Iníco / Religiao Pura / Ao que devemos ser leais – Membros

Ao que devemos ser leais – Membros

TODOS OS CRISTÃOS SÃO MEMBROS
A segunda grande verdade na qual devemos nos estabelecer é que todos os verdadeiros cristãos são membros do corpo de Cristo e, portanto, membros uns dos outros (1Co 12:12-26). Sendo assim, é necessário que reconheçamos todos os cristãos como nossos irmãos.Nem sempre é fácil faze-lo. Os homens ergueram cercas. As pessoas são mais leais às suas próprias denominações do que são ao corpo de Cristo. Elas não reconhecem a unidade do Espírito.
Mas a dificuldade toda não está com as outras pessoas. Mesmo em nosso coração, há muitas vezes o desejo de ser diferente, de pensar de nós mesmos como tendo uma compreensão sobre a verdade da igreja ou de alguma outra verdade. Muitas vezes achamos que é difícil favorecer aqueles que não vêem exatamente como nós vemos. Ao invés de nos alegrarmos quando outros são guiados a uma certa medida da verdade divina, estamos prontos para ressaltar os pontos nos quais eles ainda são diferentes de nós. E muito freqüentemente disputamos mais asperamente com aqueles cuja ordem da igreja é notavelmente similar à nossa.

Como então podemos dar uma expressão prática à verdade que todos os cristãos genuínos são membros do corpo de Cristo? Primeiro de tudo, devemos amá-los porque pertencem a Cristo (1Jo 4:11). O fato de que eles possam diferenciar de nós em várias áreas de doutrinas ou práticas não deve impedir nosso amor por eles. Devemos orar por eles (1Sm 12:23). Este é um dever que temos para com todo homem,  especialmente àqueles que são os domésticos da fé.

Terceiro, devemos buscar compartilhar com eles as verdades preciosas que Deus nos mostra na Palavra (2Tm 2:2). Isso não significa que devemos adotar uma política deliberada de roubar ovelhas, isto é, freqüentar outros grupos evangélicos com o propósito específico de conduzir pessoas para a “nossa própria comunhão”. Em nenhum lugar da Bíblia somos chamados para este ministério que causa divisão. Antes, em nosso contato individual com outros e quando guiados pelo Espírito Santo, devemos ministrar Cristo a eles como o Centro da reunião do Seu povo. Devemos “ensinar a todo homem em toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo” (Cl 1:28)…

Não somente devemos amar os outros crentes, orar por eles e buscar os edificar, mas também devemos aprender deles (1Co 12:21). É um erro pensar que temos toda a verdade e que não podemos nos beneficiar espiritualmente com aqueles de fora da “nossa própria comunhão”. Todo membro tem algo para contribuir com o restante do corpo. Quaisquer barreiras levantadas por homem que empeçam os crentes de ajudar outros crentes são contrárias à vontade de Deus.

Devemos nos abster da crítica, ciúme, fofoca, maledicência ou julgamento (Lc 6:37). Todo crente é um despenseiro do Senhor. Somos claramente proibidos de julgar outros antes da hora, isto é, antes da volta do Senhor (1Co 4:5). Paulo pergunta: “Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai” (Rm 14:4). E quando Pedro se preocupou com o serviço de João ao Senhor, Jesus disse: “Que tens tu com isso? Segue-me tu” (Jo 21:22).

Devemos nos alegrar em todo lugar onde Cristo é pregado, quer ou não concordemos com os métodos e motivos. Paulo escreveu aos Filipenses: “Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente; estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho; mas
aqueles por contenda anunciam a Cristo, não sinceramente, julgando suscitar aflição às minhas prisões. Mas que importa? Contanto que, de toda maneira, ou por pretexto ou de verdade, Cristo seja anunciado, nisto me regozijo, sim, e me regozijarei” (Fp 1:15-18).

O fato de que desta maneira reconhecemos todo crente verdadeiro como membro do corpo de Cristo, NÃO significa que adotaremos suas orientações e práticas. Somos responsáveis em obedecer a Palavra de Deus como Ele tem revelado a nós. Podemos amar as pessoas sem amar o sistema onde elas se encontram e sem nos tornarmos parte dele. Quanto à preocupação com o nosso próprio caminho, devemos ser inflexivelmente obedientes à Bíblia. Quanto à preocupação com os outros crentes, devemos ser pacientes e tolerantes.

Texto de WILLIAM MACDONALD.

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Jesuíta infiltrado? Dr Rodrigo Silva diz que a IASD é tão de Deus quanto as outras igrejas

O tempo em que nossos pastores podiam identificar a Igreja Adventista do Sétimo Dia como …

Igreja Adventista e o Dogma Católico dos Jesuítas.

Relacionado

Deixe uma resposta