Iníco / Artigos / DEZ PROVAS DE QUE PEDRO NUNCA ESTEVE EM ROMA

DEZ PROVAS DE QUE PEDRO NUNCA ESTEVE EM ROMA

1. – A COMISSÃO DE CRISTO A PEDRO – Esta sempre representa um embaraço aos católicos; Cristo comissionou Pedro a se tornar o principal apóstolo aos CIRCUNCISOS (judeus), não aos incircuncisos (gentios).

“Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, como a Pedro o da CIRCUNCISÃO (Porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da CIRCUNCISÃO, esse operou também em mim com eficácia para com os gentios)”.

Esta verdade está expressa na linguagem mais clara. Paulo, não Pedro, é quem foi comissionado para ser apóstolo entre gentios. E quem escreveu a Epístola ao Romanos? Claro que não foi Pedro (Gálatas 2:9).

“E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à CIRCUNCISÃO;” (Gl 2:9 ACF)

Paulo também menciona o seu ofício especial como apóstolo aos gentios, na 2 Timóteo 1:11:

“Para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios”.

Em parte nenhuma Pedro é chamado um apóstolo aos gentios. Isto torna impossível ele ter ido a Roma, para se tornar o líder da comunidade gentia.

2. – PAULO DISSE, ESPECIFICAMENTE, AOS GENTIOS ROMANOS, QUE ELE, NÃO PEDRO, HAVIA SIDO ESCOLHIDO PARA SER O APÓSTOLO DELES:

“Que seja ministro de Jesus Cristo para os gentios, ministrando o evangelho de Deus.” (Rom. 15:16).

Paulo recebeu este encargo diretamente de Cristo. Ele até relata, ainda mais, em Romanos 15:16, que foi Cristo que o tinha escolhido “para que seja agradável a oferta dos gentios, santificada pelo Espírito Santo.”

PAULO estabeleceu a única igreja [local] VERDADEIRA em Roma. NÃO Pedro.

3. – SOMOS INFORMADOS, PELO PRÓPRIO PAULO – QUE FOI ELE, NÃO PEDRO, QUEM AINDA IRIA A ROMA, PARA FUNDAR, OFICIALMENTE, ALI, A IGREJA [local] DAQUELA CIDADE. (Rom. 1:11).

“Porque desejo ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que sejais confortados;” (Rm 1:11 ACF)

A igreja [local] em Roma não foi oficialmente estabelecida, senão em 55 ou 56 d.C. Mesmo assim, os católicos gostariam que acreditássemos que Pedro fez isso, dez anos antes, no reinado de Cláudio. Nem Pedro nem Paulo estabeleceram a Igreja Católica [universal]. Estas provas são dadas, principalmente, para ilustrar que é absolutamente impossível que Pedro esteja, de algum modo, associado a QUALQUER igreja em Roma.

4. – ENCONTRAMOS PAULO NÃO APENAS DESEJANDO ESTABELECER A IGREJA [local] EM ROMA – como afirmando, enfaticamente, que a sua política NUNCA foi a de edificar sobre alicerce lançado por outro homem “E desta maneira me esforcei por anunciar o evangelho, não onde Cristo foi nomeado, PARA NÃO EDIFICAR SOBRE FUNDAMENTO ALHEIO;” (Rm 15:20 ACF)

Se Pedro tivesse fundado a igreja [local] em Roma, uns dez anos antes desta declaração, ela representaria uma séria afronta a Pedro. Esta simples declaração é uma prova de que Pedro nunca esteve em Roma, antes desse tempo, para ali fundar igreja alguma.

5. – NO FINAL DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS ROMANOS – Paulo saúda nada menos de 28 pessoas diferentes, mas NUNCA MENCIONA PEDRO, UMA VEZ SEQUER. Vejam Romanos 16. Leiam todo o capítulo.

“1 ¶ Recomendo-vos, pois, Febe, nossa irmã, a qual serve na igreja que está em Cencréia, 2 Para que a recebais no Senhor, como convém aos santos, e a ajudeis em qualquer coisa que de vós necessitar; … 3 Saudai a Priscila e a Áqüila, … a Epêneto, … a Maria, … a Andrônico e a Júnias, … a Amplias, … a Urbano, … a Estáquis, … a Apeles, … aos da família de Aristóbulo. … a Herodião, … aos da família de Narciso, … a Trifena e a Trifosa, … Pérside, … Rufo, … Asíncrito, a Flegonte, a Hermes, a Pátrobas, a Hermas, … a Filólogo e a Júlia, a Nereu e a sua irmã, e a Olimpas, ….” (Rm 16:1-27 ACF)

Lembrem-se que Paulo saudou estas pessoas em 55 a 56 d.C.. Por que ele não mencionou Pedro? Simplesmente porque Pedro não estava ali.

