Iníco / Mensagens Subliminares / Noticiário católico: “24 Horas para o Senhor”, dia de preparação para o Domingo comemorado das 17 horas de sexta às 17 horas de sábado

Noticiário católico: “24 Horas para o Senhor”, dia de preparação para o Domingo comemorado das 17 horas de sexta às 17 horas de sábado

 

Milhões de católicos lotaram igrejas neste sábado para participar das 24 horas de adoração ao Santíssimo Sacramento que começou na tarde de ontem (28) em todo mundo. Intitulada como “24 horas para o Senhor”, a adoração sabática teve início às 17 horas e termina hoje, no mesmo horário, com a celebração da Santa Missa. A pedido do Papa Francisco, o chefe da Igreja Católica, dioceses do mundo inteiro aderiram ao momento de oração. Conforme a Igreja, o Sumo Pontífice pediu que a partir deste ano, em todo quarto domingo da Quaresma, tempo que antecede a Páscoa, a Igreja se reúna para este ato de amor à Eucaristia.

 

Conforme o Papa, pelo menos uma igreja de cada Diocese deveria participar da adoração. “Mas em Campo Grande várias paróquias aderiram”, disse o sacerdote. Durante a adoração, padres também atenderam confissões, o chamado sacramento de reconciliação da Igreja. “É um pedido mundial, é pela união. Assim, Jesus vai ouvir todas as nossas intenções juntas”, disse a estudante Karla Ishiro, 19 anos, integrante de um grupo de oração.

 

Fonte: http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/a-pedido-do-papa-catolicos-lotam-igrejas-para-24-horas-de-oracao

 

Na tarde desta sexta-feira (28), o Papa Francisco presidiu a celebração de abertura da iniciativa ’24 horas para o Senhor’, promovida pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização. A proposta vem ao encontro do apelo da Igreja no período quaresmal para a conversão dos fiéis. A partir do Vaticano, com a celebração presidida pelo Papa Francisco, dioceses do mundo inteiro irão promover a iniciativa de 24 horas de confissões ininterruptas em suas respectivas localidades.

 

“No período da Quaresma, a Igreja, em nome de Deus, renova o apelo à conversão. É um chamado a mudar de vida. Converter-se não é questão de um momento ou de um período do ano… é um compromisso que dura toda a vida. Quem, entre nós, pode pensar que não é pecador?”, frisou o Papa no início da homilia da celebração penitencial realizada na Basílica de São Pedro.

 

“Depois desta celebração, muitos entre vocês serão missionários e proporão a outros a experiência da reconciliação com Deus. ’24 horas para o Senhor’ é uma iniciativa à qual aderiram muitas dioceses, em várias partes do mundo. A todos que encontrarem, vocês podem transmitir a alegria de receber o perdão do Pai e de reencontrar a amizade plena com Ele. Quem vivencia a misericórdia divina é incentivado a ser artífice de misericórdia em meio aos últimos e aos pobres”, disse o Pontífice ao final de sua pregação.

 

Após a liturgia penitencial, o Santo Padre se confessou e atendeu confissões de diversos fiéis. Na Basílica de São Pedro, 61 padres se revezam no atendimento dos fiéis penitentes. A celebração encerra de modo oficial, no sábado (29), em Roma, na Igreja de Santo Spirito in Sassia, santuário romano da Divina Misericórdia.

O papa Francisco aprovou e elogiou a iniciativa do presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, dom Rino Fisichella, de ter uma atividade mundial nos dias que antecedem o Domingo da Alegria, Quarto Domingo da Quaresma. Então, convocou todas as dioceses do mundo para, das 17 horas do dia 28 de março, até às 17 horas do sábado (hoje), o evento chamado 24 Horas para o Senhor. Com isso se pretende criar uma tradição feliz, que anualmente será repetida às vésperas do IV Domingo da Quaresma.

 

Após presidir uma celebração penitencial de abertura, o papa Francisco confessará alguns fiéis na Basílica de São Pedro, no dia 28 de março (ontem). O dia dedicado ao sacramento da reconciliação contará, também, com a presença de padres confessores em três igrejas do centro histórico de Roma. Ali estarão ainda os jovens que serão enviados para evangelizar outros jovens.

