O que a liderança das IGREJAS deveriam dizer nesse período de “lockdowns” regionais

Pastores, departamentais e administradores de Associações, Uniões e da própria Divisão Sul-Americana, deveriam fazer constar em suas notas à imprensa, púlpitos e mesmo nos contatos pessoais, que:

  1. Não cabe a nenhuma instância do Estado brasileiro, legislar sobre a atividade religiosa. A IASD deveria dar a César apenas a competência que é de César e preservar para Deus a competência que Lhe pertence quanto a Seu povo. Caso contrário, estaremos abrindo um precedente sério ao permitir que leis humanas concorram e se sobreponham a preceitos divinos.  E que nesse caso, quando ocorrer essa interferência de competência legislativa, antes importa obedecer a Deus do que a homens.
  2. A IASD repudia toda e qualquer truculência e abuso de autoridade contra trabalhadores que estejam buscando honestamente o seu sustento, ou contra cidadãos que estejam exercendo seus direitos individuais garantidos pela Constituição.
  3. A IASD esclarece que não há necessidade da intermediação de pastores, sacerdotes ou teólogos para conduzir o culto a Deus, interpor-se como mediador entre a congregação e o divino, ou mesmo interpretar as Sagradas Escrituras.
  • Cremos, sim, no sacerdócio universal de todos os crentes, na livre interpretação pessoal da Bíblia e no acesso direto a Deus, sendo desnecessário depender de conexão online, ou não, com qualquer estrutura que pretenda intermediar a adoração a Deus ou monopolizar a interpretação das Sagradas Escrituras.
  • Também não é necessário aglomerar-se ou centralizar a adoração em pontos específicos, como templos ou denominações. Essa grande estrutura ou “confusão religiosa” (Babilônia) foi rejeitada por Deus e Ele deve ser temido ou adorado diretamente.
  • O próprio Filho de Deus prometeu que estaria presente onde quer que dois ou três se reunissem em Seu nome e que havia chegado a hora de descentralizar e internalizar o culto ao Pai, adorando-O em espírito e em verdade.
  • E não existe de igual modo um único dia específico em que o Criador deva ou possa ser adorado, em espírito e em verdade. Seu Filho prometeu estar conosco TODOS os dias até a consumação dos séculos. Deus permanece ao nosso lado todos os dias da semana, assim como esteve presente em cada um dos dias literais da Criação.
  • Contudo, Deus não quer que sejamos escravos do trabalho ou de qualquer outra estrutura de poder, seja secular ou religioso. Por isso separou o sétimo dia para que nos lembremos disto, priorizando a família e atividades em favor dos mais necessitados.
  • Quanto à fixação de dias para jejum e oração, a fim de que a pandemia cesse, como sugerem alguns líderes religiosas, a posição adventista é esta, sugerida pelo próprio Deus, através do profeta Isaías, capítulo 58:

1 Senhor Deus diz:
“Grite com toda a força, sem parar!
Grite alto, como se você fosse trombeta!
Anuncie ao meu povo, os descendentes de Jacó,
os seus pecados e as suas maldades.
De fato, eles me adoram todos os dias
e dizem que querem saber qual é a minha vontade,
como se fossem um povo que faz o que é direito
e que não desobedece às minhas leis.
Pedem que eu lhes dê leis justas
e estão sempre prontos para me adorar.”

O povo pergunta a Deus:
“Que adianta jejuar, se tu nem notas?
Por que passar fome, se não te importas com isso?”
Senhor responde:
“A verdade é que nos dias de jejum vocês cuidam dos seus negócios
e exploram os seus empregados.
Vocês passam os dias de jejum discutindo e brigando
e chegam até a bater uns nos outros.
Será que vocês pensam que, quando jejuam assim,
eu vou ouvir as suas orações?
O que é que eu quero que vocês façam nos dias de jejum?
Será que desejo que passem fome,
que se curvem como um bambu,
que vistam roupa feita de pano grosseiro
e se deitem em cima de cinzas?
É isso o que vocês chamam de jejum?
Acham que um dia de jejum assim me agrada?

“Não! Não é esse o jejum que eu quero.
Eu quero que soltem aqueles que foram presos injustamente,
que tirem de cima deles o peso que os faz sofrer,
que ponham em liberdade os que estão sendo oprimidos,
que acabem com todo tipo de escravidão.
O jejum que me agrada é que vocês repartam a sua comida com os famintos,
que recebam em casa os pobres que estão desabrigados,
que deem roupas aos que não têm
e que nunca deixem de socorrer os seus parentes.

“Então a luz da minha salvação brilhará como o sol,
e logo vocês todos ficarão curados.
O seu Salvador os guiará,
e a presença do Senhor Deus os protegerá por todos os lados.
Quando vocês gritarem pedindo socorro, eu os atenderei;
pedirão a minha ajuda, e eu direi: ‘Estou aqui!’

“Se acabarem com todo tipo de exploração,
com todas as ameaças e xingamentos;
10 se derem de comer aos famintos
e socorrerem os necessitados,
a luz da minha salvação brilhará,
e a escuridão em que vocês vivem ficará igual à luz do meio-dia.

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

A Conspiração de Gênesis 6: Ecos da Atlântida nas Américas e outras regiões

Neste vídeo, nosso amigo Dr. Afonso Vasconcelos, doutor em geofísica, cristão nazareno, alerta que a …

Amálgama: Rússia planeia clonar e “ressuscitar” um exército cita com 3.000 anos

Há duas décadas, arqueólogos da Sibéria encontraram os restos mortais de guerreiros citas com três …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.