6. – UNS 4 ANOS APÓS TER ESCRITO AOS ROMANOS – Paulo foi levado como prisioneiro a Roma, a fim de comparecer diante de César. Quando [os membros] da comunidade cristã souberam da chegada de Paulo, foram todos encontrá-lo (Atos 28:15).

“E de lá, ouvindo os irmãos novas de nós, nos saíram ao encontro à Praça de Ápio e às Três Vendas, e Paulo, vendo-os, deu graças a Deus e tomou ânimo.” (At 28:15 ACF)

Mais uma vez, não existe uma única menção a Pedro entre esses cristãos. Isto seria um absurdo, se Pedro estivesse em Roma, pois Lucas sempre menciona os principais apóstolos, em sua narrativa de Atos. Mas ele não fala coisa alguma sobre Pedro encontrando Paulo. Por que? Porque Pedro não estava em Roma.

7. – QUANDO, FINALMENTE, PAULO CHEGOU A ROMA – a primeira coisa que ele fez foi convocar “os principais dos judeus” (Atos 28:17), aos quais ele declarou “aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé em Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas, desde a manhã até à tarde.” (verso 23).

Curioso é que os principais dos judeus afirmaram que pouco sabiam sobre os ensinos básicos de Cristo. O que eles sabiam era que “em toda parte se fala contra esta seita”. (verso 22). Então, Paulo começou a explicar-lhes os ensinos básicos de Cristo sobre o reino de Deus. Alguns creram… Mas alguns não creram. O que isto significa? – Que se Pedro, um forte partidário dos judeus, estivesse pregando constantemente em Roma, durante 14 anos, antes desse tempo, e continuasse ali – como podiam esses líderes judeus ter conhecido tão pouco as mais básicas verdades do Cristianismo? Esta é mais uma clara prova de que Pedro não havia estado em Roma, antes de 56 d.C.

8. – APÓS A REJEIÇÃO DOS ANCIÃOS JUDEUS – Paulo alugou sua própria casa, por dois anos. Durante esse tempo, ele escreveu as Epístolas aos Efésios, Filipenses, Colossenses, Filemom e Hebreus. Conquanto Paulo mencione outros cristãos como estando em Roma, durante aquele período, em parte nenhuma ele mencionou Pedro. A razão óbvia é que Pedro, o apóstolo da circuncisão, não estava em Roma.

9. – QUANDO TERMINOU A PRISÃO DE PAULO, POR DOIS ANOS – ele foi libertado. Mas, 4 anos depois (65 d.C.), ele foi enviado de volta à prisão em Roma. Nesse tempo, ele teve de comparecer diante do trono de César e foi condenado à morte. [Segundo antigos historiadores, Paulo esteve preso em Roma 2 anos, entre 61-63 d.C; depois, foi libertado da prisão, viajou e pregou em vários locais (talvez até na Espanha); novamente foi aprisionado em 66 d.C; finalmente foi decapitado por ordem de Nero, em 67 dC. Tudo isto casa com várias evidências na Bíblia. Ver, por exemplo, http://www.christiancourier.com/articles/144-pauls-two-year-roman-imprisonment e http://www.matthewmcgee.org/paultime.html ] Paulo descreve amplamente estas circunstâncias, na 2 Timóteo 4:16: “Ninguém me assistiu na minha primeira defesa, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado”.

Isto significa que, se fôssemos acreditar nos [padres] católicos, diríamos que Pedro abandonou Paulo, visto como eles costumam afirmar que Pedro estava muito presente em Roma, durante o julgamento de Paulo. Uma vez, Pedro negou Cristo, mas isso aconteceu antes de sua conversão. Acreditar que Pedro estava em Roma durante a condenação de Paulo é insustentável.

10. – PAULO ESCREVEU A TIMÓTEO (2 Timóteo 4:16) – “Ninguém me assistiu na minha primeira defesa, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado”. A verdade se torna clara. Paulo escreveu a Roma, ele havia estado em Roma e, no final, escreveu, pelo menos, seis epístolas de Roma, porém nunca mencionou Pedro. E, na 2 Timóteo 4:11, ele diz: “Só Lucas está comigo”. Portanto, Pedro nunca foi o Bispo de Roma.

Onde Pedro estava?

Em 45 d.C., encontramos Pedro sendo posto na prisão, em Jerusalém (Atos 12:3-4). Em 49 d.C., ele ainda permanece em Jerusalém, participando do Concílio de Jerusalém. Em 51 d.C., ele esteve em Antioquia da Síria, onde teve um desentendimento com Paulo, porque ter-se recusado a comer com os gentios. Seria estranho um Bispo de Roma não quis ter coisa alguma a ver com os gentios, em 51 d.C. [N.T. Seria como o papa Ratzinger chegar ao Brasil, ficar sempre com os judeus e desprezar os católicos].