 

Assegura o arcebispo Rino Fisichella: “A partir das 17 horas da próxima sexta-feira 28 de março, durante vinte e quatro horas, solicita-se que pelo menos uma igreja em cada diocese possa permanecer aberta para permitir a quantos o desejarem celebrar o sacramento da penitência, de preferência num contexto de adoração eucarística. A iniciativa deverá ser pastoralmente preparada.

 

Disponibilizada seja a celebração da penitência, não só na Quaresma mas também em todos os dias do ano
Aqui, em nossa arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, o evento 24 Horas para o Senhor será realizado no Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora de Fátima, situado à Avenida Alfredo Baltazar da Silveira, 900, Recreio, RJ. Ali estarão os padres de nossa arquidiocese para o atendimento dos penitentes.

 

A nossa tradição de “mutirões de confissões” durante a Quaresma e o Advento de certa forma já contempla essa iniciativa, porém, ela nos motiva a trabalharmos ainda mais para que seja disponibilizada, não só nestes tempos abençoados, a celebração do sacramento da penitência, mas também em todos os dias do ano, em todas as igrejas.

 

O sacramento da penitência deve ser revalorizado e redescoberto em nossas comunidades. Além dos mutirões de confissões, que em nossa arquidiocese são feitos por foranias neste tempo da Quaresma, somos chamados a um profundo exame de consciência acerca de nossa vida cristã.

 

Convido os fiéis para que se dirijam, como peregrinos, ao Santuário de Fátima, no Recreio, para uma boa confissão e para a adoração ao Santíssimo Sacramento. Será um momento de profunda renovação espiritual e de uma adequada preparação para a Páscoa. Aproveitaremos para celebrar o momento final do “doe de coração” nesse mesmo local, até domingo, dia 30, às 12 horas.

 

Sabemos que é mandamento da Igreja confessar-se pelo menos uma vez por ano pela Páscoa da Ressurreição. Somos chamados a “fazer Páscoa!”. No Santuário de Fátima todos os vicariatos participarão. Teremos um revezamento de confessores durante as 24 horas. Ali existem oito confessionários preparados com carinho pelo nosso caríssimo reitor cônego José Gomes, com sacerdotes durante essas vinte e quatro horas, ininterruptamente, esperando o povo de Deus para um encontro de renovação espiritual, bem dentro da própria liturgia quaresmal, de penitência, conversão e mudança de vida que estamos vivendo.

 

Num mundo do efêmero, da busca do prazer desenfreado, é hora de viver as realidades eternas. Acerca da importância da confissão, desacreditando uma mentalidade tendenciosa de que as pessoas preferem se confessar diretamente com Deus, o papa Francisco nos ensina, com simplicidade e clareza, na audiência geral em que eu participei antes do meu cardinalato: “Alguém poderá dizer: ‘Eu me confesso diretamente a Deus’. Sim, tu podes dizer a Deus: ‘Perdoa-me’, e dizer a ele teus pecados. Mas nossos pecados são também contra os nossos irmãos, contra a Igreja, e por isso é necessário pedir o perdão à Igreja e aos irmãos, na pessoa do sacerdote. ‘Mas, padre, tenho vergonha! ’. Também a vergonha é boa, é ‘saudável’ ter um pouco de vergonha” (Audiência do papa na Praça de São Pedro, 19/02/2014).

 

Continua o papa Francisco: “Para desafogar-se, é bom falar com o irmão e dizer ao sacerdote estas coisas que pesam tanto no meu coração: sente-se que se desafoga diante de Deus, com a Igreja e com o irmão. Por isso, não tenham medo da confissão. A gente, quando está na fila para se confessar, sente todas estas coisas — também a vergonha —, mas depois, quando termina a confissão, sai livre, grande, belo, perdoado, branco, feliz. E isto é o bonito da confissão”.

 

Façamos um sério exame de consciência prévio seguido do propósito de conversão e mudança de vida, ou seja, de não voltar a pecar e da satisfação da pena, que é a penitência.

 

Façamos uma confissão completa e bem feita, sem pressa, com muito critério espiritual. Por isso, espero que este dia completo para o Senhor seja o tempo favorável para uma autêntica conversão para vivermos o que unicamente nos basta: a santidade e preservar a graça de estado.

 

* Dom Orani João, cardeal Tempesta, cisterciense, é arcebispo do Rio de Janeiro.

