Apresentadora da BBC Lisa Shaw e advogado brasileiro Bruno Graf morreram de complicações causadas por vacina anticovid

https://i2.wp.com/www.adventistas.com/wp-content/uploads/2021/08/apresentadora-advogado.png?w=618Uma locutora de rádio morreu de complicações da vacina AstraZeneca Covid-19, segundo os médicos.

Lisa Shaw, que trabalhava para a BBC Radio Newcastle, morreu aos 44 anos em maio do mesmo ano, após desenvolver dores de cabeça uma semana após receber a primeira dose da vacina.

A legista de Newcastle, Karen Dilks, foi informada de que a Sra. Shaw sofreu coágulos sanguíneos em seu cérebro que eventualmente a levaram à morte.

No final de uma audiência que durou menos de uma hora, a legista sênior de Newcastle, Karen Dilks, deu uma conclusão narrativa, que dizia:

“Lisa morreu de complicações de uma vacina AstraZeneca Covid.”

https://i0.wp.com/www.adventistas.com/wp-content/uploads/2021/08/A6D39758-3584-4CF0-AB4A-BC8B706265DA.jpeg?w=618

Anteriormente, o patologista Tuomo Polvikoski disse ao legista que a Sra. Shaw, uma conhecida apresentadora da BBC Newcastle, estava em forma e saudável antes de receber suas vacinas.

A pesquisa relatou que a condição associada à vacina Oxford-AstraZeneca era muito rara.

A Sra. Dilks disse que a Sra. Shaw estava anteriormente em forma e bem, mas concluiu que estava “claramente estabelecido” que sua morte foi devido a uma rara “trombocitopenia trombótica induzida pela vacina”, uma condição que leva ao inchaço e sangramento no cérebro.

A Sra. Shaw, mãe de um filho de Consett, recebeu sua primeira dose da vacina em 29 de abril.

Em 13 de maio, ela foi levada de ambulância ao North Durham University Hospital após sofrer de dor de cabeça por vários dias.

Em um comunicado, o Dr. John Holmes que a tratou disse que ela se queixou de ter uma “forte dor de cabeça em pontadas” na testa e atrás dos olhos.

Testes foram realizados e coágulos sanguíneos foram encontrados em seu cérebro, o que a levou a ser transferida para a unidade de neurologia especializada no Royal Victoria Infirmary (RVI) em Newcastle.

O Dr. Christopher Johnson, o consultor em anestésicos e terapia intensiva da RVI, disse que Shaw estava consciente há vários dias e havia sido tratado para os coágulos com drogas que pareciam ter sucesso.

Mas na noite de 16 de maio, a Sra. Shaw disse que suas dores de cabeça estavam piores e que ela estava tendo problemas para falar.

Testes mostraram que ela havia sofrido uma hemorragia cerebral e, depois que sua condição piorou, parte de seu crânio foi removida para tentar aliviar a pressão dentro de sua cabeça.

Sua condição continuou a piorar e, apesar de novas cirurgias e tratamentos, ela morreu em 21 de maio.

O Dr. Johnson disse que os médicos participaram de uma conferência diária com um painel nacional sobre trombocitopenia trombótica induzida por vacina, uma condição que acredita-se que Shaw sofra.

Questionado sobre se ele teria mudado os tratamentos dados à Sra. Shaw, ele disse: “Não.”

O Dr. Johnson disse que o Instituto Nacional de Excelência em Saúde e Cuidados (Nice) publicou diretrizes sobre como tratar a doença em julho, que correspondem ao tratamento que Shaw recebeu.

“Lisa recebeu todos os tratamentos recomendados na ordem em que foram recomendados”, disse ele.

“Se tivéssemos as mesmas condições amanhã, faríamos a mesma coisa.”

O Dr. Tuomo Polvikoski, um neuropatologista consultor que examinou Shaw após sua morte, disse que, dado seu histórico de saúde e nenhum problema médico, foi “surpreendente” que ela morreu de coágulos sanguíneos e sangramento no cérebro.

A Dra. Polvikoski disse “no devido tempo” que “parece mais provável” que sua morte foi “de fato induzida pela vacina”.
Dilks disse que a condição era “muito rara”, mas concordou com as descobertas do Dr. Polvikoski.

Após a audiência, a família da Sra. Shaw disse em um comunicado:

“Este é mais um dia difícil em um momento devastador para nós.

“A morte de nossa amada Lisa deixou um terrível vazio em nossa família e em nossas vidas.

“Ela realmente era a esposa, mãe, filha, irmã e amiga mais maravilhosa.”

O advogado brasileiro Bruno Oscar Graf, um jovem saudável de 28 anos, após tomar a vacina AstraZeneca, teve febre e fortes dores de cabeça foi hospitalizado e morreu de trombocitopenia trombótica.

Sua mãe foi informada pelos médicos que só neste mês, ocorreram mais 3 mortes pelo mesmo motivo.

https://i2.wp.com/www.adventistas.com/wp-content/uploads/2021/08/unnamed-3-1024x1744-1.jpg?resize=610%2C1039

Postagem no Twitter feita pela mãe de Bruno.

O hospital apontou como causa de morte o AVC, o que a mãe discorda e, pelo que ela entende, os médicos sabem que a causa está relacionada à vacina.

Como a mãe não aceita o resultado da certidão de óbito, o hospital cobrou R $ 3.875 (reais) para que ela fizesse o exame para “confirmar” a causa do óbito.

A família de Bruno está descontente com a morte do jovem e clama por justiça.

https://i0.wp.com/www.adventistas.com/wp-content/uploads/2021/08/unnamed-2.jpg?resize=500%2C890

A foto foi tirada 3h antes da morte de Bruno

“Doamos todos os órgãos do nosso filho mais novo, de 28 anos, porque ele estava perfeito e hoje estão sendo retirados durante o dia.

Não posso deixar assim sem que outros pais sejam alertados.

As vacinas não foram desenvolvidas para os jovens. ” Afirmou a mãe do jovem.

Bruno foi sepultado no dia 28 de agosto, na cidade de Blumenau Santa Catarina, no Brasil.

Fonte: https://mw3.news/bbc-presenter-lisa-shaw-and-brazilian-lawyer-bruno-graf-died-from-complications-caused-by-vaccine/

Veja também:

https://www.dailymail.co.uk/news/article-9928939/BBC-presenter-Lisa-Shaw-died-complications-caused-AstraZeneca-covid-jab-coroner-rules.html

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

“Vocês me ensinaram a não beber café e agora querem me obrigar a me vacinar?”

O Capitão Graham Hood ainda é funcionário da Qantas Airways. Qantas Airways Limited é a …

Revista Adventista, por favor, cancele o decreto favorável à perseguição dos não-vacinados — Parte 1

Uma palestra imperdível de uma das maiores autoridades médicas americanas sobre a crise de saúde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.