Iníco / Artigos / Mistério dos Nefilins: EGW recomenda o estudo de livros apócrifos

Mistério dos Nefilins: EGW recomenda o estudo de livros apócrifos

De acordo com o texto bíblico, no período de aproximadamente dois mil e quinhentos anos entre a Criação e o Dilúvio, houve uma fase da história da raça humana em que seres celestiais ou “alienígenas” abandonaram o lugar de sua habitação para relacionarem-se sexualmente com a humanidade. Disto resultaram, “gigantes” (nefilins) e outras alterações e aberrações genéticas que deram causa à destruição da Terra pelo Dilúvio.

“Mas se há um pecado acima de todo outro que atraiu a destruição da raça pelo dilúvio, foi o aviltante crime de amálgama de homem e besta que deturpou a imagem de Deus e causou confusão por toda parte.” (Ellen G. White, em Spiritual Gifts, Vol. 3, pg.64, 1864).

“Toda espécie de animal que Deus criou foi preservada na arca. As espécies confusas que Deus não criara, resultantes da amálgama, foram destruídas pelo dilúvio. Desde o dilúvio, tem havido amálgama de homem e besta como pode ser visto nas quase infindáveis variedades de espécies animais e em certas raças de homens.” (Ellen G. White, em Spiritual Gifts, Vol. 3, pg. 75, 1864)

Detalhes adicionais desse período da história humana podem ser encontrados em obras como o Livro de Enoque que, embora citado na Bíblia, é tido como “apócrifo”. Recomenda a profetisa adventista Ellen G. White que esse tipo de livro seja consultado ou aceito como fonte de informação histórica? O texto republicado abaixo fala sobre esse assunto.

 

Conheça o Livro Perdido da Bíblia, Traduzido em 1840, que Pode Ter Servido de Fonte para a Sra. WhitePublicado originalmente em maio de 2004.

Quando fazemos o Ano Bíblico de forma apressada, sem atentar para os detalhes, corremos o risco de passar por alto pequenas informações como estas duas referências feitas ao “Livro de Jaser” ou “Livro dos Justos”, encontradas em Josué e II Samuel:

“E o sol se deteve, e a lua parou até que o povo se vingou de seus inimigos. Não está isto escrito no Livro dos Justos? O sol, pois, se deteve no meio do céu e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro.” Josué 10:13.

“Pranteou Davi a Saul e a Jônatas, seu filho, com esta lamentação, determinando que fosse ensinado aos filhos de Judá o Hino ao Arco, o qual está escrito no Livro dos Justos.” II Samuel 1:17-18.

Ainda que tenha reparado nelas, creio que você provavelmente nunca ouviu seu pastor ou líder da igreja fazer menção a esse provável livro perdido da Bíblia. E por isso, imaginei que seria interessante disponibilizar aqui no site informações curiosas acerca desse livro, cuja tradução do Hebraico para o Inglês e publicação teriam acontecido em 1839/1840, exatamente naquele período em que os mileritas sacudiam os Estados Unidos com a pregação de que Jesus estaria retornando à Terra, dali a alguns meses.

Antes dessa edição, houve pelo menos dois outros livros inicialmente identificados como “Livro de Jaser” ou “Livro dos Justos”. Um deles era um tratado ético datado da Idade Média e que, até onde sabemos, nunca foi traduzido para o Inglês, mas começa com uma seção do “Mistério da Criação do Mundo”. Uma análise do conteúdo do livro revela que não está relacionado ao Livro dos Justos mencionado na Bíblia.

Uma outra falsificação foi publicada em 1829, supostamente traduzida por Flaccus Albinus Alcuinus. Ela circula até hoje, estando disponível em inglês e espanhol na internet, mas é uma fraude, difundida especialmente pela Ordem Rosa Cruz.

O terceiro e mais importante candidato ao título de “autêntico livro perdido da Bíblia” é uma obra, cuja preservação é atribuída a rabinos e que teria sido compilada do Talmude Babilônico e de outras fontes judaicas, sendo posteriormente traduzida pelo judeu-americano, proprietário de um jornal e filantropo, Mordecai M. Noah (desenho à direita). Para facilitar sua identificação, convém saber que essa obra se inicia com a frase: “E Deus disse, vamos fazer o homem à nossa imagem e à semelhança, E Deus criou o homem à Sua imagem e semelhança.”

