Iníco / Sistema Religioso e Apostasia / TERRA PLANA: Sem base bíblica, Igreja Católica introduziu crença no mundo esférico giratório entre as doutrinas da fé cristã

TERRA PLANA: Sem base bíblica, Igreja Católica introduziu crença no mundo esférico giratório entre as doutrinas da fé cristã

[Quando o texto que reproduziremos a seguir foi escrito, católicos, luteranos, adventistas e outros protestantes ainda não haviam dado as mãos para organizarem juntos a Festa de 500 anos da Reforma Protestante, no Dia das Bruxas deste ano de 2017. O Papa ainda não tinha introduzido uma estatua de Martinho Lutero no Vaticano e não sinalizava que poderia suspender sua excomunhão neste ano como já se cogita.

Ninguém sequer imaginava que a Igreja Católica pudesse vir a se demonstrar tão compreensiva com Lutero a ponto de elogiá-lo e dizer que houve razões internas na Igreja para que ele fizesse o que fez. A rivalidade entre católicos e protestantes era tanta que o apologista católico autor desse texto julgou importante demonstrar que a Igreja Católica havia sido a responsável por substituir a cosmologia hebraica e bíblica pela crença em uma Terra redonda e giratória, com base na filosofia grega.

A publicação desse texto visa a demonstrar que a doutrina não bíblica da esfericidade da Terra que giraria em torno do Sol é mais uma das ações do Papado romano, que impôs sua versão de cristianismo à humanidade, modificando inclusive a visão de mundo original, de uma Terra plana vizinha do Céu, onde está nosso Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo.]

GALILEU X IGREJA

Dizia o desinformado pastor Afonso Martins Fernandes Neto, entre outras mentiras que também já estão sendo desmascaradas pelo Museu da Mentira Protestante:

“A Igreja Católica mais uma vez é ridicularizada pela comprovação dos fatos e pela ciência moderna, assim foi com Galileu quando o Papa ordenou sob pena de morte pela fogueira que este cientista negasse que a terra era redonda e ainda girava…”

ONDE SE ENCONTRA A MENTIRA:

http://www.ccp.org.br/um_jesus_diferente.htm (Onde se lê ccp, digite “cacp”. Apresentamos o link do CACP deste modo, para evitar que automaticamente este artigo fosse deletado, como o foi várias vezes.)

A VERDADE DOCUMENTAL:

Pura ignorância deste que se diz “pastor”. A Ciência Moderna só confirma as verdades da Igreja. Veja isso adiante, neste texto, nos relatos dos pais da Teoria da Relatividade: Max Planck e Albert Einstein, que acabam por corrigir a precipitação de Galileu, que alguns retrógrados, “medievais” e ultrapassados, erroneamente propalam hoje, com leviano intuito de insultar a Igreja Católica, mãe das universidades. Seus filhos são detentores dos maiores projetos científicos da humanidade, entre eles o que provou matematicamente, pela primeira vez, O Sistema Geocêntrico, O Projeto Genoma, e também ganhadores do maior prêmio científico já pago pela ciência moderna, O prêmio Templeton. As quimeras lançadas contra a Igreja cairão todas por terra, ao final da leitura deste artigo.

Consta na biografia do padre Copérnico, http://www.euniverso.com.br/Cult/Mestres_e_artistas/Copernico.htm que em 1529, (mais de trinta anos antes de Galileu nascer), circulava entre os astrônomos um manuscrito Nic. Copernici de Hypothesibus Motuum Coelestium a se Constitutis Commentariolus (“Pequenos Comentários de Nicolau Copérnico em Torno de Suas Hipóteses sobre os Movimentos Celestes”), onde o religioso Copérnico, apresentava o sistema heliocêntrico como uma hipótese. Em 1533, o Papa Clemente VII solicitou a exposição da teoria em Roma (Galileu só nasceria em 1564), e em 1536 o Cardeal Schönberg pediu sua publicação, mas Copérnico achava que deveria primeiro elaborar uma teoria completa, que fosse nitidamente superior ao sistema de Ptolomeu.

Passado o tempo, e tendo concluído seus estudos, o cônego Copérnico, muito antes de Galileu pensar em ser cientista, já havia presenteado o Papado com a dedicatória de sua obra que mostra o sistema geocêntrico e a terra redonda, provado matematicamente. Coisa que nem naquele tempo, terra redonda era novidade. O dito “pastor” Afonso, parece desconhecer isto, e que o cônego Nicolau Copérnico, membro da Igreja, já havia dedicado sua famosa obra “De Revolutionibus (“As Revoluções”)” ao Papa Paulo III .

