Papa Francisco: “Nós observamos os mandamentos de Deus, mas não como absolutos”

https://i0.wp.com/www.adventistas.com/wp-content/uploads/2021/08/Pope-Francis-Gods-law-not-absolute-1024x601-1.jpg?resize=618%2C363

Por Andy Roman

O Papa Francisco, em sua catequese na Audiência Geral na quarta-feira, 18 de agosto de 2021, fez as seguintes palavras polêmicas e blasfemas em relação à Lei de Deus e à Graça de Cristo. As declarações estão registradas nos dois parágrafos finais de um artigo publicado pelo Vaticano News. O Papa expressou o seguinte:

‘É bom nos perguntarmos se ainda vivemos no período em que precisamos da Lei, ou se, pelo contrário, temos plena consciência de termos recebido a graça de nos tornarmos filhos de Deus para vivermos no amor.’ É uma boa pergunta, disse ele, e acrescentou uma segunda: ‘Eu desprezo os Mandamentos?’ Ele também respondeu: ‘Não. Eu os observo, mas não como absolutos , porque sei que é Jesus Cristo quem me justifica . ‘ [1]

Roma está realmente vomitando heresia relativística ao confundir a lei de Deus com o amor. O Papa concluiu que a lei de Deus não é “absoluta”. Isso está deixando o mundo cristão à deriva em um mar de dúvidas que só levará a mais ilegalidade e pecado. É óbvio que muitas das principais denominações não estão mais lendo a Bíblia. Por que deveriam se eles acreditam que a palavra de Deus não é mais absoluta e não deve ser confiável?

Deus ama pecadores impenitentes? A Bíblia nos diz, sim, que Deus ama o mundo inteiro (João 3:16); mas, o amor de Deus não é como o nosso amor. O amor de Deus é santo, é perfeito, é justo e reto. Falando de Deus, Moisés disse: “Sua obra é perfeita: porque todos os seus caminhos são juízo: um Deus de verdade e sem iniqüidade, justo e reto é ele”. Deuteronômio 32: 4.

Isso significa que Deus sempre age de acordo com o que é certo e é Ele mesmo o padrão final e absoluto de justiça. O amor, caráter, verdade e mensagens de Deus são todos absolutos! Sua verdade não está sujeita aos sentimentos ou percepções de ninguém. Sua mensagem não é apenas uma das muitas visões que podemos escolher seguir ou não. Deus não é um homem que vai mentir, enganar, ser influenciado ou subornado. Deus nunca falará conosco fora do contexto ou nos dará informações ruins que estejam desatualizadas.

E Sua Lei não é relativa, o que significa que é verdadeira apenas no que se refere ao meu entendimento. Quando Jesus veio a este mundo, observe a condição em que ele se encontrava. Foi semelhante ao que está acontecendo hoje:

“Ele viu seu povo enganado, satisfeito consigo mesmo e adormecido em seus pecados. Ele ansiava por despertá-los para uma vida mais santa. A mensagem que Deus deu a ele para levar foi projetada para assustá-los de sua letargia e fazê-los tremer por causa de sua grande maldade. ” (O Desejado de Todas as Nações, pp. 103, 104).

Observe o método e a estratégia que Deus usa em Seu grande amor para alcançar pecadores impenitentes:

“Antes que a semente do evangelho pudesse encontrar abrigo, o coração deve ser quebrantado. Antes de buscarem a cura de Jesus, eles devem ser despertados para o perigo das feridas do pecado. ” (Ibid., P. 104).

Deus não usa um evangelho subjetivo ou relativista ou um evangelho social ou o evangelho do arco-íris ou um evangelho diluído para alcançar pecadores impenitentes. Esses são rótulos que o homem usa para agradar o coração carnal, para mimar o pecador e levá-lo a uma falsa segurança, ou para rejeitar as mensagens de advertência de Deus. A verdadeira mensagem do evangelho de Deus é clara, confiável, necessária, direta ao ponto e completamente absoluta.