Uma comparação de Josué 10:13 com Jaser 88:63-64 e II Samuel 1:17-18 com Jaser 56:9 deixa claro que esta versão do “Livro de Jaser” ou “Livro dos Justos”, traduzida para o inglês em 1840, pode ser realmente o desconhecido “Livro dos Justos” citado na Bíblia.

Jaser 88:
63 And when they were smiting, the day was declining toward evening, and Joshua said in the sight of all the people, Sun, stand thou still upon Gibeon, and thou moon in the valley of Ajalon, until the nation shall have revenged itself upon its enemies.
64 And the Lord hearkened to the voice of Joshua, and the sun stood still in the midst of the heavens, and it stood still six and thirty moments, and the moon also stood still and hastened not to go down a whole day.

Jaser 56:
9 Only teach thy sons the bow and all the weapons of war, in order that they may fight the battles of their brother who will rule over his enemies.

Em 1887, fascinados pelas informações adicionais trazidas pelo livro, cujo relato se estende desde a Criação do Homem até o período dos Juízes de Israel, mórmons da cidade de Salt Lake City teriam patrocinado uma segunda edição do livro em inglês, mas sem equipará-lo a outros escritos sagrados.

 

EGW e o Livro dos Justos

Aquela polêmica afirmação feita pela Sra. White, acerca do “amálgama” ou cruzamento entre seres animais de diferentes espécies e entre humanos e animais, que posteriormente foi retirada de seus escritos pela liderança para evitar controvérsias e não causar embaraços à igreja, pode ter sido fundamentada em Jasher 5:18:

18 And their judges and rulers went to the daughters of men and took their wives by force from their husbands according to their choice, and the sons of men in those days took from the cattle of the earth, the beasts of the field and the fowls of the air, and taught the mixture of animals of one species with the other…

“E seus juízes e governantes iam às filhas dos homens, e pela força lhes tiravam as esposas aos maridos, segundo lhes parecia, e naqueles dias os filhos dos homens tomavam o gado da terra, as bestas do campo, e as aves do céu, e ensinavam a mescla de umas espécies de animais com outras…”

Portanto, os textos de Ellen G. White mencionados abaixo, datados de 1864, tanto podem ser uma evidência de que ela se valeu da informação contida nesse livro que não faz parte do cânon bíblico para compor comentários referentes a esse período da história bíblica, quanto podem legitimar o texto desse Livro de Jaser ou “Livro dos Justos” para adventistas do sétimo dia, uma vez que parte das informações que traz e que não constam da Bíblia parecem ser confirmadas por EGW, a quem reputamos por escritora inspirada:

“Mas se há um pecado acima de todo outro que atraiu a destruição da raça pelo dilúvio, foi o aviltante crime de amálgama de homem e besta que deturpou a imagem de Deus e causou confusão por toda parte.”

“Toda espécie de animal que Deus criou foi preservada na arca. As espécies confusas que Deus não criara, resultantes da amálgama, foram destruídas pelo dilúvio. Desde o dilúvio, tem havido amálgama de homem e besta como pode ser visto nas quase infindáveis variedades de espécies animais e em certas raças de homens.”

Pesquisadores que investigaram o uso de outros fontes por Ellen G. White observaram também que “suas descrições de Enoque que tinha uma ‘luz santa’ sobre o semblante são semelhantes aos do Livro de Jaser onde Enoque tinha uma ‘aparência divina’ sobre seu semblante.” Dirk Anderson, no livreto A Nuvem Branca, demonstra num gráfico que as descrições do dilúvio de Noé do livro Patriarcas e Profetas parecem correr paralelas com o Livro de Jaser:

