Iníco / Últimas Notícias / Estudo de DNA sugere que todos os seres humanos podem ser descendentes de apenas duas pessoas

Estudo de DNA sugere que todos os seres humanos podem ser descendentes de apenas duas pessoas

Tradução por Google Translate

Desacordos entre aqueles que apóiam o criacionismo e aqueles que apóiam a teoria da evolução estão em andamento há décadas.

O livro de Gênesis nos diz que toda a humanidade é descendente de apenas duas pessoas. A ciência concorda? De acordo com o New Zealand Herald, um estudo recente diz “talvez”.

O estudo foi feito por Mark Stoeckle e David Thaler, da Universidade de Basel, na Suíça. Eles examinaram os “códigos de barras genéticos” de mais de 5 milhões de animais de 100.000 espécies diferentes – e uma dessas espécies era de humanos.

Com base nesses códigos de barras, que são realmente apenas pequenos fragmentos de DNA das mitocôndrias das células vivas, os pesquisadores concluíram que seus dados são “consistentes” com a hipótese de que toda a humanidade é descendente de um único par de adultos que viveu de 100.000 a 200.000 anos atrás, escreve o Herald.

O estudo mostrou que há muito pouca diversidade genética entre os humanos quando você olha para o nosso DNA mitocondrial. O DNA mitocondrial é uma parte do nosso código genético que nos é transmitido pelas nossas mães e não se mistura com o nosso DNA nuclear, tornando possível traçar uma linha genética materna direta.

 

O DNA mitocondrial é o pequeno cromossomo circular encontrado dentro das mitocôndrias. Essas organelas encontradas nas células têm sido chamadas de usina da célula. As mitocôndrias e, portanto, o DNA mitocondrial, são passados ​​apenas da mãe para a prole através do óvulo.

O estudo, publicado na revista Human Evolution em maio de 2018, estimulou agências de notícias a declararem que “todos os seres humanos são descendentes de apenas duas pessoas”, afirmam os cientistas.

Olhando para além das manchetes, o jornalista de ciência Michael Marshall observa em um artigo para a Forbes que “o código de barras do DNA não é um método perfeito para identificar espécies, mas funciona muito bem.” Marshall alude às limitações de “tirar conclusões importantes do DNA mitocondrial e especialmente de um único gene.”

DNA barcoding. Foto por NTTU Vitenskapsmuseet CC BY 2.0

Variação nestes fragmentos de DNA, os autores propõem, sugere que o mesmo pode ser igualmente verdadeiro para 90 por cento das espécies na Terra. Stoeckle e Thaler relatam que “essencialmente todas as outras espécies de animais” que atualmente existem são o produto de apenas um par fundador que deu à luz ao mesmo tempo na história do nosso planeta, menos de 250.000 anos atrás.

“A conclusão é muito surpreendente, e eu lutei contra isso o mais forte que pude”, disse Thaler.

“No momento em que os humanos colocam tanta ênfase nas diferenças individuais e de grupo, talvez devêssemos passar mais tempo nos modos como nos parecemos uns com os outros e com o resto do reino animal”, observou Stoeckle.

Real Biblioteca de San Lorenzo.

O verdadeiro mistério, de acordo com o New Zealand Herald, é como e por que a população humana precisava recomeçar de todo. O último evento de extinção ocorreu mais de 65 milhões de anos atrás, durante o período dos dinossauros. Esta questão nos abre para a ideia de que talvez os humanos sejam construídos para periodicamente “reiniciar” – morrendo, e então começar de novo do zero.

Marshall argumenta que as conclusões do estudo não são tão claras. De fato, como Stoeckle e Thaler apontam: “Muitos aspectos da especiação são complexos”.

Quando se trata de DNA mitocondrial, Marshall explica que, como ele compreende uma porcentagem tão pequena de nosso material genético, pode dar idéias enganosas. Um exemplo disso é que, quando o DNA mitocondrial de Neanderthal foi sequenciado, ele não mostrou nenhuma evidência do cruzamento entre os neandertais e os humanos modernos. A prova de cruzamento entre espécies homo foi evidente no genoma nuclear, no entanto.

Ele continua dizendo que a janela temporal de Stoeckle e Thaler “entre 100.000 e 200.000 anos atrás é tão vaga a ponto de não ter sentido”. Com um período de tempo tão amplo, não há nenhuma razão real para supor que houve apenas um evento catastrófico que dizimou o população, deixando um solitário Adão e Eva.

Descrição cristã primitiva de Adão e Eva nas catacumbas de Marcelino e Pedro

Seu ponto é que qualquer par fundador teria sido parte de uma população maior, e foram seus filhos que tiveram alguma vantagem genética que se espalhou por toda a humanidade.

A maioria das espécies existentes é relativamente nova, tendo evoluído nos últimos 200.000 anos. Não se sabe quanto tempo uma espécie normalmente sobrevive, mas estima-se que, em média, as espécies podem durar de 500.000 a 10 milhões de anos. Dado esse enorme alcance, faz todo o sentido que haveria um aumento de novas espécies desde o período de tempo que os cientistas examinaram.

O último ponto de Marshall é que o estudo de Stoeckle e Thaler não é consistente com nosso registro arqueológico. Fósseis comprovadamente de nossa espécie foram descobertos no Marrocos em 2017, e foram datados como sendo mais de 300.000 anos de idade.

O registro fóssil mostra que nos separamos dos neandertais 500.000 anos atrás, então você poderia argumentar que a espécie humana é tão antiga. No entanto, é difícil identificar o momento em que uma espécie é diferente o suficiente para ser chamada de nova espécie.

Fonte: https://www.thevintagenews.com/2018/12/13/adam-and-eve/

Sobre Max Rangel

Servo do Eterno, Casado com Arlete Vieira, Pai de 2 filhas, Analista de Sistemas, Fundador e Colunista do site www.religiaopura.com.br.

Além disso, veja também:

Nascimento, Escola, Trabalho, Morte: A Típica Vida Americana Encurtada Pela Cara e Sistemática Decadência da Saúde

Para a maioria dos americanos, este conto de “A a Z” é uma história de …

Pastor que se envolve com colega de trabalho ou irmã da Igreja pode estar cometendo dois crimes…

Quando um pastor casado se envolve com uma irmã casada no ambiente de trabalho dele …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.