Iníco / Ellen White / A Mentira Branca

A Mentira Branca

Click no Livro para baixa-lo.

Este livro tenta remontar-se ao nascimento, crescimento, e pleno florescimento da mentira branca no Adventismo. Não posso explicar todos os fios que nos atam, como a Gulliver, em nossa viagem, porque até agora se negou acesso a muitas fontes dos fatos. O livro só pode apontar ao leitor a certas fontes, de maneira que possa ver por si mesmo o que há que ver.

Não estou tratando de assinalar aos que, tendo olhos, não vêem, nem de gritar aos que, tendo ouvidos, não desejam ouvir. Mas, porque alguém tem uma obrigação com as gerações que virão depois, este material se publica para acender uma luzinha num mundo de superstição, temor, e culpa. Pode ser que a chama, ainda que pequena, ajude a alumiar o caminho para o verdadeiro Santo de todos os santos: Cristo Jesus.

O autor, Walter Rea.

A Mentira Branca

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Estudo bíblico sobre a “verdade presente” de Apocalipse 14

Utilize as setas do teclado para navegar entre as telas desta apresentação, produzida pelos irmãos …

O Reino Milenar de CRISTO – Parte 1

Relacionado

13 comentários

  1. Que é o Espírito de Profecia?
    Em I Coríntios 12:7-11 a Bíblia diz que o Espírito Santo é a fonte dos dons espirituais. Um daqueles dons é a profecia (I Cor. 12:10). Portanto, a frase “Espírito de Profecia” parecer aplicar ao Doador dos dons – o Espírito Santo e não ao recipiente humano que o recebe. O Espírito de Deus é chamado por muitos nomes na Bíblia. Seria até blasfêmia alguém querer atribuir esses nomes a um mero ser humano.
    • Espírito de Sabedoria – Isa. 11:2
    • Espírito de Compreensão – Isa. 11:2
    • Espírito de Consolo – Isa. 11:2
    • Espírito de Força – Isa. 11:2
    • Espírito de Conhecimento – Isa. 11:2
    • Espírito de temor – Isa. 11:2
    • Espírito de Julgamento – Isa. 28:6
    • Espírito do Senhor – Miquéias 2:7
    • Espírito da Graça – Zacarias. 12:10
    • Espírito de Súplicas – Zacarias. 12:10
    • Espírito de Deus – Mateus. 3:16
    • Espírito do Pai – Mateus. 10:20
    • Espírito da Verdade – João 14:17
    • Espírito de Jesus – Atos 16:7
    • Espírito de Santidade – Rom. 1:4
    • Espírito de Vida – Rom. 8:2
    • Espírito de Cristo – Rom. 8:9
    • Espírito de Adoção – Rom. 8:15
    • Espírito do Deus Vivo – 2 Cor. 3:3
    • Espírito do Filho – Gálatas. 4:6
    • Espírito da Promessa – Efésios. 1:13
    • Espírito de Sabedoria – Efésios. 1:17
    • Espírito de Revelação – Efésios. 1:17
    • Espírito de Cristo Jesus – Filipenses. 1:19
    • Espírito de Força – 2 Tim. 1:7
    • Espírito de Amor – 2 Tim. 1:7
    • Espírito da Graça – Heb. 10:29
    • Espírito de Glória – 1 Pedro 4:14
    • Espírito de Profecia – Apocalipse 19:10
    O peso da evidência Bíblica indica que o “Espírito de Profecia” só pode se referir ao Espírito Santo. Está fora de cogitação substituí-lo por qualquer ser humano ou escritos deste.

    DEFINIÇÃO BÍBLICA DO “TESTEMUNHO DE JESUS”
    A palavra, “Testemunho” (marturia Grego) vem de uma palavra cuja raiz tem vários significados como “testemunhando,” “testemunho,” “testemunha” e “mártir”.
    “De Jesus” pode ter dois sentidos:
    • O testemunho veio de Jesus. Neste caso Jesus seria a fonte do testemunho.
    • O testemunho está sobre Jesus. Ou Jesus é o assunto do testemunho.
    Note como João compreendia o significado da palavra “testemunho” (marturia):

  2. Por isso, a Trindade não é um ensino bíblico?
    Alguns religiosos dizem que Jesus é Deus. Outros dizem que Deus é uma Trindade. Segundo este ensino, “o Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus; e, não obstante, não são três Deuses, mas um só Deus”. Afirma-se que os três ‘são coeternos e coiguais’.
    As Escrituras inspiradas dizem a respeito de Jeová: “De tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus.” (Salmos
    90:1 SENHOR, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração. 90:2 Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus.
    Ele é o “Rei da eternidade” — sem princípio nem fim. (1 Timóteo
    1:17 Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.
    Jesus, por outro lado, é “o primogênito de toda a criação”, “o princípio da criação de Deus”. (Colossenses-1:13 O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor; 1:14 Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados; 1:15 O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; Apocalipse
    3:14 E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Referindo-se a Deus como seu Pai, Jesus disse: “(João 14:28)O Pai é maior do que eu.” Jesus explicou também que havia algumas coisas que nem ele, nem os anjos sabiam, e que eram conhecidas apenas por Deus. (Marcos
    13:32 Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai Além disso, Jesus orou ao Pai, dizendo: “Ocorra, não a minha vontade, mas a tua.” (Lucas
    22:42 Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. A quem orou, se não a um Ser superior a ele? E foi Deus quem ressuscitou Jesus da morte, não o próprio Jesus. — Atos
    2:32 Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas. Biblicamente, portanto, Jeová é o Deus Todo-Poderoso, e Jesus é seu Filho. Os dois não eram iguais antes de Jesus vir à Terra ou durante a vida terrestre dele, nem tornou-se Jesus igual ao Pai depois de ter sido ressuscitado para o céu. (1 Coríntios
    11:3 Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.

