Iníco / Sistema Religioso e Apostasia / Milagre na TV Novo Tempo: Água pura da Verdade transformada em vinho podre da Mentira!

Milagre na TV Novo Tempo: Água pura da Verdade transformada em vinho podre da Mentira!

Coloque-se no lugar de Amaral Lairson, o telespectador que enviou esta mensagem ao programa Na Mira da Verdade, da Rede Novo Tempo, apresentado por Tito Rocha e Leandro Quadros:

“Trindade sempre foi algo muito confuso para mim. Não entendo como o Deus de Israel não aceitava que os hebreus adorassem outros deuses, se Ele próprio é três… Já percebi que a Bíblia dá muitas pistas para se entender sobre a Trindade. Porém, não aparece em nenhuma parte o termo ‘trindade’ com todas as letras, objetivando a Deus como sendo três deuses em um só Deus. Não estou dizendo que não acredito, estou dizendo apenas que acho difícil de entender. Até acredito que Deus não quisesse deixar isso bem claro…”

Antes de mais nada, imagine a surpresa de Amaral Lairson ao descobrir que o tema da Trindade, que tanto o intriga, é mesmo um mistério gigantesco por envolver a natureza do Deus todo-poderoso, mas que, apesar de apenas parcialmente revelado, poderia ser facilmente esclarecido em menos de cinco minutos, com três ou quatro versículos bíblicos, alinhavados por comentários inspiradíssimos do decifrador universal dos mistérios divinos, Leandro Quadros.

“Realmente a Trindade é um mistério, porém um mistério parcialmente revelado, e eu vou ajudar você a analisar um pouco isso…”, garante o oráculo adventista.

Quantos prolongados debates teológicos, excomunhões e mortes na fogueira poderiam ter sido evitados se soubéssemos todos que simplesmente, segundo Leandro Quadros, Deus omitiu a verdade sobre Si mesmo a Israel para não criar confusão na cabeça daqueles politeístas primitivos!

“Por que Deus Se revelou como único Senhor se a Divindade é composta por três pessoas? Como o povo de Israel vivia num contexto politeísta, imagine a confusão que seria na mente deles se Deus Se revelasse como triuno?”

Observe que Leandro Quadros, em nenhum momento, desmente a ideia de Amaral Lairson de que a Trindade sejam três deuses. Pelo contrário, procura mesmo reforçá-la e comprová-la, distorcendo textos bíblicos:

1. Diz a Bíblia: “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.” Deuteronômio 6:4.

Leandro Quadros ignora o sentido literal do texto bíblico e defende a ideia de que o termo traduzido por “o único” refere-se a uma unidade composta. Como se Moisés pretendesse dizer em Deuteronômio 6:4: “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o triúnico Senhor.”

Para Leandro Quadros, os três deuses ou pessoas da Trindade se dizem um único Deus, omitindo inicialmente sua tríplice condição, para se diferenciarem dos deuses pagãos. “Então Deus — a Trindade — teve que se revelar como único Senhor em comparação com as divindades pagãs,” afirma.

Se Amaral Lairson orar em busca de iluminação divina, consultar a Bíblia e procurar entendê-la por si mesmo, verá que o termo “o Único” significa mais do que uma referência a um Deus singular, sem igual, incomparável, inigualável. “Único”, no contexto de Deuteronômio 6:4, significa único Senhor mesmo, o único ser todo-poderoso do Universo, o qual não aceita adoração dividida, seja por dois ou por três:

“Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças.” Deuteronômio 6:4-5. Esse é o sentido do texto: Porque Deus é um só, devemos adorá-Lo com inteireza de coração, exclusividade de alma e totalidade das forças! A fé em um Deus único resulta em uma total entrega a esse único Senhor. Aquele que é Deus zeloso, não admite adoração compartilhada com outros deuses, ainda que os imaginemos “idênticos” a Ele.

