Iníco / Nova Ordem Mundial, Tempo do fim / O GALARDÃO DO AMOR É GUERRA?

O GALARDÃO DO AMOR É GUERRA?

A cama dos Soldados Israelitas
ASSIM ONDE FICOU O AMOR?
Na Ucrânia?
Na Rússia?
Na Palestina?
Em Israel?
No Iraque?
No Irâ?
No Brasil?
Nos Estados Unidos?
Na Alemanha?
Na Bosnia?

                                           A Cama dos Palestinos.
O desejo de algo mais nos deixa insatisfeitos com as conquistas que por muito esforço nos foi abençoada.

O fruto da guerra entre Israel e Palestinos.

Assim, quando andamos pelas estradas da vida, com uma simples sandália, sonhamos com uma alparcata de marca, na compra de um veículo de locomoção, lindas roupas e toda espécie de luxuria e riquezas que o mundo tanto valoriza.
Na caminhada do quando mais temos é que mais queremos, esquecemos da vida e de como vivê-la de forma simples e feliz. O que temos não é suficiente, corremos o tempo todo em busca do ajuntar e esquecemos de nos alimentar com o que ganhamos. Com isso, morremos aos poucos sem conseguirmos aproveitar tudo que conseguimos na corrida maluca do desejo insaciável.
Nesse esteio do ter tudo ao mesmo tempo e do ser o melhor sempre, a felicidade de uma pessoa pela quantidade de fãs, pelo acúmulo de bens que consegue juntar, em suma, na rede dos desejos infinitos, a felicidade sempre está distante, uma visão interiorizada que gera sede e fome por grandes conquistas e muita fama.
Os textos seguintes foram extraídos das escrituras, por certo nos faz refletir acerca dos motivos pelos quais corremos tanto para ajuntar o que jamais experimentamos, o egoísmo da riqueza individual em face da miséria e fome dos demais. Assim leiamos com atenção o que segue:
(…)
A sepultura; a madre estéril; a terra que não se farta de água; e o fogo; nunca dizem: Basta! Provérbios 30:16
Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Filipenses 4:12
Eis aqui o homem que não pôs em Deus a sua fortaleza, antes confiou na abundância das suas riquezas, e se fortaleceu na sua maldade. Salmos 52:7
Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir. Eclesiastes 5:12
(…)
Ora, feito terra que não se farta de água, como cova que não nasce o que se planta, assim caminhamos no ajuntamento de riquezas e na corrida louca por prazeres e mais prazeres, famintos por algo que não entendemos, porém, queremos e praticamos o inimaginável para conquistas do ópio material e carnal, o mecônio é o que produzimos desde o nascimento até a morte.
Do alto desse poderio material e carnal, a maldade se agiganta pelo mundo. Nessa fome do ter, os homens matam uns aos outros, com justificativas absurdas, transformam-se num covil de matadores, amantes do discurso mentiroso, devidos em dois se atacam mutuamente, por óbvio a carnificina é ultrajante e vergonhosa.
Com efeito, como cabotinos da morte, demostram o poderio bélico como algo maravilhoso e motivo de orgulho.
Não obstante, são tragédias criadas nos gabinetes ocultos da politicagem, a vergonha falada aos ouvidos dos mestres da crueldade, os quais não se fartam da mortalidade de inocentes indefesos, massas de manobras dos desejos de homens do poder.
A carnificina entre Israel e Palestinos, entre Separatistas Ucranianos e Russos, a guerra Civil dos Sírios e tantas outras atrocidades plantadas pelos homens. No barco das guerras não tem vencedores como ensinam os livros de histórias, mas, na forma racional somente perdedores de todos os lados.
As imagens seguintes são assustadoras, nos deixa sem respostas, calados no fundo das nossas dúvidas e interrogações internas, AMOR ou guerra, qual é o n osso lado?
As imagens acima demosntra racionalidade ou irracionalidade?
Estamos falando de homens ou de feras?
Quem é o vencedor?
O pior ainda estpa por vir?
Por isso, sigamos o caminho da humildade, o obedecer amando uns aos outros, modelo de vida pelo qual chegamos as verdadeiras riquezas imateriais, a fartura espiritual que dinheiro não pode comprar pois nem todos os recursos financeiros de todo o mundo seriam suficientes para comprar um pedaço ínfimo da paz, o amor que não é vaidade não tem preço.
Vejamos o que nos revela as escrituras:
O galardão da humildade e o temor do SENHOR são riquezas, honra e vida. Provérbios 22:4
Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade. Eclesiastes 5:10
A felicidade é fácil de ser conseguida, no caminho estreito ei-la disponível em abundância no barco do amor divino, na paz obediente do servir uns aos outros, no estarmos contentes com o que temos recebidos e conquistado. Não importa o quanto temos, somos felizes tanto na fartura quando na falta de abundância, todavia, somo felizes com pequenas coisas pois estamos no galardão humilde do temos do Deus poderoso, IAHWEH.
PARA ENTRARMOS PELA PORTA DA VIDA NÃO NECESSITAMOS DE RIQUEZAZ E DE GUERRAS, MAS DE HUMILDADE, FÉ, ESPERANÇA, AMOR E PAZ.
Fonte: http://martinhociriacodematos.blogspot.com.br/2014/08/o-galardao-do-amor-e-guerra.html
Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Quanto vale o seu fígado

Relacionado

DESMASCARANDO FALSOS PROFETAS DO SISTEMA E DO YOUTUBE

Relacionado

Deixe uma resposta