    • Em Hebreus 5 fica muito claro que Jesus é Deus e criou sim a terra e os Céus. Quando foi “gerado” foi aqui na terra, pelo ES com o propósito de encarnação. Mas também no capítulo ! do Evangelho de são João vemos que ele antes de encarnar já coexistia com o pai desde a Eternidade. que aliás é um dos seus títulos e Isaias… Pai da Eternidade..

      “Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho?
      E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz:E todos os anjos de Deus o adorem. ( quem pode ser adorado se não é Deus?)
      E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, E de seus ministros labareda de fogo.
      Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.
      Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiuCom óleo de alegria mais do que a teus companheiros.
      E: Tu, Senhor, no princípio fundaste a terra, E os céus são obra de tuas mãos.
      Eles perecerão, mas tu permanecerás; E todos eles, como roupa, envelhecerão,
      E como um manto os enrolarás, e serão mudados. Mas tu és o mesmo, E os teus anos não acabarão.
      E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra, Até que ponha a teus inimigos por escabelo de teus pés?

      Hebreus 1:5-13
      E quando Jesus disse aos discípulos: “em verdade vos digo que antes de Abrãao EU SOU? ” Ora sabemos que EU SOU é o nome sagrado do Senhor, revelado na Sarça ardente a Moisés.
      Então sim, os dois são cooparticipantes da mesma Divindade.
      Filho do homem, Deus filho, Filho de Deus, são nomes que Jesus aceitava para que se dizesse entender para a Humanidade que ele provinha de Deus, pois a mesma estava acostumada e erroneamente doutrinada com a ideia de um Deus ùnico.

      • Se ele foi gerado pelo Espírito Santo logo o ES seria o Pai de Jesus??
        CLARO QUE NÃO!

        Hb. 1.8 “Mas do Filho diz: O teu trono, ó Deus, subsiste pelos séculos dos séculos, e cetro de equidade é o cetro do teu reino.” A romanização da fé condicionou os crentes atuais a acharem que sempre que aparece a palavra “Deus”, esta se refira ao Deus Eterno, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo e por via de consequência o próprio Cristo. Isso gerou dificuldades para várias pessoas não só no entendimento de muitas passagens bíblicas, mas, também, a própria rejeição inconsciente da contextualização histórica do uso do termo “deus” dentro da Bíblia. Vale ressaltar que nos originais da Bíblia, seja hebraico, aramaico ou grego não havia distinção capitular nos caracteres, ou seja, todas as letras eram escritas do mesmo tamanho, assim, a tradução para as nossas Bíblias da palavra elohim, por exemplo, por “Deus” ou “deus” ou ainda “deuses” vai depender da compreensão que o tradutor tem de determinada passagem. Para se ter uma ideia o termo “elohim” (deus) aparece em torno de 2.500 vezes no Antigo Testamento hebraico, sendo que nada menos que umas 240 ocorrências não se referem ao Deus Eterno, de modo que seus outros usos não podem ser considerados exceções. Em alguns casos vemos que o termo é aplicado individualmente a falsos deuses pagãos em, pelo menos, 19 ocorrências: A Baal, 5 vezes (Jz 6.31; 1Rs 18.24,25,27; Jz 8.33); a Quemós, 2 vezes (Jz 11.24; 1Rs 11.33); a Milcom, 1 vez (1Rs 11.33); a Dagom, 5 vezes (Jz 16.23,24; 1Sm 5.7); a Baal Zebube, 4 vezes (2Rs 1.2,3,6,16); a Nisroque, 2 vezes (2 Rs 19.37; Is 37.38). O próprio Bezerro de ouro que era um único, feito por Arão, foi chamado de “elohim” em Ex. 32.4. Aqui se poderia questionar a legitimidade dessas falsas divindades serem chamadas de “deus” e, de fato, dentro do contexto bíblico, baseado em Gl 4.8, eles não têm legitimidade, mas o uso da palavra aplicada a elas, por si só, já descarta a reivindicação da existência implícita da trindade em “elohim”; uma suposta pluralidade de pessoas na palavra, pois cada uma dessas falsas divindades não são uma trindade por serem chamadas de elohim. O Bezerro de Ouro, por exemplo, não era mais de um em nenhum aspecto. Destaque-se que quem os classificavam de elohim não eram os povos pagãos, eles tinham os seus termos nas línguas nativas para os definir, mas os próprios escritores sagrados que falavam e escreviam hebraico. Essa palavra se não tomada em sentido singular não pode significar “pessoas” na deidade, pois em seu sentido plural significa literalmente “deuses”, não pessoas, e nenhum trinitário afirmará que Pai, Filho e Espírito Santo sejam três deuses. Vale ressaltar que tal termo também é aplicado a homens. Quando lemos a palavra “juízes” em nossas Bíblias, por exemplo, em Ex. 21.6 “então seu senhor o levará perante os juízes, e o fará chegar à porta, ou ao umbral da porta, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre.” ou Ex. 22.28 “Aos juízes não maldirás, nem amaldiçoarás ao governador do teu povo”, se lêssemos em uma Bíblia hebraica estaríamos lendo “elohim”, ou seja “deus” ou “deuses” ao invés de “juízes”, como ocorre no conhecido Salmo citado por Jesus, Sl. 82.6 “Eu disse: Vós sois deuses (elohim), e filhos do Altíssimo, todos vós”. Devemos relembrar que tal Salmo não é a única ocorrência do termo “deus” aplicado a homem, foi, apenas, traduzido de forma explicita por conta da Septuaginta e do uso referencial que Jesus fez do Salmo. Isso é uma impropriedade? Os homens são, agora, iguais ao Deus Eterno por serem chamados de elohim (deus)? É alguma consubstanciação entre o Eterno Deus e os homens encarregados de julgar o povo hebreu? Note que nesse caso não se verifica um reconhecimento errôneo de algum povo pagão acerca de alguém, nem podemos acusar o escritor sacro de haver registrado alguma ilegitimidade, pois o próprio Yahweh Elohim, ou seus inspirados, foi quem os chamou assim. Para o povo hebreu não seria algo esdrúxulo ou blasfemo um “juiz” ou “rei” de Israel ser chamado de “deus”, pois o são por concessão de quem o pode conceder e não em essência. Aliás, é esse tipo de pensamento contextual judaico que permite um israelita recitar esse salmo sem crise de consciência e sem ver nele contradição alguma com Is. 45.5 “Eu sou o Senhor, e não há outro; fora de mim não há Deus.” ou mesmo com o Shamá.