É possível amar de todo coração, alma e forças a alguém triuno? O que diria Amaral Lairson a um candidato a seu genro se este lhe propusesse formar uma “unidade composta” com sua filha nestes termos: “Somos trigêmeos e queremos nos casar com sua filha. Meus dois irmãos são idênticos a mim e somos tão parecidos, tão iguais e tão unidos, inclusive nos sentimentos, que ela poderá até confundir-nos um com o outro, mas não fará diferença, porque eu e meus irmãos somos praticamente um só e a amamos na mesma intensidade…”? Um noivo “triúno” era o que faltava, para acabar de ridicularizar essa ideia tosca de uma unidade composta representando nosso amado Deus.

2. Diz a Bíblia: “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.” Gênesis 2:24.

Leandro Quadros usa também a expressão “uma só carne” de Gênesis 2:24 como texto-prova de que, na Bíblia, um pode ser dois e dois podem ser um. “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o biúnico Senhor”, seria este então o sentido de Deuteronômio 6:4?

Comentando Gênesis 2:24, Leandro Quadros retoricamente pergunta: “O que esse texto fala da Trindade?” E responde: “O termo hebraico para uma só carne, é o mesmo termo hebraico para o único Deus de Deuteronômio 6. Isso é muito revelador. Gênesis 2:24 menciona que duas pessoas distintas são uma só carne, porque a palavra hebraica aqui é uma palavra hebraica que significa uma unidade composta… Assim como Adão e Eva são duas pessoas, porém, uma só carne, por causa do vínculo sexual, emocional, por causa da intimidade entre essas duas pessoas, há uma unidade composta também entre as pessoas da Divindade, porque o termo hebraico uma só carne é o mesmo empregado em Deuteronômio 6:4. Então Deus é único não é no sentido de um ser isolado, mas é uma unidade composta.”

Poderia a expressão “uma só carne” de Gênesis 2:24 referir-se também a um triângulo ou mesmo um “quadrado” amoroso, desde que todos se amem e concordem entre si? Afinal, não há limites para uma unidade composta!

Ora, se dois podem ser um no casamento e três também podem sê-lo na esfera divina, Amaral Lairson poderá deduzir disto até uma autorização indireta para a poligamia e o politeísmo, segundo já entenderam teólogos defensores dessa ideia da unidade composta de Deus. Aqueles que confrontam os termos echad e yachid concluem que o número de deuses ou pessoas divinas bem como o número de cônjuges tanto pode ser dois como três ou mais, indefinidamente, desde que estejam todos em harmonia.

A “unidade composta” formada pelo primeiro casal é muitíssimo diferente no relato bíblico. Veja o que diz a Escritura: “E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada. Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.” Gênesis 2:22-24.

Quando Deus criou os seres humanos à Sua imagem e semelhança, criou-os em dupla, sendo o segundo (Eva) derivado do primeiro (Adão), tão humana quanto ele, mas gerada a partir dele. Assim, Eva formou unidade composta — “uma só carne” — com Adão porque foi retirada dele, modelada geneticamente a partir de uma de suas costelas, gerada como osso de seus ossos e carne de sua carne. Um clone feminino de Adão. Uma cópia viva dele, feita pelo próprio Deus!

Assim também entendemos ser Jesus Cristo, o filho unigênito de Deus (João 1:14, João 1:18, João 3:16, João 3:18, Hebreus 11:17 e 1 João 4:9), “o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:15), o resplendor da glória do Pai, e a expressa imagem da pessoa do Pai (Hebreus 1:3), o princípio da criação de Deus (Apocalipse 3:14; veja também Provérbios 8:22-31), etc. Foi também nesse sentido, que Cristo afirmou: “Eu e o Pai somos um.” João 10:30.

O Filho de Deus em nenhum momento do registro bíblico apresenta-se como “Deus Filho”. Descreve-se como igual ao Pai, mas sempre em posição inferior por ter sido gerado em um momento longínquo da eternidade.

Em Gênesis 2:24, a Bíblia ensina, portanto, que dois podem ser um, desde que o segundo tenha sido gerado a partir do primeiro e a ele permaneça ligado e submisso.

