Documento chinês vazado aponta coronavírus como arma biológica cinco anos antes da pandemia

A apresentadora do jornal australiano Sky News, Sharri Markson, neste domingo (9), anunciou detalhes “assustadores” de um documento produzido por cientistas militares chineses, no qual discutiram como o coronavírus poderia ser usado como arma biológica. O documento foi elaborado cinco anos antes da pandemia da Covid-19.

A jornalista Markson disse que o livro foi escrito por cientistas do Exército de Libertação do Povo e oficiais de saúde pública chineses em 2015.

Os documentos descrevem o vírus chinês como o prenúncio de uma “nova era de armas genéticas” e afirmam que poderia ser “manipulado artificialmente em uma doença humana emergente de um vírus, então transformados em armas e liberados de uma forma nunca vista antes.”

O artigo em chinês é chamado de “A origem não-natural da SARS e das novas espécies de vírus sintéticos como armas biológicas genéticas”. Um dos autores do documento é o ex-vice-diretor do Bureau de Prevenção de Epidemias da China, Lee Feng.

Uma parte do documento diz: “Por exemplo, a recém-descoberta capacidade de congelar e secar microrganismos tornou possível armazenar agentes biológicos e pulverizá-los durante os ataques.”

E continua dizendo: “Os ataques com armas biológicas são mais bem conduzidos durante o amanhecer, crepúsculo, noite ou tempo nublado, porque a luz solar intensa pode danificar os patógenos.”

Mas, em outro parágrafo, o documento diz: “Os principais impactos incluem uma enorme carga no sistema de saúde. Os ataques com armas biológicas têm um efeito muito mais prolongado do que os ataques convencionais, como a explosão. Também pode levar a doenças contagiosas que podem ser transmitidas por vários meios.”

“As armas biológicas não só causarão morbidez generalizada e mortes em massa, mas também induzirão uma pressão psicológica formidável que pode afetar a eficácia do combate”, completou o documento.

O documento continuou afirmando: “Assim como em outros desastres, as pessoas viverão com medo de ataques por um período considerável de tempo após um ataque, causando danos psicológicos breves ou duradouros entre alguns.”

“O documento também fala sobre o terror psicológico que as bioarmas podem causar, é assustador”, disse Markson. “Para ser clara, embora as agências de inteligência suspeitem, e estão investigando isso desde o início do ano passado, que a Covid-19 pode ser o resultado de um vazamento acidental de um laboratório de Wuhan, não há sugestão de que foi uma liberação intencional.”

“O significado deste artigo é que ele oferece uma visão rara de como os cientistas de uma das universidades militares mais proeminentes do Exército de Libertação do Povo, onde altos níveis de pesquisa de defesa foram conduzidos, estavam pensando sobre arma biológica”, apontou a jornalista.

 

Fonte: https://tercalivre.com.br/documento-chines-vazado-aponta-coronavirus-como-arma-biologica-cinco-anos-antes-da-pandemia/

China preparava-se há seis anos para III Guerra Mundial com armas biológicas que incluíam o coronavírus

 

Potencial militar dos coronavírus considerado já em 2015.

Correio da Manhã|08 de maio de 2021 às 21:11

Uma nova revelação, descoberta por investigadores norte-americanos, pode colocar a China no centro da polémica. Um dossiê a que investigadores do Departamento de Estado dos EUA tiveram acesso revela que a China preparava-se há cerca de seis anos para uma III Guerra Mundial e as armas que iriam usar seriam biológicas e genéticas.

De acordo com estes novos dados, os cientistas chineses tinham conhecimento do potencial militar das armas biológicas e, entre essas armas, estava o coronavírus. O dossiê documenta que uma arma biológica seria importante para a vitória num possível confronto uma vez que iria impactar grosseiramente o ‘sistema médico do inimigo’.

Estas revelações estão a levantar sérias preocupações no que toca à origem da Covid-19, com a China a negar que o vírus tenha escapado de um laboratório, mas também coloca no centro da problemática a falta de regulamentação do país sobre a sua atividade em laboratórios.

Os autores do documento insistem que uma III Guerra “será biológica”, ao contrário das duas primeiras guerras, que foram descritas como químicas e nucleares, respectivamente. O documento traça ainda as condições ideais para o lançamento de uma arma biológica e a dimensão dos danos causados.

Os cientistas descrevem qual a melhor altura para lançar um ataque. Segundo o documento, um vírus deverá ser lançado à noite, ao amanhecer, ao entardecer ou com tempo nublado para que este possa sobreviver e dirigir-se para a ‘área-alvo’.

Fonte: https://www.cm-tv.pt/atualidade/detalhe/china-preparava-se-ha-seis-anos-para-iii-guerra-mundial-com-armas-biologicas-que-incluiam-o-coronavirus

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

“Vocês me ensinaram a não beber café e agora querem me obrigar a me vacinar?”

O Capitão Graham Hood ainda é funcionário da Qantas Airways. Qantas Airways Limited é a …

Revista Adventista, por favor, cancele o decreto favorável à perseguição dos não-vacinados — Parte 1

Uma palestra imperdível de uma das maiores autoridades médicas americanas sobre a crise de saúde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.