        O verso em estudo como se sabe é referência de Sl 45.6-7, e, a esse respeito a Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB), elaborada por Católicos e Protestantes, da Editora Loyola, assim comenta o Salmo: “Deus, palavra que por vezes é aplicada a homens (cf. Ex. 4.16), parece aqui designar o rei. Segundo as versões, o v. 7 se dirige a Deus. Contudo, Hb. 1.8-9 o aplica ao Filho. Os modernos muitas vezes têm interpretado ‘teu trono é (o) de Deus’ (cf. I Cr. 29.23), ou então ‘teu trono é (como o de) Deus’”. Perceba que o comentarista mesmo trinitário reconhece que o pensamento de atribuição desse verso ao Deus Eterno se dá nas versões, ou seja, não é o texto ou o contexto hebraico, por si só, que força esse entendimento, pelo contrário, se formos ler o texto só olhando para o hebraico o entendimento natural seria “Teu trono é de Deus” ou que a palavra “Deus” ali represente o monarca e não um ente Divino. Isto pode ser constatado também na Bíblia de Jerusalém que traduz o Salmo a partir do hebraico assim: “Teu trono é de Deus, para sempre e eternamente! O cetro do teu reino é cetro de retidão!”, ainda em nota de rodapé na mesma Bíblia se encontra: “O grego traduz: ‘Teu trono, ó Deus…’, vendo no termo elohim um vocativo qualificando o rei; este título protocolar é de fato aplicado ao Messias (Is.9.5), assim como aos chefes e aos juízes (Ex. 22.6/ Sl. 82.6), a Moisés (Ex. 4.16/ 7.1) e à casa de Davi (Zc. 12.8).” Aqui da mesma forma os comentaristas trinitários, reconhecem que o termo “elohim” nessa passagem é um “título protocolar”, que pode ser aplicado tanto a governante (chefes) e juízes, ou seja, não é uma atribuição de deidade a quem foi dirigido o Salmo. A Bíblia do Peregrino preferiu traduzir “Teu trono, como o de um Deus.” e parece ter respeitado o sentido bíblico do uso do termo aplicado a monarcas (Zc. 12.8 “e a casa de Davi será como Deus”) e juízes de Israel. E nesse sentido aponta para a dinastia davídica I Cr. 29.23 “Assim Salomão se assentou no trono de Yahweh, como rei em lugar de seu pai Davi, e prosperou; e todo o Israel lhe prestou obediência”.

        A promessa do trono eterno, para a casa de Davi, já é vista desde II Sm. 7.12 “Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, que sair das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. 13 Este edificará uma casa ao meu nome, e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino. 14 Eu lhe serei pai, e ele me será filho. E, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens; 15 mas não retirarei dele a minha benignidade como a retirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. 16 A tua casa, porém, e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será estabelecido para sempre.”

        Analisando o contexto histórico do Salmo 45.6-7, podemos perceber que, conforme reconhecem os próprios comentarista trinitarianos, trata-se de um salmo dirigido a um monarca de israel, e que profeticamente aponta para Cristo, mas, perceba, o aponta como monarca, conforme o salmo, e não como o Deus Eterno.

        O restante do Salmo, normalmente deixado de lado por muitos, dá informações importantes sobre essa realidade. Já no primeiro versículo vemos o escritor falar que dirige seus versos ao Rei, a quem chama de o mais formoso entre os filhos dos homens e que Deus o abençoou. Se diz, também, que esse rei foi escolhido dentre outros companheiros; o verso 9 diz que aquele que foi chamado de “Deus” tem donzelas a sua disposição e já tem uma rainha, inclusive uma filha, e filhos que ficaram no lugar de seus pais. Então, ao invés de imaginarmos o Salmo 45.6 como um versículo isolado, como se este fosse um adendo no texto bíblico que foi usado em Hebreus, precisamos vê-lo como parte de um maravilhoso contexto, não somente do restante do próprio Salmo, mas de toda a Bíblia e entendê-lo como todo aquele que se preocupa em ler a Bíblia por completo entenderia; que a palavra “Deus” no verso 6 não é atribuição de deidade, mas reconhecimento de poderio e da origem do trono daquele monarca e nesse sentido, com caráter profético, aplicado em Hebreus.