 

Fonte: http://www.jb.com.br/cardeal-orani-tempesta/noticias/2014/03/29/vinte-e-quatro-horas-para-o-senhor-2/

 

“Com o perdão o coração renova-se e rejuvenesce” – o Papa Francisco na celebração penitencial

O Papa Francisco presidiu a uma celebração penitencial não final da tarde desta sexta-feira na Basílica de São Pedro. O Santo Padre confessou alguns fiéis e depois confessou-se com um dos 61 sacerdotes presentes na basílica vaticana. Esta celebração marcou o início da iniciativa “24 horas para o Senhor”, promovida pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização. Este grande evento está a decorrer em várias dioceses do mundo durante este sábado.
No decorrer da celebração penitencial o Papa Francisco começou por considerar que no período da Quaresma, a Igreja, em nome de Deus, renova o seu apelo à conversão. É um chamamento para mudar de vida:

 

“Converter-se não é uma questão de um momento ou de um período do ano… é um compromisso que dura toda a vida.”

 

O Papa Francisco citou o Apóstolo João que escreve: “Se dissermos: ‘Não temos pecado’, enganamo-nos a nós mesmos e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, Ele, que é fiel e justo, perdoará os nossos pecados e nos purificará de toda injustiça.” Entra-se, assim, numa vida nova na qual somos chamados a renunciar ao pecado permitindo ver a realidade com olhos diferentes – salientou o Papa Francisco:

 

“Esta vida nova permite-nos ver a realidade com olhos diferentes, sem nos deixar distrair por coisas que não contam nada e que não podem durar no tempo. Por isso, somos chamados a renunciar a comportamentos de pecado e a dirigir os nossos olhos ao essencial.”

 

‘O homem vale mais por aquilo que é do que por aquilo que tem’ – disse o Papa citando a Constituição Pastoral ‘Gaudium et Spes’. Eis, assim, a diferença entre a vida deformada pelo pecado e a vida iluminada pela graça:
“Do coração do homem renovado por Deus, provêm bons comportamentos: falar sempre a verdade e evitar toda a mentira; não roubar, mas compartilhar aquilo que se tem com os outros, especialmente com quem precisa; não ceder à ira, ao rancor e à vingança, mas ser dócil, generoso e pronto ao perdão; não fazer calúnias que arruínam a fama das pessoas, mas ver mais o lado positivo de cada um. “

 

O Papa Francisco referiu-se depois ao amor de Jesus Cristo no qual devemos permanecer:

 

“O amor de Jesus Cristo dura para sempre, nunca terá fim, porque é a própria vida de Deus. Este amor vence o pecado e dá a força para nos reerguermos e recomeçar, porque com o perdão, o coração renova-se e rejuvenesce.”

 

O nosso Pai nunca se cansa de amar e os seus olhos não se cansam de olhar para o caminho para ver se o filho que saiu volta ou perdeu-se – continuou o Santo Padre que afirmou ainda que ‘Deus não está somente na origem do amor, mas, em Jesus Cristo, chama-nos a imitar o seu mesmo modo de amar: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

 

“Na medida em que os cristãos vivem este amor, tornam-se discípulos credíveis de Cristo no mundo. O amor não consegue ficar fechado em si mesmo. É aberto por natureza, difunde-se e é fecundo, gera sempre novo amor.”

 

Finalmente o Papa Francisco referiu-se à iniciativa “24 horas para o Senhor”, dizendo que muitos serão missionários e proporão a outros a experiência da reconciliação com Deus. “24 horas para o Senhor” uma iniciativa à qual aderiram muitas dioceses, em várias partes do mundo:

 

“A todos os que encontrardes, podereis comunicar a alegria de receber o perdão do Pai e de reencontrar a amizade plena com Ele. E dizer-lhes que o nosso Pai espera-nos, o nosso Pai perdoa-nos e mais ainda, faz festa.”

 

http://pt.radiovaticana.va/news/2014/03/29/”com_o_perdão_coração_renova-se_e_rejuvenesce”_-_o_papa_francisco/por-785931

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Leia no Www.AngoAdventistas.Com:

Ancião diz que pastores simularam rapto depois de se desentenderem sobre dinheiro desviado… Relacionado

Escândalo entre os TJs

Relacionado

Deixe uma resposta