Mas, eis que no tempo de Copérnico, um “pastor” luterano, chamado Andrea Osiander, na gráfica sabotou a obra, na dedicatória ao Papa e em seu título, a reduzindo à “caráter hipotético”. Veja no texto abaixo, retirado da Biografia de Copérnico, que a desonestidade protestante não vem de hoje:

<< Em 1540, Rheticus enviou para publicação o livro completo de Copérnico, De Revolutionibus (“As Revoluções”), cujo primeiro exemplar chegou às mãos de Copérnico em leito de morte, em 1543. Provavelmente não teve consciência de que o seu prefácio, dedicado ao Papa Paulo III, fora substituído por outro, anônimo, de Andreas Osiander (1498-1552), um pastor Luterano interessado em Astronomia, em que insistia sobre o caráter hipotético do novo sistema, e também modificando o nome para De Revolutionibus Orbium Coelestium (“As Revoluções do Orbe Celeste”). No livro Copérnico declarava que a Terra cumpria “uma revolução em torno do Sol, como qualquer outro planeta”, como já haviam afirmado Pythagoras e Aristarchus de Samus, que Copérnico já tinha lido. Mas Copérnico desenvolveu a idéia matematicamente. >> Fonte: http://www.euniverso.com.br/Cult/Mestres_e_artistas/Copernico.htm

Observe acima, que já era do conhecimento Igreja, que a terra cumpria “uma Revolução em torno do sol”. O Papa nunca questionou se a terra era redonda ou não, todos sabiam que a terra era redonda muito antes de Galileu nascer. Santo Alberto Magno, que viveu entre 1193 e 1280, e que foi mestre de São Tomás de Aquino, defendeu as idéias geográficas de Aristóteles, inclusive a esfericidade da Terra. São Tomás de Aquino – o maior gênio medieval – tratou da questão em pauta na Suma Teológica (I., q.1, a.1, ad2). A imagem de Nossa Senhora de Montserrat, padroeira da Catalunha, do século XI, é de madeira pintada, de estilo romântico, até hoje venerada em Montserrat. Tanto ela como o menino Jesus, têm nas mãos o globo representativo da Terra, da qual a Virgem Maria é Rainha e da qual Cristo é Criador e Senhor. Se a Igreja representava a Terra por um globo, séculos antes de Galileu nascer, é porque sabia que ela é redonda. Crates de Malus (145 A.C.) foi o primeiro a construir um globo para representar a Terra, (Enciclopédia Espasa Calpe, Barcelona, verbete Mapa, vol. XXXII, pág.1132).

O problema de Galileu não foi defender o heliocentrismo, como caluniam alguns desinformados hoje, pois outros cientistas já defendiam esta teoria já conhecida da Igreja, mas colocar à prova as Escrituras Sagradas. Galileu afirmava que as Escrituras estavam erradas, pois em Josué (10,12-13), o Sol jamais poderia parar, mas a Terra, e queria que as Escrituras fossem alteradas. Na verdade, o que questionou-se no julgamento de Galileu, foi o modo como ele afrontou às Sagradas Escrituras.As Escrituras afirmam que “o sol se deteve … quase um dia inteiro (Josué 10,13), demonstrando um excepcional milagre divino, alheio ao que já se conhecia há muito do universo. Galileu contra argumentava que o sol sempre foi fixo, e só os planetas e astros se moviam. Hoje sabe-se que não é bem assim, até as galáxias viajam em movimentos circulares. Sua punição foi apenas uma curta reclusão domiciliar em 1633, por contradizer as Escrituras. Galileu era católico e tinha uma filha freira, este viveu e morreu católico, em avançada idade. O túmulo de Galileu que, por sinal, situa-se de frente ao de Leonardo da Vinci, está localizado na atual Catedral Católica de Florença, Itália, por consentimento de seus parentes que nada tinham contra a Igreja, para estrebucho do caluniador “pastor” Afonso.

O Papa do tempo de Galileu foi Urbano VIII. Era, há muitos anos, um admirador de Galileu, a quem inclusive havia dedicado uma poesia latina em que louvava seus descobrimentos astronômicos. Além disso, desde o primeiro momento, teve em postos muita confiança em vários amigos e partidários de Galileu. Em 1624 Galileu foi a Roma e o Papa o recebeu seis vezes, com grande cordialidade. (Antonio Favaro: Le Opere di Galileo Galilei, 20 volumes, reimpressão, G. Barbèra Editore, Firenze 1968).