        Se só lermos Hb.1.8, isoladamente, buscando uma solução trinitária, deveríamos antes parar para meditar: Se o texto diz que Deus, o Deus de “Deus”, o ungiu, não só teríamos um subordinacionismo ontológico, que é rejeitado pelos trinitarianos por negar a co-igualdade entre as hipóstases, como também “Deus” fora de Deus, cuja possibilidade é negada em Is. 44.6. Ou seja, um Deus ungindo um outro co-igual é algo não enpermitido e nem ensinado na Bíblia. Os versos não dizem que Deus está se auto-ungindo(?). Portanto se o texto se referir a primeira ocorrência da palavra Deus como Deidade absoluta, temos, por via de consequência dois “Deus(es)”; o ungido e o que unge. Agora, se o entendemos como um texto que foi dirigido, como o próprio nome da epístola diz, aos HEBREUS, e nos lembrarmos que eles estavam familiarizados com os usos do termo “Deus” (Elohim) nas escrituras Hebraicas e o lia agora em grego, então, tudo se harmoniza, pois como regente da casa de Davi, Jesus, o Filho de Deus, assentará no trono eterno de Yahweh como o fez Salomão; será juiz (Cetro de Equidade), como o foram Jafé e muitos outros, e por consequência “Elohim” (Deus), mas não no mesmo sentido que seu Pai é. Os hebreus não estranhavam quando alguém era chamado de “Elohim” (Deus) quando o contexto nitidamente apontava para aquele que fora designado pelo Eterno e tinha o poder de reger e julgar o povo escolhido. Os fariseus ilegitimamente censuraram Jesus porque não o reconheciam como Regente da parte de Deus. Assim Hb. 1.8, longe de atribuir deidade a Cristo, o reconhece, nos moldes Bíblicos, como Governante:. O Messias que como rei regeria o seu povo.

  3. 2+Mateus – OS MANSOS ERDARÃO A TERRA
    5:5 Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
    SALMOS-37:3 Confiam no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado.
    37:9 Porque os malfeitores serão desarraigados; (ARRANCADO DE RAIZ) mas aqueles que esperam no SENHOR herdarão a terra.
    37:10 Pois ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olharás para o seu lugar, e não aparecerá.ELES NÃO TERÃO LUGAR POIS NÃO AVERA AS IMPURESA QUE HOJE TEM
    37:11 Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz.NO REINO DE JESUS AVERA ABUNDÂCIA DE PAZ,OS QUE GUERREIAM não existe méis, JÁ NÃO TEM MAIS OS LADÕES JÁ SE FORMARAM CINZA DEBEICHO DOS PES DOS JUSTOS
    37:16 Vale mais o pouco que tem o justo, do que as riquezas de muitos ímpios .Os mancos herdarão a terra-37:18 O SENHOR conhece os dias dos retos, e a sua herança permanecerá para sempre.A ERANÇA DOS SALVOS NÃO TERA FIM,
    37:19 Não serão envergonhados nos dias maus, e nos dias de fome se fartarão. OS JUSTOS TERÃO ABUNDACIA DE ALIMENTO
    37:20 Mas os ímpios perecerão, e os inimigos do SENHOR serão como a gordura dos cordeiros; desaparecerão, e em fumaça se desfarão.QUEM E OS INIMIGO DE DEUS
    37:22 Porque aqueles que ele abençoa herdarão a terra, e aqueles que forem por ele amaldiçoados serão desarraigados.ARANCADO DA TERRA,DESAPARESCERÃO SERÃO DESTREUIDOS
    37:29 Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre. Aqueles que forem por ele amaldiçoados serão desarraigados.
    HABITARÃO PARA SEMPRE ISSO E ELE TERÃO CORPOS GLORIFICADO SEMELHANTE AO DOS AJOS ELES NÃO MORE MAIS, A MORTE E COISA DO PASADO,
    37:34 Espera no SENHOR, e guarda o seu caminho, e te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem desarraigados. OS SALVOS VÃOS VER A DESTRUIÇÃO DOS IMPIOS
    SALMOS+34:16 A face do SENHOR está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles. NA VOLTA DO SNHOR JESUS ATE A MEMORIA DOS IM PIOS SERA ARANCADA DA TERRA

    SALMOS-52:5 Também Deus te destruirá para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes. NÃO PRCISA NEM ARGUMENTO PARA SABER O QUE VAI ACONTESCER COM OS IMPIOS
    PROVERBIO-2-21-PORQUE (OS RETOS HABITARÃO A TERRA, E OS IMTEGROS PERMANECERÃO NELA – SO OS RETOS E OS ITEGROS PERMANECERÃO+ 2-22-MAS OS IMPIO SERÃO ARRANCADOS DA TERRA; E OS ALEIVOSOS SERÃO DELA EXTERMINADOS. EXTERMINADO E DERTRUIDO
    PROVERBIO-10-30-O JUSTO NUNCA SERÁO ABALADOS, MAS OS PERVERSOS NÃO ABITARÃO NELA. OS IMPIOS NÃO ABITARÃO A TERA
    QUE LUGAR, AS ESXCRITURA DESTINA AOS JUSTOS