Patriarcas e Profetas

Livro de Jaser, o Livro dos Justos

Em meio à prevalecente corrupção, Metusalém, Noé, e muitos outros labutaram para manter vivo o conhecimento do verdadeiro Deus e deter a maré da iniqüidade. (p. 94)Eles não se dispunham a renunciar a seus pecados. (p. 95)Tivessem os antediluvianos crido nas advertências e se arrependido de suas obras más, o Senhor teria desviado o seu furor, como fez mais tarde com Nínive. (p. 97) 5:9. E Noé e Metusalém falaram todas as palavras do Senhor aos filhos dos homens, dia após dia, constantemente falando-lhes.5:10. Mas os filhos dos homens não lhes davam ouvidos, nem inclinavam seus ouvidos às suas palavras, mantendo-se na teimosia.5:11. E o Senhor concedeu-lhes um período de cento e vinte anos, dizendo, Se se volverem, então Deus se arrependerá do mal, a fim de não destruir a terra.
Mas no oitavo dia, nuvens escuras se espalharam sobre os céus. Seguiu-se o estrondo do trovão e o fulgor do relâmpago. Logo, grandes gotas de chuva começaram a cair. O mundo nunca havia testemunhado algo semelhante, e o coração dos homens estavam paralisados de terror. (p. 99) 6:11. E naquele dia …o sol escureceu … e o relâmpago reluziu, e o trovão ecoou, e todas as fontes na terra foram rompidas, tal como nunca se conheceu entre os habitantes antes; e Deus operou esse poderoso ato a fim de aterrorizar os filhos dos homens…
Outros mostravam-se aterrorizados, erguendo as mãos junto à arca e suplicando serem admitidos. Mas seus apelos eram vãos. A consciência por fim foi despertado ao fato de que há um Deus que reina nos céus. Suplicaram-Lhe ardorosamente, mas Seus ouvidos não estavam abertos ao clamor deles. (p. 100) 6:18. E chamaram a Noé dizendo: abre-nos para que possamos ir até vós na arca—e por que haveremos de morrer?6:23. [Noé respondeu:] “Mas agora vindes dizer-me isto por causa das aflições de vossas almas, agora também o Senhor não vos dará ouvidos, nem vos atenderá…”
A portentosa arca tremeu em cada fibra ao ser batida pelos impiedosos ventos e saltava de vagalhão a vagalhão. Os gritos das bestas dentro dela expressavam o temor e dor. Mas em meio aos elementos em conflito prosseguiu sua jornada em segurança. (p. 100) 6:28. E a arca flutuou sobre a face das águas, e era sacudida sobre as águas…6:30. E as criaturas viventes que estavam na arca estavam aterrorizadas e os leões rugiam, e os bois mugiam, e os lobos urravam, e toda criatura na arca falava e se lamentava em sua própria linguagem, de modo que suas vozes alcançavam grande distância. . .

O White Estate registra uma possível referência de Ellen White em visão acerca desse livro tido como “apócrifo”, na qual ela afirma: “Vi que o Apócrifo é o livro escondido e que os sábios destes últimos dias deverão entendê-lo.” Mas acrescenta: “Vi que a Bíblia é o Livro norma, que irá julgar-nos nestes últimos dias.”

“I then saw the Word of God, pure and unadulterated, and that we must answer for the way we received the truth proclaimed from that Word. I saw that it had been a hammer to break the flinty heart in pieces, and a fire to consume the dross and tin, that the heart might be pure and holy.I saw that the Apocrypha was the hidden book, and that the wise of these last days should understand it. I saw that the Bible was the standard Book, that will judge us at the last day. I saw that heaven would be cheap enough, and that nothing was too dear to sacrifice for Jesus, and that we must give all to enter the kingdom” (Manuscript Releases, vol. 16, p. 34).

O White Estate afirma, porém, que “o sentido e significado dessa declaração não é claro”.

Confira em: http://www.whiteestate.org/issues/faq-unus.html#unusual-section-h1

Links úteis (em inglês):

Pesquisa: Robson Ramos

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Por que os judeus foram expulsos de vários países?

Relacionado

O Senhor dos Milagres – Um dos melhores filmes infantis que já assisti. Através da animação, que mistura técnicas de movimento em bonecos de argila a recursos de computação gráfica.

Click na imagem para baixar Relacionado

Deixe uma resposta