“Deus não envia mensageiros para lisonjear o pecador. Ele não entrega nenhuma mensagem de paz para acalmar os não santificados em segurança fatal. Ele impõe pesados ​​fardos sobre a consciência do transgressor e perfura a alma com flechas de convicção. Os anjos ministradores apresentam a ele os terríveis julgamentos de Deus para aprofundar o senso de necessidade e incitar o clamor: ‘O que devo fazer para ser salvo?’ Então a mão que se humilhou no pó, levanta o penitente. A voz que repreendeu o pecado e envergonhou o orgulho e a ambição, pergunta com a mais terna simpatia: ‘Que queres que te faça?’ ”(O Desejado de Todas as Nações, p. 104).

Este é o método que Deus usa como meio para chamar pecadores ao arrependimento. Foi assim que Cristo tratou a humanidade quando andou na Terra. E lembre-se, a verdade absoluta de Deus e Seus meios para alcançar o mundo são desprezados pelo diabo. Veja quem está por trás daqueles que rejeitam as mensagens de advertência de Deus:

“A incredulidade deles gerou malícia. Satanás os controlou e, furiosos, clamaram contra o Salvador (…) Essas pessoas se orgulhavam de guardar a lei; mas agora que seus preconceitos foram ofendidos, eles estavam prontos para cometer assassinato ”(Desire of Ages, pp. 239, 240).

O que fez com que os judeus de Nazaré mostrassem tanto ódio por um Salvador amoroso que se dispusessem a sacrificar aquela lei de Deus e cometer assassinato? Foi sua própria incredulidade e rebelião. Era Satanás quem os estava controlando e dando-lhes seu espírito de malícia para com a verdade de Deus. É com isso que estamos lidando hoje e é o mesmo espírito de Satanás que odeia a lei de Deus que se manifesta nos corações dos homens e mulheres hoje:

“A verdade era impopular nos dias de Cristo. É impopular em nossos dias. Tem sido impopular desde que Satanás primeiro desprezou o homem por ele, apresentando fábulas que levam à exaltação própria ”(O Desejado de Todas as Nações, p. 242).

O que leva os homens hoje a guerrear contra a verdade? É o mesmo espírito impenitente, carnal e orgulhoso de incredulidade – e uma indisposição para receber correção ou instrução. É o espírito de Satanás que se ofende com a verdade. Deus não se ofende com a verdade. É o espírito do diabo que se opõe a Cristo e Sua verdade e faz com que os homens queiram cometer o assassinato e enterrar o mensageiro. Jesus disse aos líderes judeus de sua época:

“Mas agora procurais matar-me, um homem que vos disse a verdade … Vós sois de vosso pai, o diabo, e fareis as luxúrias de vosso pai. Ele foi um assassino desde o princípio, e não morou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele fala mentiras, ele fala por si mesmo: porque ele é um mentiroso, e o pai dela. E porque eu digo a verdade, vocês não acreditam em mim. ” João 8: 42,44,45.

A existência da verdade absoluta é controversa. A pregação da verdade absoluta é ainda mais controversa, porque não se coaduna com muitas pessoas que gostam de seu Deus subserviente às suas próprias distorções da verdade. Nesta era moderna de multiculturalismo, ninguém quer se preocupar com as letras miúdas da Bíblia. O mundo só quer um Deus que ame a todos e tolere tudo. Esta é a doutrina dos Nicolaítas, exatamente o que Deus odeia:

“Assim tens também os que defendem a doutrina dos Nicolaítas, coisa que eu odeio.” Apocalipse 2:15.

Qual era a doutrina dos nicolaítas, a coisa que Deus odeia?

“A doutrina agora é amplamente ensinada que o evangelho de Cristo tornou a lei de Deus sem efeito ; que por ‘crer’ somos liberados da necessidade de ser praticantes da Palavra. Mas esta é a doutrina dos Nicolaítas . ” (Signs of the Times,
2 de janeiro de 1912).