  4. 02+O CAMINHO DA SANTIFICAÇÃO E A SINCERIDADE DE CORAÇÃO Hebreus, 12:14 “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.MAS O QUE E A SANTIFICAÇÃO- (Em conjunto com a fé, este é um dos grandes ensinamentos que a Palavra de Deus nos transmite, (PORQUE A FÉ) QUEM TEM A FÉ OBEDESCE AS DOUTRINA)POIS é através da santificação que podemos ter a esperança de estar um dia no Reino de Deus e com Ele viver eternamente. Trata-se, na realidade, da grande aspiração daquele que se chega a Deus para servi-lo e amar. Mas, como podemos entender o significado de ser “santo”? Vamos ver: O PECADO ESTA NA MENTE A palavra “santo” significar “ser separado” do mundo, do pecado, do erro que nos rodeia e Viver cada vez mais para Deus, confiando nas promessas e no poder resgatador do Cordeiro, Paulo em Romanos 12:2 “E não sede conformados com este mundo,ISTO E PRATICAR AS COIZAS DO IMPIOS, mas sede transformada pela renovação do vosso entendimento, TER UM CARATER DIFERENTE DOS IMPIO, para que experimente qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” PARA SABER A VONTADE DE DEUS TEM QUE AVER RENOVAÇÃO, ISTO E A OBEDIENCIA,Compreendemos assim que este mundo nada tem para dar ao homem. A nossa esperança só pode residir Naquele que tudo criou e tudo sustenta pela força da Sua Palavra. Os que vivem pela fé procuram ser transformados e renovados pelo poder do espírito de Deus que neles está só assim poderão compreender e viver de acordo com “a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”

  5. Árvore verde, 001 Não é sem razão, portanto, que a expressão “árvore(s) verde(s)” tem conotação negativa ao longo de todo o Antigo Testamento. Mais de dez vezes ela aparece e, na maioria delas, a Palavra de Deus condena a idolatria mascarada por “bosques” ou “árvore verde”: Deuteronômio 12:2- Bre as altas montanhas, e sobre os outeiros, e debaixo de toda árvore verde; e os seus bosques queimareis a fogo -Reis 14:22-23 “E fez Judá o que era mau aos olhos do SENHOR; debaixo de toda árvore verde.” II Reis 17:9-12 “Os filhos de Israel fizeram contra o SENHOR, seu Deus, debaixo de todas as árvores frondosas. Queimou ali incenso em todos os altos, II Crônicas 27:1-5 “Tinha Acaz vinte anos de FEZ conforme as abominações dos gentios Também sacrificou e queimou incenso nos altos e nos outeiros, como também debaixo de toda árvore verde. “Pelo que o SENHOR, seu Deus, o entregou nas mãos do rei dos siros, II Crônicas 28:1-4 Acaz Também sacrificou e queimou incenso nos altos e nos outeiros, como também debaixo de toda árvore frondosa.” Isaías 57:3-8 Debaixo de toda árvore frondosa, e sacrifical os filhos nos vales e nas fendas dos penhascos? Jeremias 2:20 “Quando eu já há muito quebrava o teu jugo e rompia as tuas algemas, dizias tu: Nunca mais transgredirei; contudo, em todo outeiro alto e debaixo de toda árvore verde te andas encurvando e corrompendo.” Jeremias 3:6 “Disse mais o SENHOR nos dias do rei Josias: Viste o que fez a rebelde Israel? Ela foi-se a todo monte alto e debaixo de toda árvore verde e ali andou prostituindo-se.” Jeremias 3:13 “Somente reconhece a tua iniqüidade, que contra o SENHOR, teu Deus, transgrediu, e estendeste os teus caminhos aos estranhos, debaixo de toda árvore verde e não destes ouvidos à minha voz, diz o SENHOR.” Jeremias 17:2″Seus filhos se lembram dos seus altares, e dos seus bosques, e das árvores verdes, sobre os altos outeiros.” MONTES,E ISSO TINHAM NOS PATIO DOS CONVENTOE TINHA UM PEQUENO BOSQUE Ezequiel 6:13-“Então, sabereis que eu sou o SENHOR, quando estiverem os seus traspassados no meio dos seus ídolos, em redor dos seus altares, em todo o outeiro alto, em todos os cumes dos montes, e debaixo de toda árvore verde, e debaixo de todo carvalho.”

  6. DEPOIS DE DAR UMA NAVEGADA PELO SAAITE FI AS DENUNCIAS DO QUE ESTA ACONTESCENDO COM OS FALSOS EVANGELICOS,O QUE EU TENHO ADISER E ISSO-Quem é injusto, faça injustiça ainda: e quem está sujo, suje-se ainda, e quem é justo, faça justiça ainda, e quem é santo, santifique-se ainda. Apocalipse 22.11