Mais tarde, em cerca de 66 d.C, encontramos Pedro na Babilônia, entre os judeus (1 Pedro 5:13).

“A vossa co-eleita em Babilônia vos saúda, e meu filho Marcos.” (1Pe 5:13 ACF)

Lembrem-se que Pedro era o apóstolo aos circuncisos [isto é, apóstolo somente para os judeus]. Então por que estaria ele na Babilônia? Porque a história mostra que havia muitos judeus nas áreas da Mesopotâmia, no tempo de Cristo, do mesmo modo como havia na Palestina. Não é de admirar, portanto, que Pedro ali estivesse. Talvez seja esta a razão por que alguns eruditos afirmem que, em seus escritos, Pedro tem um forte sabor aramaico – do tipo do Aramaico falado na Babilônia. Sem dúvida, Pedro estava habituado ao seu dialeto oriental.

No período de tempo em que os [padres] católicos acreditam que Pedro estava em Roma, a Bíblia mostra claramente, que ele estava em um lugar diferente. A evidência é abundante e conclusiva. Quando alguém presta atenção à exata Palavra de Deus, não precisa ser enganado. PEDRO NUNCA FOI O BISPO DE ROMA.

Trecho extraído de

http://reformation.org/simon_peter_versus_simon_magus.html

Tradução e adaptação de Mary Schultze, em 01/07/2012.
http://www.cpr.org.br/Mary.htm

Compartilhar isso:

Sobre Paulo Pinto

Além disso, veja também:

Por que os judeus foram expulsos de vários países?

Relacionado

O Senhor dos Milagres – Um dos melhores filmes infantis que já assisti. Através da animação, que mistura técnicas de movimento em bonecos de argila a recursos de computação gráfica.

Click na imagem para baixar Relacionado

7 comentários

  1. muito bem Bereanos, sou adventista,Maranhense e desejo conhecer mais verdades, continuem, nem todos vão aceitar, mas os que procuram as verdades sim esses encontraram a verdades. em breve depois de estudar mais um pouco me comunicarei com vocês.

    • IRMÃO REGINALDO,
      GRAÇA E PAZ.
      O ESPÍRITO DE DEUS NOS GUIA EM TODA A VERDADE, LIBERTANDO-NOS DOS ERROS DOUTRINÁRIOS QUE POUCO A POUCO SE INFILTRARAM NO CRISTIANISMO.
      AGUARDAMOS SUAS MENSAGENS.
      JOÃO 8:32 E 36.
      MARANATA

  2. Sou católico e Mariano, tenho grande respeito e admiração pelos irmãos evangélicos. Portanto, a ASSEMBLÉIA DE DEUS – Min. Belém – Setor 37 – Rua Manoel Quiles, 37 – Centro – Itapevi – SP CEP: 06694-070 Fone: 4142-1096, está plenamente correta em dizer em seu site: “Sem dúvida o termo co-eleita refere-se a uma IGREJA”. (Ipedro-5,13)
    Depois, basta pegar o trecho em que nosso Senhor se vira para Simão e diz: “Eu te digo: tu és Pedro (em aramaico pedra) e sobre esta pedra eu edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela”. E Eu te darei as chaves do reino dos céus e tudo o “O que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus.” DEUS é a figura central de todas as igrejas, cada uma com a sua respeitosa Doutrina, pois a verdadeira religião é aquela que soma para unir os irmãos de todas as igrejas, seja ela qual for. RELIGIÃO NÃO SE DIVIDE, ACRESCENTA. PAZ DO SENHOR E SALVE MARIA.

  3. Não podemos esquecer que Pedro pregou para Cornélio (primeiro gentio a se conveter ao cristianismo), Atos 10. Desta forma não podemos rotular Pedro como pregador exclusivo dos judeus.

    A paz do Senhor

  4. Então Paulo é que foi a roma fundar a Igreja. Que diferença faz , Paulo ou Pedro, A gente sabe qual Igreja foi fundada. MAS PREFIRO ACREDITAR em quem viveu aquela época ou anos após , como Santo Agostinho, Lino, escritos de Nero, e milhares de documentos antigos do que alguém que nasceu neste século, 2000 anos depois . Não há razão para tanta arrebatamento. Se a Igreja Católica acredita ou sabe, nos seus 2000 anos que Pedro esteve em Roma , não será agora , em uma igreja oriunda pela reforma , 1600 anos depois, que virá dizer a VERDADE VERDADEIRA. Poderia ser Paulo, o que importa???? Não sei porque vocês se preocupam tanto com os Católicos.

Deixe uma resposta