Cada dia estou mais convencido de que Francisco é o Papa dos Nicolaítas, um grande movimento religioso que rejeita o padrão moral de Deus como absoluto. Eles estabeleceram sua própria moralidade: justiça climática, redistribuição de riqueza, espiritualidade da Mãe Terra, leis do Domingo Verde, ecocídio e vários outros ensinamentos sociais católicos. Isso é o que acontece quando rejeitamos a lei de Deus como sendo absoluta; qualquer coisa serve.

Na verdade, se a lei de Deus não fosse absoluta, não teria havido um dilúvio nos dias de Noé. Sodoma e Gomorra não teriam se transformado em cinzas. Jerusalém não teria ido para o cativeiro na Babilônia. Não teria havido uma crise de fé em Daniel 3 ou Daniel 6. Jesus não teria sido entregue pelos judeus aos romanos para ser crucificado. Mas porque a palavra de Deus fala em termos absolutos quando diz: “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23), Jesus teve que se levantar e escolher dar sua vida para que possamos viver. Não havia outro caminho a não ser pela expiação. Na cruz, Jesus sofreu e morreu para que pudéssemos ter a vida eterna.

Se a lei de Deus não fosse absoluta, não teria havido mártires cristãos primitivos; não haveria nada pelo que ser perseguido. Não teria havido Reforma Protestante. Como você pode ter uma reforma sem um padrão absoluto para produzir mudanças favoráveis ​​de acordo com a vontade de Deus? Sem mandamentos absolutos, não pode haver obediência, nem pureza entre as pessoas, nem santificação e nem Igreja Remanescente nos últimos dias. Tragicamente, também significa que não haverá nenhuma marca da besta, nenhum teste entre sábado e domingo. E não se preocupe com Apocalipse 12, 13, 14, 17, 18. Nada disso importa sempre que a vontade de Deus não é absoluta.

O Papa Francisco criou um falso dilema, e suas idéias estão entrando em todas as igrejas, incluindo muitos círculos adventistas. As três mensagens angélicas são a mensagem de advertência final e absoluta de Deus dada à geração final – para contrariar os ensinos populares de que a lei de Deus é desnecessária ou não absoluta. Tragicamente, o mundo não quer ouvir essas mensagens. Por que é que? Porque quando você entende o âmago das Mensagens dos Três Anjos, você treme ao ver a grande maldade e rebelião em que se encontra o nosso mundo.

Ele expõe a besta e a imagem e mostra que o mundo inteiro é enganado pelo dragão (Apocalipse 12: 9), e está adorando a besta e o dragão (Apocalipse 13: 3, 4), e não a Deus. Deus também identifica Seu povo e os chama de Remanescente que guarda os mandamentos (Apocalipse 12:17), e Deus também os chama de Seus santos que guardam os mandamentos de Deus (Apocalipse 14:12), e eles são vistos no céu por guardarem os mandamentos de Deus mandamentos (Apocalipse 22:14).

Apocalipse 14 não é uma mensagem originada no homem. Estas são as palavras de Deus, e Deus as colocou lá para serem aplicadas. Portanto, não é intolerante ou malicioso tentar entender, aplicar ou pregar essas narrativas apocalípticas, para que não cheguemos à conclusão de que a palavra de Deus ou que nosso Deus amoroso deve ser classificado como tal. O preconceito, o ódio e a confusão residem no fato de que seres humanos caídos e pecadores estão tentando separar Deus de Sua própria verdade e querem que você aceite suas políticas quebradas e fracassadas.

Referência:

[1] https://www.vaticannews.va/en/pope/news/2021-08/pope-are-we-under-the-law-or-do-we-live-as-children-of-god .html

Fonte: http://adventmessenger.org/pope-francis-we-observe-gods-commandments-but-not-as-absolutes/

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

60 anos de paixão adventista pelo Vaticano: Arthur S. Maxwell, quem diria!?

De acordo com a documentação do livro “Half a Century of Apostasy: The New Theology’s …

“Patrulheiro da Saúde” (Health Ranger) realiza análise microscópica ao vivo de coágulos de “bioestrutura projetada” coletados de vítimas falecidas de vacina covid

Por Ethan Huff As únicas pessoas que restaram para falar pelos que morreram devido à …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.