  7. 01+A trindade NÃO existe meu caro! POR ISSO EU CREIO NO CRIADOR DO UNIVERSO E BO SEU ÚNICO FILHO,JESUS,
    Isso foi invenção católica pra conciliar a fé cristã com elementos pagãos e da filosofia grega em voga na época para que a religião estatal pudesse ser aceita por todas as terras que o império romano dominava, e assim se transformar numa religião oficial do Império. Paulo é bem claro em dizer que Deus é só o Pai. I Corintios 8:6 – todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também-Efésios 4:6 – um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos. I Timóteo 2:5 -Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, E os trinitários ainda se acham os donos da verdade!
    E ousam contrariar o próprio Jesus que disse CLARAMENTE em – João 17:3 que SOMENTE O PAI É DEUS.
    Ele disse que o PAI É O ÚNICO DEUS VERDADEIRO. João 17:3 -E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste. Em toda a escritura se diz que apenas há UM ÚNICO DEUS. E que este DEUS é apenas UMA ÚNICA PESSOA, E NÃO TRÊS EM UM.
    João 5:44 -Como podeis crer, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus? Romanos- 16:27 -ao único Deus sábio seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém.
    I Timóteo- 1:17 -Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém. Deus é tanto Nosso Deus como Nosso Pai, assim como é Deus de Jesus e Pai de Jesus. Ou seja, se Jesus tem um Deus a quem ele serve e adora como pode ele mesmo ser membro de um tríade divina?
    Realmente é um absurdo teológico inadmissível. A trindade é uma doutrina ANTI-BÍBLICA.
    Veja aqui:
    Romanos 15:6 – Para que unânimes, e a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.
    II Corintios 1:3 – Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação,
    II Corintios 11:31 -O Deus e Pai do Senhor Jesus, que é eternamente bendito, sabe que não minto.
    Gálatas 1:4 – o qual se deu a si mesmo por nossos pecados para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de nosso Deus e Pai,
    Efésios 1:3 -Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo;
    Efésios 4:6 -um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.
    Filipenses 4:20 -Ora, a nosso Deus e Pai seja dada glória pelos séculos dos séculos. Amém.
    I Tessalonicenses 1:3 -lembrando-nos sem cessar da vossa obra de fé, do vosso trabalho de amor e da vossa firmeza de esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai,
    I Tessalonicenses 3:11 -Ora, o próprio Deus e Pai nosso e o nosso Senhor Jesus nos abram o caminho até vós,
    I Tessalonicenses 3:13 -para vos confirmar os corações, de sorte que sejam irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos.
    Tiago 1:27-A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.
    I Pedro 1:3 -Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,
    Jesus disse que o Deus dele é o nosso Deus.
    Logo, os cristãos NÃO PODEM acreditar que Jesus seja Deus, em igualdade com o Pai.
    Se Deus é o Deus dele, como ele pode ser Deus?
    Se o Deus dele, que ele adora e serve é O NOSSO DEUS, logo, Jesus NÃO PODE SER DEUS.
    Isto está claríssimo! Veja:
    João 20:17 -Disse-lhe Jesus: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai; mas vai a meus irmãos e dize-lhes que eu subo PARA MEU PAI E VOSSO PAI, MEU DEUS E VOSSO DEUS.
    Alguma dúvida! -Não para quem é inteligente e recebe o espírito santo.
    E ainda teimam em afirmar que a trindade existe e que seja bíblica e que Jesus é Deus!
    Enfim… E permanecem nesta loucura, nesta doença, nesta burrice, ignorância e fanatismo, com este papinho teológico que Deus é trino!
    Affff… Se Jesus é irmão dos discípulos, como podem os discipulos serem irmãos de Deus?
    Hebreus 2:11 -Pois tanto o que santifica [Jesus] como os que são santificados [discípulos], vêm todos de um só [Deus -O Pai]; por esta causa, ele [Jesus], não se envergonha de lhes chamar irmãos [os discípulos].
    João 20:17 -Disse-lhe Jesus: … Vai a meus irmãos e… Disse IRMÃOS!
    Não disse “MEUS ADORADORES”

    • Então explique como uma criatura poderia executar o plano de Salvação. Apenas Deus poderia pagar este resgate. Leia hebreus 5 com cuidado, primeiro capítulo versículo de João com cuidado e veja a declaração de Jesus qdo revela aos apóstolos o mesmo que Deus revelou na sarça ardente a Moisés. Jesus não seria leviano ao afirmar “antes de AbrãoEU SOU”. Repense irmão. Mas por si mesmo.

      • Exatamente quem pagou o resgate foi o único Deus que é o Pai:
        Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu filho Unigenito. João 3:16 – Foi assim que Deus pagou o resgate.

        Jo. 8.58 diz: “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.” O verbo grego εἰμί (eimi)contido no final desse verso, pode ser traduzido por “SOU”, “ESTOU”, “EXISTO” e sentidos similares, daí precisamos verificar qual desses verbos em português, melhor se aplica ao caso.

        Ora, no verso anterior os judeus perguntaram “ainda não tens cinqüenta anos, e viste Abraão?”, isso é uma pergunta temporal, de indagação sobre preexistência. A partícula πρὶν (antes), usada por Jesus para responder aos judeus, introduz uma cláusula temporal, e, foi seguida pelo verbo γίνομαι, verbo afim ao verbo εἰμί, que só não foi usado também porque não possui a forma para o aoristo. Logo, a comparação clara do contexto das palavras de Cristo indica a intenção do Senhor Jesus em declarar-se anterior a Abraão e isto já estava delineado no verso 38 do mesmo capítulo “Eu falo do que vi junto de meu Pai, …“. Assim, o verbo em português que melhor traduz o contexto é o verbo “EXISTIR”. Das raras versões, em português, que preferiram concordar com o contexto encontramos a Bíblia do Peregrino: “Asseguro-vos: antes que Abraão existisse, eu existo.”(grifei), não há contraste entre o verbo γίνομαι e εἰμί nessa passagem.

        Para preferir “eu sou”, o tradutor, precisará rebaixar o contexto ao segundo plano, diminuir a intensidade da cláusula temporal, desvinculando, por completo, o verbo εἰμί dela, fazendo uso da sua própria crença de que Jesus é o “EU SOU” de Ex. 3.14 (expressão que está se tornando um termo técnico), quando o contexto daquela passagem de Êxodo não se relaciona com a de João. Alguns Tradutores/Editores chegaram ao exagero de usarem o “EU SOU” com letras maiúsculas, para fazer lembrar a expressão de Êxodo, foi o caso da Bíblia de Jerusalém e da Almeida Revista e Atualizada, ao passo que Almeida Revista e Corrigida, usou todas as letras em minúsculas. No hebraico de Êxodo, nem no grego da Septuaginta e do Novo Testamento não havia diferenciação de maiúscula e minúscula.

        Fatalmente a escolha do verbo para o português, ou outra língua, dependerá da fé e do ponto de vista do tradutor. O normal seria todas as traduções para o português trazerem a tradução “EU EXISTO”.

