Iníco / Como nos dias de Noé, Anjos caidos, Nefilins / Ellen White concorda com essa “Teoria” dos Nefilins?

Ellen White concorda com essa “Teoria” dos Nefilins?

Bernardo Cavaleto
em 4 de outubro de 2014 às 18:23 disse:Querido irmão, a sua imaginação é muito fértil! Pelo visto o senhor anda lendo muitas coisas pela internet, sugiro que leia um livro que pode esclarecer definitivamente este assunto.

Trata-se do livro “Patriarcas e Profetas”, da Sra. Ellen White. No cap. 6 (Sete e Enoque), pág. 47, lemos o seguinte:
” (…) Por algum tempo as duas classes permaneceram separadas. A descendência de Caim, espalhando-se do lugar em que a princípio se estabeleceu, dispersou-se pelas planícies e vales onde os filhos de Sete haviam habitado; e os últimos, para escaparem de sua influência contaminadora, retiraram-se para as montanhas, e ali fizeram sua morada. Enquanto durou esta separação, mantiveram em sua pureza o culto a Deus. Mas com o correr do tempo arriscaram-se pouco a pouco a misturar-se com os habitantes dos vales. Esta associação produziu os piores resultados. “Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas”. Gênesis 6:2. Os filhos de Sete, atraídos pela beleza das filhas dos descendentes de Caim, desagradaram ao Senhor casando-se com elas. Muitos dos adoradores de Deus foram seduzidos ao pecado pelos engodos que constantemente estavam agora diante deles, e perderam seu caráter peculiar e santo. Misturando-se com os depravados, tornaram-se semelhantes a eles, no espírito e nas ações; as restrições do sétimo mandamento eram desatendidas, “e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”. Os filhos de Sete “entraram pelo caminho de Caim” (Judas 11); fixaram a mente na prosperidade e alegrias mundanas, e negligenciaram os mandamentos do Senhor. Os homens “se não importaram de ter conhecimento de Deus”; “em seus discursos se desvaneceram, e seu coração insensato se obscureceu”. Por isso “Deus os entregou a um sentimento perverso”. Romanos 1:21, 28. O pecado propagou-se largamente na Terra como uma lepra mortal. (…)”.

Querido irmão, existem algumas lacunas na Bíblia Sagrada. Satanás tem usado essas lacunas para confundir as pessoas. Receio que você esteja sendo usado pelo inimigo para propagar essas fantasias.

Deus iluminou a irmã Ellen White para esclarecer algumas questões que ele sabia que seriam polêmicas entre o seu povo. Espero você reconheça seu equívoco, pelo menos quanto a este tema; ou você sabe mais que a irmã White sobre o assunto?

Um abraço cristão a todos.

Bernardo

Hermano de Jesus — Editor
em 4 de outubro de 2014 às 18:53 disse:

Conheço o texto citado pelo irmão. Contudo, não posso aceitar que considere nosso ponto de vista como biblicamente infundado apenas por não se harmonizar com o ponto de vista de Ellen White nessa citação que faz. O correto é comparar o que dissemos com a própria Bíblia…

Escritos da Sra. White não podem ser sobrepostos ao que dizem as Sagradas Escrituras. Até mesmo porque ela própria considerava ter recebido apenas uma “luz menor” para nos encaminhar à Luz Maior, que são as Escrituras Sagradas. Além disso, recomendava que seus testemunhos fossem avaliados à luz da Bíblia e que, estando em desacordo, fossem rejeitados.

As revelações que EGW alegou ter recebido da parte de Deus também não esgotam a temática bíblica, a ponto de nos impedirem de continuar pesquisando e redescobrir velhas verdades soterradas sob o lixo das doutrinas e interpretações humanas. O dom profético não incluiu a onisciência. Caso contrário, não mais haveria nenhuma necessidade de estuar e pesquisar as Escrituras. Bastaria ler os livros de Ellen G. White!

De igual modo, um comentário de EGW sobre qualquer passagem bíblica não esgota o leque de possibilidades de interpretações corretas acerca daquele texto. Afinal, trata-se da Palavra de Deus. Textos de EGW também não podem servir como parâmetro de verificação da correção ou incorreção de uma conclusão sobre qualquer tema bíblico. As mensagens dela é que devem ser testadas pela Bíblia e não o contrário.

Ellen White errou muitas vezes na interpretação da Bíblia, ao longo do seu ministério. Afirmou, por exemplo, que a porta da graça havia se fechado em seu tempo, que poderíamos comer carne de porco e outros animais imundos sem nos preocupar, que não poderíamos jamais ter certeza plena de nossa salvação… Transformou o dom divino em fonte derenda para si e sua família, copiando textos de terceiros, contratando redatores para escrever em seu lugar… Fez até pacto com o marido já morto! E evidentemente errou também quando alegorizou a interpretação dessas relações entre anjos caídos e fêmeas humanas.

Logo no princípio de seu ministério, porém, Deus lhe deu pistas sobre o que, de fato, aconteceu nos dias de Noé:

“Mas se há um pecado acima de todo outro que atraiu a destruição da raça pelo dilúvio, foi o aviltante crime de amálgama de homem e besta que deturpou a imagem de Deus e causou confusão por toda parte.” Spiritual Gifts, Vol. 3, pg.64, 1864.

“Toda espécie de animal que Deus criou foi preservada na arca. As espécies confusas que Deus não criara, resultantes da amálgama, foram destruídas pelo dilúvio. Desde o dilúvio, tem havido amálgama de homem e besta como pode ser visto nas quase infindáveis variedades de espécies animais e em certas raças de homens.” — Ellen G. White, em Spiritual Gifts, Vol. 3, pg. 75, 1864.

“Todo joio é semeado pelo maligno. Toda erva nociva é de sua semeadura, e por seus métodos engenhosos de amálgama ele corrompeu a Terra com joio.” — Mensagens Escolhidas, volume 2, pág. 288-289.

Portanto, de acordo com essas afirmações da profetisa adventista Ellen G.White, pouco antes do Dilúvio:

1) Houve mistura de DNA ou manipulação genética antinatural envolvendo seres humanos;

2) Houve mistura de DNA ou manipulação genética antinatural envolvendo animais;

3) Pode também ter havido mistura de DNA ou manipulação genética antinatural envolvendo seres humanos e animais;

4) Esse grave pecado de mistura de DNA ou manipulação genética antinatural teria sido a principal razão para que a humanidade fosse quase completamente destruída no Dilúvio;

5) Por meio dessa mistura de DNA ou manipulação genética antinatural, deturpou-se a imagem de Deus nos seres humanos e houve confusão por toda parte;

6) Na Arca construída por Noé, foram salvas apenas as espécies de animais criadas por Deus;

7) Espécies confusas, que Deus não criara, resultantes de mistura de DNA ou manipulação genética antinatural, foram destruídas no Dilúvio;

8) A mistura de DNA ou manipulação genética antinatural de seres humanos e animais continuou ocorrendo após o Dilúvio.

Fonte: https://www.facebook.com/adventistascom
Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

ESCRITURAS FREQUENTEMENTE IGNORADAS: ENOQUE, JASAR & AT

Relacionado

Revelações do Livro dos Gigantes sobre Néfilins, Anjos Caídos e Montros

Relacionado

Deixe uma resposta