3. Diz a Bíblia: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” Provérbios 4:18.

Leandro Quadros altera mais uma vez o sentido do texto bíblico citado. Quer provar a todo custo que “a revelação da Trindade na Bíblia é progressiva”. Assista novamente o vídeo e veja como ele deturpa Provérbios 4:18: “O conhecimento de Deus é como a luz da aurora, que vai clareando mais e mais até ser dia perfeito.” E conclui: “Então a revelação é progressiva, na medida em que nossa mente humana pode compreender.”

O texto não faz nenhuma referência direta ao conhecimento de Deus, sobre ser Ele uma Trindade ou não. A Rede Novo Tempo deveria se envergonhar por permitir que a Bíblia seja desrespeitada e manipulada tão descaradamente por um de seus apresentadores. No contexto da passagem mencionada, Salomão apenas nos incentiva a seguir pelo caminho do bem e da sabedoria, comparando o modo de viver dos santos com o estilo de vida dos pecadores. Nada diz sobre revelação progressiva do número de pessoas divinas.

“Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem sabem em que tropeçam.” Provérbios 4:18-19, versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel.

“A vereda do justo é como a luz da alvorada, que brilha cada vez mais até à plena claridade do dia. Mas o caminho dos ímpios é como densas trevas; nem sequer sabem em que tropeçam.” Provérbios 4:18-19, Nova Versão Internacional.

“Mas a vereda dos justos é como uma luz resplandecente, Que aumenta de brilho mais e mais até o dia perfeito. O caminho dos perversos é como a escuridão: Não sabem eles em que tropeçam.” Provérbios 4:18-19, versão da Sociedade Bíblica Britânica.

“A estrada em que caminham as pessoas direitas é como a luz da aurora, que brilha cada vez mais até ser dia claro. Mas a estrada dos maus é escura como a noite; eles caem e não podem ver no que foi que tropeçaram.” Provérbios 4:18-19, Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

4. Diz a Bíblia: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre.” João 10:16.

Leandro Quadros enxerga três diferentes pessoas nesse texto: Jesus(1), que rogará ao Pai(2), o qual nos concederá um outro Consolador(3), sem perceber que Cristo se referia a Si mesmo após a ressurreição, sem as limitações de um corpo humano comum:

“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis. Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” João 10:16-21.

Sendo o próprio Jesus a Verdade (João14:6), o Espírito de verdade ao qual o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, só poderia ser Espírito do próprio Cristo. Tanto é que Jesus Cristo afirma “mas vós o conheceis, porque habita convosco”, acrescentando “e estará em vós”. Caso houvesse alguma dúvida a respeito de quem o Mestre falava, Ele mesmo esclareceu: “Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis. Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.”

A frase paralela e complementar a João 10:16 — “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre.” — é João 10:21: ” Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.”

Leandro Quadros encerra sua apresentação com uma frase de LeRoy Froom, que foi buscar argumentos em defesa da Trindade na literatura protestante, uma vez que não havia nada a respeito nas publicações dos pioneiros: “Para substituir uma pessoa maravilhosa como Jesus, somente outra pessoa maravilhosa… Um simples poder que emana de Deus não poderia ser um substituto à altura de Jesus Cristo.”

Preferimos encerrar com um parágrafo de Ellen G. White:

“Impedido pela humanidade, Cristo não poderia estar em todos os lugares pessoalmente, então foi para vantagem deles (os discípulos) que Ele deveria deixá-los, ir para o Pai, e enviar o Espírito Santo para ser o Seu sucessor na terra. O Espírito Santo é Ele mesmo, despido da personalidade da humanidade e independente dela. Ele Se representaria como estando presente em todos os lugares pelo Seu Espírito, como o Onipresente. “Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome (embora não seja visto por vós), esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito” [João 14:26]. “Mas eu vos digo a verdade; convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei” [João 16:7]. Manuscript Releases Volume Fourteen/em>, págs. 23 e 24.

Compartilhar isso:

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

SUPERFATURAMENTO GOSPEL COM DINHEIRO PÚBLICO

Relacionado

Trindade – Um ataque de Satanás ao Calvário

Relacionado

Deixe uma resposta