        Não estou afirmando que a tradução “eu sou” não é correta e que “eu existo” seja a correta, ambas estão corretas porque o verbo εἰμί permite as duas; apenas acho que se Jesus quisesse fazer alusão ao “ὁ ὤν” (ho On) de Ex. 3.14, teria usado a idêntica construção, e não precisaria tomar por base a existência de Abraão.

        A propósito, vale dizer que Deus em Ex. 3.14 não disse ser um certo “Ego Eimi” (eu sou), ele disse ser “Aquele que é” ( ho On), a ideia foi dizer “Eu sou AQUELE QUE É’”, tanto é que quando Moisés perguntou o que diria quando fosse indagado sobre quem o enviou, Deus manda Moisés responder “HO ON (AQUELE QUE É) me enviou a vós”, Ele não disse “’Ego Eimi’ me enviou a vós”. O problema é que há traduções que verteram HO ON como “AQUELE QUE É’” na primeira ocorrência e o mesmo HO ON como “Eu Sou” na ocorrência seguinte. A expressão HO ON não está em Jo. 8.58. Todos os livros e comentários que você já leu, digo com simplicidade e sem medo de errar, estão equivocados quando tentam comparar Jo. 8.58 com Ex. 3.14 dizendo que Jesus é o EU SOU do Antigo Testamento, porque simplesmente as construções são diferentes. Se considerarmos o hebraico, que é a língua em que originalmente foi escrito o livro de Êxodo ai é que se descarta mesmo, porque a construção verbal do hebraico, daquela passagem, é causativa e em João é, seguramente, grego no presente do indicativo ativo. Se for os dois em grego, um é particípio e o outro presente do indicativo ativo.

        Vamos, para ficar didaticamente mais visível, dividir o verso de Êxodo em duas partes: A + B.

        A) “καὶ (e) εἶπεν (disse) ὁ θεὸς (Deus) πρὸς (a) μωυσῆν (Moisés) ἐγώ (eu) εἰμι (sou) ὁ ὤν (AQUELE QUE É).

        Pergunto o seguinte: Deus em “A” disse ser “ego eimi” ou Deus disse ser “HO ON”?

        B) καὶ (e/também) εἶπεν (disse:) οὕτως (assim) ἐρεῖς (dirás) τοῖς (aos) υἱοῖς (filhos [de]) ισραηλ (Israel) ὁ ὢν(AQUELE QUE É [aqui, desuniformemente as Bíblias vertem para EU SOU, donde decorre a associação com Jo.8.58]) ἀπέσταλκέν με (enviou-me) πρὸς (a) ὑμᾶς (vós).

        A pergunta que faço agora é a seguinte: Moisés identificou Deus, em “B”, como “ego eimi” ou como “HO ON”?

        Onde está a expressão “ego eimi” na parte “B” para os tradutores verterem “EU SOU” ao invés de “AQUELE QUE É”? Percebamos que não existe um “ego eimi” nessa parte e que estranhamente, praticamente todos os tradutores colocam nessa parte “B” a tradução como “Eu sou me enviou a vós”? E a Bíblia de Jerusalém ainda faz mais e coloca em maiúsculo “EU SOU me enviou a vós?” Quando o procedimento uniforme seria “AQUELE QUE É me envio a vós”.

        Ora, se “ego eimi” significa “eu sou” e “HO ON” significa “eu sou” exatamente com a mesma semântica, então, a parte “A” deveria ser traduzida por “Disse Deus a Moisés: Eu sou Eu sou” (ego eimi ho on[?]), e ai teríamos, ao menos, uniformemente na segunda com “Eu sou me enviou a vós”. Mas se HO ON é traduzida por “AQUELE QUE É” na parte “A” não há razão para não ser, também, na parte “B” pela mesma expressão, a não ser que haja a intenção de criar a associação que os trinitários hoje defendem1.

        Uma outra comprovação da irregularidade cometida pelos defensores da co-igualdade entre o Pai e o Filho usando esses versos são as funções sintáticas que envolvem a questão. ὁ ὤν (HO ON) é um particípio, e conforme pode ser encontrado em qualquer gramática do grego bíblico: “um particípio pode funcionar, ou como adjetivo, ou como verbo. Para descobrir de que maneira um particípio está sendo usado, é importante observar duas coisas: o contexto, principalmente, o artigo. … – Com artigo: é usado como adjetivo atributivo ou como adjetivo substantivo.”2 . Com artigo é o caso de Ex. 3.14. O artigo ὁ (HO) acompanhado do particípio do verbo “ser” ὤν (ON).

        O mesmo autor diz “Um particípio e seu artigo podem estar relacionados a um pronome ou substantivo para descrever ou qualificá-lo. Aparecem, então, na posição e com a função de um adjetivo atributivo. Nesse uso, o particípio e seu artigo concordam com a palavra que modificam em gênero, número e caso. Representam uma oração subordinada adjetiva.”3. Fica fácil identificar que “HO ON”, qualifica o substantivo Deus (Theos), e seu correspondente pronome “eu” (ego – aquele mesmo do ego eimi que confundem com um declarativo e que aqui é pronome junto ao verbo que liga os elementos da oração) é modificado pelo “HO ON”. Depois de Deus ser qualificado ou descrito como “HO ON”, segue-se a declaração “HO ON me enviou a vós”, e não “ego eimi me enviou a vós.” Lembremos, mais uma vez, que o particípio não é usando em Jo. 8.58.

        A ausência de relação entre Ex. 3.14 com João 8.58 pode-se ver inclusive nas versões hebraicas da Bíblia. Em Êxodo encontramos a expressão “אהיה” ( ‘AHIEH) 3 (três) vezes e esta não ocorre nenhuma vez no NT em hebraico da Sociedade Bíblica Trinitariana, lá em Jo. 8.58 está “אני הוא” (‘ANI HU).

