EXCLUSIVO: A verdadeira história do irmão cabo Wesley Soares Góes (veja os vídeos)

A história do cabo Wesley Soares Góes, que se recusou a cumprir ordens do governador da Bahia, Rui Costa, contra trabalhadores, e acabou sendo alvejado pelos colegas de farda, comoveu o Brasil.

Em entrevista exclusiva à TV Jornal da Cidade, o médico e ex-vereador Cezar Leite e o advogado Bernardo Guimarães revelaram, direto da Bahia, detalhes do caso, derrubando por terra a versão que o cabo Wesley teve um surto psicótico.

“O cabo Wesley já tinha sido advertido três vezes por não querer cumprir a ordem dada de abordar trabalhadores, ele cansou disso daí. E você vê pelas imagens que ele está totalmente isolado, diversas vezes ele dá as costas para quem supostamente estava fazendo a negociação, mas não houve negociação, porque, para isso, você tem que ter um técnico, um especialista que vai coordenar toda a operação. Em nenhum momento isso foi feito, em nenhum momento houve um processo investigativo, eu estive na área.

“O local de um crime como esse deveria ser preservado, para perícia, para investigação. Nenhum policial do BOPE foi alvejado, nenhuma viatura foi alvejada, não teve lesão em parede. Ele inclusive se abaixa, e continuam os tiros. Então, claramente, não houve nenhum tipo de intenção de haver negociação”, ressaltou Cézar Leite.

Para o advogado Bernardo Guimarães, houve uma discrepância na forma como trataram o policial militar, em relação à maneira como conduzem esse tipo de ação quando envolve criminosos.

“Já vimos inúmeras vezes as negociações entrarem pela madrugada, passarem para o dia seguinte, até dois, três dias. Considerar o tempo de negociação de 4 horas [no caso do cabo Wesley] muito tempo é absurdo. Esse é um tempo insuficiente para cansar o policial, e ele optar por se render.

“Havia também uma proximidade muito grande entre a equipe que estava negociando e ele próprio, isso pode ter gerado uma pressão e, estando armado, ele veio a se defender. A ameaça de soltar os cães em cima dele… me pareceu um processo totalmente desastroso”, lamentou.

Confira a entrevista completa:

POLICIAL SE RECUSA A ACATAR PAUTA COMUNISTA, DE PRENDER TRABALHADORES, E É FUZILADO NA BAHIA

“Eu não vou deixar, não vou permitir, que violem a dignidade humana de um trabalhador!” ( Herói, Cabo Wesley Soares Goés)

Essas foram algumas das ultimas palavras do Cabo Wesley, antes de ser fuzilado por colegas na Bahia, esse episódio muito trágico e que só acontecem em ditaturas comunistas, ocorreu na tarde desse domingo (28) no Farol da Barra, em Salvador, Bahia.

Ao chegar no local o Cabo Wesley dá a impressão que já sabia o que iria acontecer, como se soubesse que logo iriam vir para executa-lo pois ele grita: “”Comunidade, venha testemunhar a honra ou a desonra de um policial militar do Estado da Bahia.” “.

Dificilmente alguém irá discordar do cabo Wesley, pois qualquer ser humano honrado se sentiria desonrado e até envergonhado se tivesse que acatar ordens para prender cidadãos de bem e trabalhadores que estão procurando levar o pão de cada dia para casa, tão somente para atender supostas pautas comunistas de prefeitos e governadores .

Só para lembrar, o estado da Bahia é governado pelo Governador petista Rui Costa (PT-Bahia).

Wesley com o rosto pintado de VERDE e AMARELO e gritando palavras de ordem caminhou pelo ponto turístico da capital baiana, disparando tiros para o alto. Dizendo boas verdades que já estão entaladas na boca de muitos policiais e brasileiros honrados. Wesley segue seu caminho, com uma determinação e coragem extraordinária.

Em um certo momento ele grita ”Eu não vou deixar, não vou permitir, que violem a dignidade humana de um trabalhador!” E em forma de protesto ele dispara pra cima.

Wesley continuou gritando. “Eu não entrei na policia militar para prender pai de família trabalhador” “Eu entrei na policia militar ,para combater bandidos”. Em sequencia Wesley continuou gritando “Eu não vou mais aceitar, ter que prender pai de família trabalhador que quer levar o sustento pra casa, matar a fome dos seus filhos”

Essas foram algumas das ultimas palavras do cabo Wesley antes de ser executado por colegas de profissão, supostamente por ordem do governador petista.

Muitos policiais estão protestando pelo Brasil, contra o absurdo que aconteceu na Bahia contra Wesley, e com toda razão, “Pois a honra depois de perdida, não se recupera mais.”

EXCLUSIVO: Ao vivo, Presidente da Associação de Praças da Polícia da Bahia conta tudo sobre o caso Wesley (veja o vídeo)

O Sgt PM Roque Santos, Presidente da Associação de Praças da Polícia e Bombeiro Militar da Bahia traz novas informações e conta tudo sobre o caso do cabo da PM Wesley Soares Góes.

Fontes:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

A Conspiração de Gênesis 6: Ecos da Atlântida nas Américas e outras regiões

Neste vídeo, nosso amigo Dr. Afonso Vasconcelos, doutor em geofísica, cristão nazareno, alerta que a …

Amálgama: Rússia planeia clonar e “ressuscitar” um exército cita com 3.000 anos

Há duas décadas, arqueólogos da Sibéria encontraram os restos mortais de guerreiros citas com três …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.