As desculpas que coube a Galileu foi apenas por sua rápida reclusão domiciliar, não por Galileu estar certo e a Igreja errada. Isto é falso! Hoje sabemos que a Igreja fez muito bem, defendendo a palavra de Deus como está na Bíblia, em Josué 10,13, a menos que alguém queira discutir com Max Planck e Albert Einstein (da Teoria da Relatividade): “Se tomarmos, por exemplo, um sistema de referências fixamente ligado com a nossa Terra, teremos de afirmar que o Sol se move no céu; se, inversamente, deslocarmos o sistema de referência para uma estrela fixa, o Sol encontra-se em repouso. Na oposição entre estas duas formulações não existe contradição nem obscuridade: trata-se somente de duas maneiras diferentes de considerar as coisas. Segundo a teoria física da relatividade, que atualmente pode ser considerada como aquisição científica assegurada, ambos os sistemas de referência e os modos de consideração que lhes correspondem são igualmente corretos e igualmente justificados, e é fundamentalmente impossível, sem arbitrariedade, decidir entre eles através de quaisquer medições ou cálculos”. (Max Planck, in Vorträge und Erinnerungen, Stuttgart, 1949, p. 311).

Isto claramente prova que a Igreja, não estava “errada”, como pregam certos indoutos linguareiros, para rapinar na ignorância.

Note que o eminente Max Planck fala em “sistema de referência”. Realmente, não podemos afirmar que o universo possui um ponto fixo (seja o sol, a terra ou qualquer outro astro). Não estamos falando de um carrossel com cavalinhos girando em torno de uma base! Portanto, Galileu precipitava-se. Assim o Papado acertava pela cautela, e pela fé na palavra de Deus, que não foi mudada nem mudará. Já do memorável Galileu, a Enciclopédia Encarta 99, diz o seguinte: [a última obra de Galileu, Discursos e demonstrações matemáticas sobre duas novas ciências, publicada em Leiden em 1638, revisa e aprimora seus primeiros estudos sobre o movimento e os princípios da mecânica em geral.]. Disso os inimigos da Igreja não falam.

Como vemos, foi um padre, chamado Copérnico, muito antes de Galileu, que apresentou as revoluções da terra provadas matematicamente. Enquanto a Igreja Católica se esforçava para publicar a obra científica, que tinha dedicatória dada ao Papa, os protestantes inimigos da ciência a sabotaram pelas mãos de um pastor. O desprezo protestante à Copérnico e à ciência, ficou documentado nas palavras de Lutero, que dizia:

“O abade Copérnico surgiu, pretendendo que a terra girasse em torno do Sol”. Lutero deu de ombros. “Lê-se na Bíblia que Josué deteve o Sol; não foi a Terra que ele deteve. Copérnico é um tolo.” (Funck-Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi, 1956, 2a. ed. Pág. 145).

“A razão é a prostituta, sustentáculo do diabo, uma prostituta perversa, má, roída de sarna e de lepra, feia de rosto (sic), joguemos-lhe imundícies na face para torná-la mais feia ainda.” (Funck-Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi, 1956, 2a. ed. Pág. 217).

Hoje o que vemos, são alguns caluniadores protestantes e outros inimigos da Igreja de Cristo, desonestamente querendo inverter os papéis, caluniando que a Igreja é “inimiga da ciência”.

Rodney Stark, professor de Sociologia e de Religiões Comparadas de Washington, em seu livro “For the Glory of God” mostra que a Igreja Católica, além de ter sido a primeira a se opor à escravatura, foi a força motriz por trás da emergência da ciência moderna. Segundo Stark, a crença na verdade de que a criação é um trabalho de Deus, gerou o progresso científico que não começou no século XVIII, mas com a escolástica medieval. Não é a toa que a maioria dos grandes gênios, inventores e músicos do passado e de hoje, eram ou são, em sua maioria católicos. Inclua-se aí o pai do Projeto Genoma.

O católico biólogo americano, Francis Collins é um dos cientistas mais notáveis da atualidade. Diretor do Projeto Genoma, bancado pelo governo americano, foi um dos responsáveis por um feito espetacular da ciência moderna: o mapeamento do DNA humano, em 2001. Desde então, tornou-se o cientista que mais rastreou genes com vistas ao tratamento de doenças em todo o mundo.

http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=43539&cat=Artigos&vinda=S

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Santuário “Terra Plana”: Engenheiro encontra o número de PI (ou π) em medidas do Tabernáculo Hebreu

(Tradução automática do Google) A Bíblia nos ensina sobre o tabernáculo ou tenda da congregação, …

Terra plana adventista: Localizamos mais literatura terraplanista publicada por irmãos do século XIX

Faz algum tempo que noticiamos aqui o caso do Pastor Adventista, que foi expulso do …

Deixe uma resposta