Cristo censurou a Pedra por acreditar na Lei da Gravidade e duvidar do poder de Deus, que lhe permitira andar sobre as ondas. “Imediatamente estendeu Jesus a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?” Mateus 14:31.

A repreensão a Tomé contém elogio para aqueles que priorizam a Palavra de Deus e crêem mesmo sem ver. “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.” João 20:29.

E a definição clássica de fé não deixa dúvida: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.” Hebreus 11:1.

Portanto, como sugere Paulo a Timóteo, “guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência, A qual professando-a alguns, se desviaram da fé.” I Timóteo 6:20-21.

Saiba mais sobre a Estação Espacial Internacional:

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

POR QUE COMPRAMOS A BRIGA DA TERRA PLANA!?

Relacionado

Resposta aos crentes que ainda creem na terra molhada giratória

Relacionado

Deixe uma resposta