        Ainda podemos falar da própria identificação bíblicas dos personagens envolvidos nos versos comentados. Veja que em Ex. 3.15, o verso imediatamente posterior encontramos: “E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: Yahweh Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração.”, agora compare com At. 3.13 “O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu filho Jesus…” É fácil perceber que O Deus que foi identificado em Êxodo é identificado como o Pai de Jesus e não como sendo o próprio Jesus.

        Outra questão que deveríamos levar em conta é a preferência dos tradutores em verter Ex. 3.14 pela forma presente ao invés de futuro, como podemos ver na primeira versão da Bíblia de Almeida. Traduzem em Ex. 3.12 “E disse: Certamente eu serei contigo”, אהיה por “Eu Serei” e dois versos depois a mesma palavra é traduzida por “Eu Sou”, se houvesse um padrão com o verso 12, teríamos além de todas as evidências, mais uma mostrando o equívoco trinitário.

        Com relação ao v.59, que diz que os judeus procuravam matá-lo, o que faz alguns pensarem que foi pelo fato de uma suposta identificação de Jesus com o Eterno, devemos lembrar do verso 40 do mesmo capítulo onde o próprio Jesus diz: “Mas agora procurais matar-me, a mim, homem que vos tem dito a verdade que de Deus tem ouvido; Abraão não fez isto.” Veja que já havia uma predisposição real anterior para se matar Jesus mesmo antes de sua afirmação de preexistência no v.58. Ora um homem dizer que era antes de Abraão não podia esperar outra reação dos judeus. Perceba que ele não disse ser Deus, ao contrário, disse ser homem. Assim, o uso das pedras sempre estavam à mercê do que os judeus da época entendiam por blasfêmia, Mt. 23.37, At. 7.58, II Co. 11.25 e Hb. 11.37. Muitos trinitários chegam a apresentar um lista do que a Lei reconhecia como blasfêmia para tentar legitimar uma suposta tentativa de identificação de Jesus com Deus em Jo. 8.58, o que teria gerado aquela reação dos judeus, mas como já foi visto não há relação daquela passagem com Ex. 3.14. Além do mais o próprio Jesus disse muito claramente: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados!” (Mt. 24.37); mostrando que não é razoável supor que todos esses profetas e enviados que foram apedrejados e mortos pelos judeus tenham blasfemado, pelo contrário, sem blasfemarem em absolutamente nada foram mortos. Jesus seria, na lista dos fariseus, mais um dos profetas que seria morto. Para um fariseu só o fato de Jesus dizer que era antes de Abraão, já seria o suficiente para querer matá-lo, mas seguramente não foi pela expressão “eu sou” (ego eimi), pois essa expressão, além de não ser a mesma usada em Ex.3.14, era super comum. Até nós se vivêssemos naquele lugar e época a usaríamos. Observe, por exemplo, as palavras do cego de nascença que fora curado em Jo. 9.9: “Uns diziam: É ele. E outros: Não é, mas se parece com ele. Ele dizia: Sou eu.” A expressão “Sou eu” é a mesmíssima usada por Cristo no episódio que estamos comentando. No grego temos o cego dizendo: “ἐκεῖνος ἔλεγεν ὅτι ἐγώ εἰμι”, literalmente é: “ele dizia: Eu sou.”

        _____________________

        1 Depois de vários e vários anos defendendo a associação de Ex. 3.14 com Jo. 8.58 há trinitários, hoje, que estão, ante as evidências, declinando dessa defesa.
        2 Lourenço Stélio Rega in Noções do Grego Bíblico, Editora Vida Nova – 2004 , pág. 200, 201
        3 Idem, pág. 222

        Fonte: http://www.unitarismobiblico.com/w/2010/05/03/jo-8-58/

  8. 08+”Trindade”: Golpe de mestre, do anticristo!
    Em seu livro The Church of the First Three Centuries (A Igreja dos Primeiros Três Séculos), o Dr. Alvan Lamson menciona que a doutrina da “trindade” “teve sua origem numa fonte inteiramente alheia às Escrituras judaicas e cristãs; que se desenvolveu e foi enxertada [introduzida] no cristianismo pelas mãos dos padres que promoviam o platonismo”. Quem eram esses “padres que promoviam o platonismo”? Era clérigos apóstatas que ficaram fascinados com os ensinos de Platão, filósofo grego pagão. Introduzir a “trindade” no cristianismo foi um golpe de mestre do anticristo (leia ‘Desmascarando o anticristo’), pois essa doutrina envolveu a Divindade num manto de mistério e obscureceu sua relação com Seu Filho. (Jô 14:28; Vocês me ouviram dizer: Vou, mas volto para vocês. Se vocês me amassem, ficariam contentes porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 15:10; vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço. Cl 1:15) Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito sobre toda a criação, Pense nisto: como alguém pode ‘chegar-se ao ETERNO’, como é incentivado pelas Escrituras, se Ele é um mistério? — Tg 4:8–Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês! Pecadores limpem as mãos, e vocês, que têm a mente dividida, purifiquem o coração. [antes leia Lc 10:21]. Naquela hora Jesus, exultando no Espírito Santo, disse: Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, pois assim foi do teu agrado.

  9. “Pois embora andando na carne, não militamos segundo a carne. As armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus, para destruição das fortalezas. Derrubamos raciocínios (sofismas) e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento à obediência de Cristo..” (2Coríntios 10.3-5)

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.